domingo, 13 de março de 2011

#Indicação - Filme: Vestida para Casar

Boa tarde!

Fim de semana já acabando, posso chorar agora? Esqueçam, vou é abrir o meu coração! Há um mês eu sequer imaginaria que o Only The Strong Survive ultrapassaria 1000 visitas e muito menos poderia esperar que ele passaria dos 7 seguidores. Agora olhem só, estamos com quase 1100 visitas e quase 35 seguidores! Ah vocês me enchem de orgulho!
E os comentários? Só posso agradecê-los pela enorme repercussão que o blog está tendo, muitíssimo obrigada! Mas é claro que nada disso seria possível sem as parcerias, agradeço de coração todos os blogs que tem aceitado colocar o banner do OTSS em suas páginas e vocês podem conferir os seus tanto na página inicial quanto na parte de 'Afiliados'. É, eu sei, ainda falta dar uma arrumadinha lá, mas não se preocupem, estou trabalhando nisso!
Acho que meus agradecimentos terminam por aqui antes que eu realmente me esqueça do objetivo desse post! Rá! Vamos lá então?


Vestida para Casar (27 Dresses) - 2008

Jane Nichols é uma jovem que vive para ser dama de honra das suas amigas. Ela vai a várias festas de casamento e guarda em um armário todos os vestidos usados nas festas (27 ao todo). Em um desses casórios ela conhece Kevin Doyle, ele é escritor e trabalha no "Jornal de Nova York" na sessão de casamentos. Kevin escreve belos textos que Jane adora, mas ele assina-os com um nome falso. Jane, a princípio, não gosta dele. Ela é louca por seu patrão George, que acaba se apaixonando pela sua irmã, Tess Nichols. Jane então passa a ajudar na relação de George e Tess, mesmo "gostando" de George e com os vários pedidos amorosos de Kevin.
Esse filme é um dos meus favoritos, não por se tratar de dois protagonistas que trocarão faíscas até convencerem a si mesmos que estão apaixonados e muito menos por falar de casamentos. Quem já leu "Todo Garoto Tem" da Meg Cabot (prometo que logo trago a resenha, muito legal de se ler!) vai perceber muitas semelhanças entre essa Jane do filme e a Jane do livro (agora me dei conta que elas até tem o mesmo nome!). Pelo menos comigo é assim.
Jane é uma pessoa carismática, totalmente apaixonada por casamentos e por seu chefe. Ela trabalha em uma empresa de marketing e tem uma melhor amiga totalmente sarcástica e completamente sem noção. O passatempo preferido dela é preparar as festas de casamento de suas amigas, o qual ela faz com o maior empenho, embora isso a desgaste.
O filme começa com a preparação para mais um casamento... ou seriam dois? Jane passa a noite toda indo de um casamento para outro, trocando de roupa e acessórios de madrinha dentro de um táxi em movimento. Enquanto um casamento é mais social, outro é indiano, ou seja, imaginem como deve ser a troca de roupa!
O mais incrível disso tudo é que ninguém nota a falta dela e ela sempre chega a tempo para os momentos mais importantes como a cerimônia, lançamento do buquê, dança, corte do bolo e até dos agradecimentos das amigas direcionados a ela.
Quando ela sai para realizar a troca mais uma vez, chama a atenção de um jornalista que está presente em um dos casamentos. No momento em que ela volta, ao tentar pegar o buquê, ela acaba sendo empurrada e bate com a cabeça. Trágico? Eu diria cômico.
Jane é acudida pelo jornalista que se apresenta como Malcom Doyle. De início, ela não liga que ele é quem escreve os artigos do The New York Journal para a seção de 'Casamentos', textos que sempre a fazem se emocionar.
Ao contrário do cara emotivo que aparece nessa coluna, Malcom se mostra um verdadeiro chato e cético quanto a casamentos. Isso, obviamente, irrita Jane profundamente.
Suas vidas são entrelaçadas mais uma vez com a chegada da irmã mais nova de Jane e a repentina paixão dela pelo chefe da irmã mais velha. O romance se diz tão forte que logo o casamento está marcado e Jane, impossibilitada de dizer não para sua irmãzinha, concorda em arranjar todos os preparativos do casamento.
Sua vida se torna um inferno. Jane se dá conta de que por muito tempo deixou que as pessoas lhe dissessem o que deveria fazer e, ao ver que sua irmã está lhe tomando seu bem mais precioso, ela decide dar um basta em tudo.
Quem fica ao seu lado e parece nunca ajudar em nada é Kevin (ele usava o nome Malcom para assinar suas colunas) que, depois de um artigo publicado sobre as compulsivas participações de Jane em casamentos como madrinha (27 no total) se mostra como mais um pedaço da vida da moça que insiste em desmoronar.
Diante de uma irmã que lhe roubou o amor de sua vida, um chefe que só a vê como uma submissa incapaz de dizer 'não' e um jornalista abusado que se aproveitou de seu drama pessoal para conseguir uma promoção, Jane sente a ficha finalmente cair. Será que a vida que sempre sonhara para si não passava de mera ilusão? Quem seria o noivo ideal, o qual a esperaria um dia no altar enquanto ela fizesse sua grande entrada, dessa vez, como o centro das atenções?
Só no meio de muitas risadas você há de descobrir. Um filme altamente recomendado para assistir com as amigas para discutir o 'par ideal' com um desfecho mais do que merecido!

Nota:

Boa semana a todos!
xx

Nenhum comentário: