quinta-feira, 30 de outubro de 2008

"They tell me that only the strong survive..."

Aloha!!!!!

Esse blog com certeza será demais. Por que? Bom, desde que eu ganhei meu primeiro computador, já tive mais de 10 blogs e nenhum deles funcionou. Mas esse daqui será diferente...
Antes de mais nada tudo o que será postado aqui é minha opinião sobre determinado assunto ok?
Beleza, vamos lá. Primeiro assunto: Vinda da banda inglesa McFly no Brasil de 04/10 à 11/10.

Certo, minha banda preferida veio ao Brasil pela primeira vez com o objetivo de fazer uma mini-turnê com 3 shows: um em Curitiba, um em São Paulo e ou no Rio de Janeiro. Rolos e mais rolos abre a venda de ingressos em São Paulo ANTES da data afirmada pelo responsável no telefone.
Resultado: Segunda-feira, abertura oficial dos ingressos e os mesmos esgotam em cerca de horas.
Boa notícia: Novo show adicionado para o dia anterior, quarta-feira 08/10 (o primeiro show seria 09/10). Com dois show praticamente esgotados, abre os ingressos do Vivo Rio e Mastar Hall Curitiba (não sei em que ordem necessariamente), ambos esgotam em questão de dias.
O que estava certo então: participação da banda no programa do Faustão, domingo dia 05/10 antes do show no Master Hall de Curitiba.
Chegada dos meninos: 04/10, 5:15 da manhã. Vários fãs haviam passado a noite no aeroporto de Congonhas para esperar pelos meninos pessoalmente. Já mais de 7:30 da manhã e nada deles, a decepção tomando conta de seus corações quando são informados que a banda seguiu por um corredor de desembarque "de escape" para evitar tumulto. Já na van, fãs enlouquecidos e histéricos tentam escalar e até entram na frente do veículo. Péssima recepção em meninos? Alguns sortudos que tinham contatos souberam do uso do corredor de escape e tiveram a sorte de tirar algumas fotos com os garotos.
Hotel Hilton, mais histeria. A recepção, ao mesmo tempo em que era calorosa, era irritadiça e constrangedora. Tudo bem chorar ao ver seus ídolos, mas será que precisava de tanto empurra-empurra??? A questão foi resolvida: o pessoal que encontrava-se no hotel foi dividido em grupos de 10 pessoas e os garotos os receberam em um pequeno "meet&greet". Mais uma vez, sortudos conseguiram fotos com eles.
Participação ao vivo no programa "Domingão do Faustão" e um playback que os pegou de surpresa. Nada contra, mas se tivessem deixado pelo menos o microfone ligado, seria mais "real". Saindo correndo dos estúdios da Rede Globo em São Paulo e voando para Curitiba. Aconteceu o grande show, histeria, choros e muitas histórias para contar.
Os garotos realmente ficaram surpresos que nós, fãs, sabíamos TODAS as músicas deles e os ajudamos a cantar. Disseram até que ficaram surdos!
Enfim, voltando para São Paulo, mais fãs, só que dessa vez mais agressivos. Os meninos fariam uma participação no programa Domínio MTV ao vivo. Ao sair da van, várias fãs querendo agarrá-los e algumas delas até conseguiram um tufo de cabelo de Daniel Jones e abrir sua camisa. Agora pára tudo:
Alguém aqui acha que precisava dessa baixaria toda? Eu não. Essa foi a maior falta de respeito e consideração que um fã pôde demonstrar para seu ídolo. Não foi bom para a imagem dos brasileiros, não ficou bom pra ninguém. Muitas fãs pediram desculpas pelo o que nem haviam feito. E eu digo: QUEM FEZ A BURRADA QUE PEDISSE DESCULPAS! Porque quem não estava por perto não teve nada que ver com isso!
A banda até considerou voltar mais cedo e aí eu pergunto: de que valeu à pena? Machucaram nossos ídolos, literalmente, acabamos com a nossa imagem e nos mostramos selvagens. A banda poderia muito bem ter ido embora sem ao menos fazer os shows e aí o que aconteceria? Faríamos um multirão pra matar ou bater na garota que fez isso com o Danny? Não. E sabe por quê? Não temos coragem de fazer isso, falo por experiência própria! Todo mundo consegue falar mal pelas costas, xingar, julgar... mas espera ficar cara a cara com a pessoa que fez isso, você não consegue!
Eles ficaram, para alívio de muitos e felicidade de todos. Fizeram os shows em São Paulo e Rio de Janeiro. Eu estava em São Paulo, os conheci de longe e fiquei muito feliz em poder vê-los tão perto e ao mesmo tempo tão longe de mim. Mas valeu à pena. Todo o dinheiro gasto, toda a espera. Você vê o resultado de seus esforços quando presencia algo que espera por muito tempo.
Quantas mensagens eu mandei pro myspace deles? Inúmeras. Quantas eles me responderam? Nenhuma. Mas de uma coisa eu tenho certeza: de uma maneira ou de outra, eu ajudei a trazê-los pra cá. Não importa que eu não tenha nem recebido o mínimo de consideração através de uma resposta, o que importa é ter a esperança e acreditar que eles leram e conheceram um pouco de mim.
A única coisa que eu tenho a dizer em conclusão de tudo o que eu disse acima é: Valeu por cada pessoa que chorou, cantou, mandou mensagem, os conheceu de perto. Tenho certeza de que apenas as memórias boas estão com eles nesse momento. Não se esqueçam: uma banda não é nada sem seus fãs!
Aonde eles chegaram, eles devem à nós, cada um de nós, que os prestigia, compra, incentiva... enfim, dá força para eles continuarem e melhorarem cada vez mais o trabalho deles.
Finalizo com as fortes palavras da música "The Last Song":
"...it's time to say: 'We thank you all'"

xx
V