segunda-feira, 16 de maio de 2011

#Resenha: A Garota Americana - Meg Cabot (Book Challenge - Dia 23)

Boa tarde!

Nossa, dia corrido, comecei bem ocupada essa semana. As provas começam oficialmente amanhã e vão até o infinito e além, pelo menos até o finalzinho de junho. hehe
Estou adorando os comentários que tenho recebido ultimamente, por favor, continuem assim! Adoro entrar no painel do Blogger e ter novas opiniões a moderar!
Perceberam que o Book Challenge está chegando ao final? Pois é, essa semana mesmo eu já termino! Vamos a mais uma resenha da diva Meg Cabot?


A Garota Americana
Autora: Meg Cabot
Editora: Record
Número de páginas: 352
Sinopse: "A GAROTA AMERICANA acompanha o cotidiano de Samantha, uma típica garota americana, que leva uma vida muito parecida com a de tantas outras meninas de sua idade. Até que um dia resolve matar aula de arte e, por acaso, salva o presidente americano de uma tentativa de assassinato. Samantha logo vê sua vida virar de cabeça para baixo ao ser nomeada embaixadora da ONU, sem saber exatamente o que o cargo significa."

Samantha é a filha do meio de três meninas. Enquanto a mais velha é bonita e popular e a mais nova é um prodígio, Sam se sente excluída pela família que nunca espera demais dela. Ela tem um ótimo talento com o desenho e, por isso, é posta na aula do Estúdio de Arte Susan Boone onde aprenderá novas técnicas. Mas quem disse que Sam está disposta a 'enxergar' o que todos os outros alunos já fazem tão bem?
É em uma dessas aulas que Samantha conhece David, um garoto que gosta de seu estilo de se vestir (toda de preto, depois de um ato de rebeldia que enegreceu todo seu guarda-roupa) e que, mais tarde, se revelará mais importante do que ela imaginava.
Um dia, cansada das aulas de Susan Boone, onde ela não lhe permite desenhar do seu jeito, Samantha decide cabular aula. É um dia de muita chuva e, por isso, não corre o risco de ser vista quando sua empregada vier lhe buscar. Só que o momento de lazer toma um rumo inesperado quando o Presidente dos Estados Unidos está de visita naquele bairro e, quando ela percebe um homem tentar atirar nela, Sam rapidamente se joga em cima do [editado] atirador, fazendo com que ele erre o alvo e o presidente fique a salvo. [/editado] (obrigada Lygia (; )
Ela ganha um braço quebrado com a queda, mas mal sabia ela que esse seria o menor de seus problemas. Sam vira uma celebridade e, com a total gratidão do presidente, de sua mulher e de seu filho David (mas ora, vejam! É o garoto da aula da Susan Boone) passa a visitar a Casa Branca e ganha o título de embaixadora teen da ONU. Um sonho não?
Bem, nem tanto assim. Sam sempre foi muito tímida e, ter a imprensa inteira colada em cada passo que ela dá, não é a melhor opção de se subir na vida. Ao mesmo tempo em que tenta conciliar sua vida no colégio, na aula de pintura da Susan Boone (que agora ela faz questão de frequentar) e com seus afazeres de embaixadora da ONU e, além disso, Sam precisa equilibrar seu crescente interesse por David e suas dúvidas sobre se o sentimento é recíproco.
Sempre amo a forma como a Meg Cabot escreve e, dessa vez, não foi diferente. Cada finalzinho de capítulo traz uma lista com as dez coisas do momento. Sam é uma menina de quinze anos e sua diva é a cantora Gwen Stefani. Imagine como foi para Meg entrar na cabeça de uma menina de 15? Como sempre, ela se saiu muito bem e com a narrativa fluente e super engraçada, retratou os momentos de dúvida, apreensão e ansiedade de Sam.
Não pense que ela criou uma garota perfeitinha, porque isso não é do feitio da Meg. Na verdade, como grande parte de suas personagens, Sam sabe se impor e decidir o que quer. Teimosa e independente, Samantha faz com que nos identifiquemos com ela , principalmente aquelas que tem 15 anos. Conta tudo sobre suas inseguranças com o primeiro amor, David e como a vida, por mais que possa parecer um conto de fadas ter a fama, não é tão fácil assim.
As relações de Samantha com as irmãs evoluem ao longo do livro e você realmente começa a gostar das duas irmãs, já que, confesso, no início fiquei com raiva delas. Acho que o título diz tudo, o enredo trata exatamente o perfil de uma garota americana: moradora de Washington D.C., a relação com o prefeito e seu crescente papel na mídia e na ONU, a maior organização mundial e que serve de intermediária para todas as situações no mundo.
Uma leitura rápida, divertida e que, se você é fã da Meg, vale a pena conferir!

Nota:

xx

3 comentários:

αmαndα ツ disse...

Meg é Meg! UAHSUA*
Adoro esta escritora, ela é simplesmente perfeita! *-*

Beijinhos, :*

Carolina disse...

Li faz tanto tempo, mas adoro esse livro. É bem no estilo da Meg, bem adolescente, mas como sempre apaixonante.
Adoooro o David! (L)

Beijos xx

Lygia Netto disse...

Oiii..
Adoro a Meg, mesmo os plots dela sendo bobinhos, hahaha.

Li A garota americana semana passada e adorei!!! =)
E gostei da sua resenha tbm, só uma coisinha..a Sam não se joga em cima do presidente e sim em cima do atirador, de forma que este erra o tiro. Tanto, q ela fica com o braço quebrado e com vestígios de pólvora na roupa (que, posteriormente, servem como provas). ;-)

Beijos