quarta-feira, 20 de abril de 2011

#Resenha: Diários Do Vampiro - O Retorno: Anoitecer - L.J. Smith (Book Challenge - Dia 15)

Boa tarde!

Finalmente estou livre da escola por quatro maravilhosos dias! Resolvi dar um up e andei lendo durante as aulas #badgirl já que não conseguia me concentrar mesmo. Hoje dei uma arrumada no blog, acrescentei novos marcadores, inseri o Feed (agora está tudo certo com ele) e mais tarde vou reorganizar os posts de modo a deixar a estética mais clara e límpida.
Agora, se você visita o blog, mas tem preguiça de deixar um comentário, basta rolar até o final dos posts e selecionar uma das quatro opções: adorei, muito bom, bom, não gostei e pronto! Já estará deixando sua marca no blog!
Se quiserem, podem ficar bisbilhotando, aos poucos vou acrescentando mais detalhes e melhorias!


Diários do Vampiro: O Retorno #01 - Anoitecer
Autora: L.J. Smith
Editora: Galera Record
Número de páginas: 444
Sinopse: "O quinto livro começa com Elena voltando dos mortos. Ela volta do além com poderes humanos, o que faz seu sangue pulsar com uma força esmagadora e única, sendo irresistível para todos os vampiros. Stefan está convencido em manter Elena segura e pretende deixar Fell’s Church. Damon, porém, é impulsionado por um desejo insaciável de poder, e quer que a Elena como sua princesa. Quando Stefan é afastado de Fell’s Church, Damon tenta convencer Elena que ele é o irmão que ela deveria ter escolhido, mas a escuridão está infiltrando a cidade e, agora Damon que sempre foi o caçador, está sendo a caça. Ele é a presa de uma criatura maléfica que pode possuí-lo à vontade que deseja não somente o sangue de Elena, como também sua morte."

Esse foi um dos livros que mais me decepcionaram durante o Book Challenge. Já fazia algum tempo que eu havia lido a quadrilogia e havia gostado do jeito que ela tinha terminado. Com a Elena voltando dos mortos.
Entretanto, eu não poderia imaginar que o quinto livro de Diários do Vampiro chutaria tão forte o pau da barraca no quesito fantasia.
Ter Elena de volta dos mortos, ótimo, que legal! Mas tê-la como um balão de gás hélio e com comportamento de bebê já são outros quinhentos. L.J. meio que forçou a barra ao fazer da Elena metade espírito metade humana e o Stefan, todo atencioso e calmo, tentando ensinar a ela tudo de novo. A ler, a falar, a comer, a sentar. Tudo! Era um bebê em corpo de adolescente.
Como se já não bastasse isso, a maldade de Damon para com o irmão com a finalidade de tomar Elena, chega ao extremo e ele aceita fazer um acordo com um demônio (veja só, o Damon não é mais suficiente sozinho, precisa de um demônio para isso!) chamado Shinishi (olha o nome da criatura!). O acordo, como é de se esperar, é unilateral e o demônio sai ganhando. Ele possui o corpo de Damon e, a partir daí, parte para o plano de dar um sumiço em Stefan.
Ao mesmo tempo, Elena volta a ser a adolescente mimada e mandona que conhecemos no começo da série do nada. É, em um momento ela não passava de um balão de gás e no outro já voltou sabendo de tudo. Ela tem a ajuda das amigas Bonnie e Meredith e do Matt para começar a procurar por Stefan que não deixou aviso nenhum sobre onde possa ter ido.
Damon está empenhado em fazer Elena acreditar que Stefan a deixou, mas demora um pouco de tempo para que ele perceba que não há nada que possa fazer, ela nunca desistirá. Então ele começa a notar que o demônio está, vamos dizer, folgado demais e acaba por obrigá-lo a fazer coisas que, em sã consciência, ele não faria, mesmo porque essas ações colocam a vida de Elena seriamente em risco.
Mesmo assim ele não consegue se redimir com a jovem loira e passa a lutar contra esse demônio. Enquanto isso, os amigos de Elena presenciam acontecimentos assustadores e Matt é até acusado de assassinato. O que me irritou muito nesse livro foi a criação de um contexto beirando o absurdo, com a presença de dois demônios (Shinishi tem uma irmã gêmea), colocando os vampiros em segundo plano. Além disso, o estado de espírito e físico de Elena fez com que eu preferisse que ela nunca tivesse voltado do mundo dos mortos.
Caroline teve participação nessa história também, representando a amiga invejosa, louca e facilmente influenciada pelas forças do mal. Ela tenta atingir Elena, mas tudo o que consegue é o mal para si mesma.
Na minha opinião, Diários do Vampiro deveria ter parado na quadrilogia inicial. Sinceramente não sei o que esperar do sexto livro, Almas Sombrias. Realmente espero que as coisas fiquem melhores e menos inacreditáveis.
Para não dizer que só falei mal do livro, quando estava chegando aos últimos capítulos, depois de Damon ter se livrado dos demônios, achei que a história estava ficando melhor. Mas aí, o livro acabou. Chega até a ser irônico. Uma pena, L.J. tinha se tornado uma das minhas autoras preferidas.

Nota:
(deixou MUITO a desejar)

xx

Um comentário:

★★ GIZA ★★ disse...

ADOREI A RESENHA FLOR.
SOU LOUCA POR ESSA SÉRIE.
BEIJOS