quinta-feira, 26 de maio de 2011

#Resenha: Lua Azul - Alyson Noël (Book Challenge - Dia 27)


Os Imortais #02 - Lua Azul
Autora: Alyson Noël
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 256
Sinopse: "Ever é agora uma imortal. Iniciada nesse mundo desconhecido e sedutor por seu eterno amado, Damen, está empenhada em conhecer e dominar suas novas habilidades, mas algo terrível começa a acontecer. Acometido por uma doença misteriosa que ameaça, inclusive, sua memória, Damen não percebe que seus poderes se estão esvaindo – enquanto Ever se sente cada vez mais forte.
Desesperada para salvá-lo, ela viaja até a dimensão mística de Summerland, onde não apenas toma conhecimento da misteriosa história de Damen, brutal e torturante, mas também tem acesso aos segredos que regem o Tempo.
Com a lua azul que se aproxima, anunciando uma oportunidade única de se projetar para o passado ou para o futuro, Ever é forçada a decidir entre voltar no tempo e impedir o acidente que tirou a vida de toda a sua família ou ficar no presente e salvar Damen, que parece definhar a cada dia."

Resenhas anteriores:

Nesse segundo volume, Damen e Ever estão finalmente juntos, sem a interferência de Drina e podem seguir com o plano da eternidade que as almas gêmeas estão sempre dispostas a seguir. Ele apresenta a Ever um lugar muito especial chamado Summerland, onde não há tempo e tudo o que você deseja pode se tornar realidade. Summerland passa a ser o refúgio dos dois do mundo humano, um lugar só deles.
Mas, a partir desse livro, vamos aprender que nem tudo na narrativa da Alyson é para dar certo e, digamos que é em Lua Azul que a história começa a ficar cansativa e cheia de desventuras. A começar pela chegada de Roman. Ele é um rapaz maravilhoso que tinha relações com Drina e, vejam só, é um Imortal!
Rapidamente ele se torna popular na escola e as coisas começam a ficar estranhas. De repente, mas, ao mesmo tempo, gradativamente as pessoas ao redor de Ever começam a lhe dar as costas. Roman é o novo centro do mundo deles e parecem ficar enfeitiçados. Até mesmo Damen, tão forte e vivido, é alvo das peripécias do Imortal que está na cidade em busca de vingança para a morte de Drina.
Eu, no lugar de Ever, vendo todos os meus amigos e, principalmente, meu namorado dando as costas para mim, me ignorando e me desprezando, meu Deus, não saberia o que fazer a não ser chorar! Isso foi algo que me fez gostar do segundo livro até certo ponto, quando a autora explorou essa personalidade e espírito forte de Ever para enfrentar tudo literalmente sozinha e, assim, tentar recuperar as pessoas que ela ama.
Nesse momento, Ever vai a Summerland em busca de respostas e adentra os Registros para poder descobrir como fará Roman devolver-lhe seus amigos e principalmente Damen. É quando ela esbarra na história de sua alma gêmea, mas, insegura em ver as partes dele com Drina, resolve pular para o futuro e o que ela vê não é nada agradável.
Ever tem conhecimento de que, com a chegada da Lua Azul, ela será capaz de voltar no tempo; ou, então, poderá ficar e salvar a vida de Damen. Mas será que ela vai querer isso quando poderá muito bem voltar para sua família e impedir o acidente de carro? Já que Damen parece tão feliz com Stacia, por que ela deveria desistir dessa oportunidade única?
Eu não gostei de Roman desde o começo, apesar dele ser um sonho de consumo, todo bonito e sedutor. E, como disse antes, no lugar de Ever, sozinha e ignorada, eu teria desistido sim. Mas ela foi forte, enfrentou sua solidão e a tormenta de Roman e acabou tomando sua decisão.
E, bem, é aí que os problemas do livro, e da série, começam. Na minha opinião, esse massacre e os erros que Ever cometerá, nada mais são do que falta de conhecimento e o egoísmo das pessoas a sua volta em explicar a ela quais são as consequências de determinada decisão. É claro que os erros podem ser impulsivos e babacas na maioria das vezes, mas tentem entender o lado dela também, quando lerem, Ever está sozinha, assustada e com medo de perder tudo o que ela tem ganhado desde o acidente. As gêmeas Romy e Rayne, que vivem em Summerland, são exemplos de conhecimento mal utilizado. Elas não dizem a Ever o que vai acontecer ou o que pode acontecer quando o ponto alto do livro chega e Ever comete um erro quase fatal.
Roman terá um papel importante na modelagem dessa insegurança de Ever e a usará a seu favor. Isso pode deixá-los com raiva, assim como me deixou, mas penso que, se não tivesse esse final surpreendente, talvez a série não pudesse continuar.
Entretanto, nos próximos livros, Alyson peca pela excessividade e acaba por deixar a série maçante e, adivinhem só, com cara de Desventuras em Série, como do Lemony Snicket. Aguardem as próximas resenhas para saber!

Nota:

xx

2 comentários:

Carolina disse...

Lua Azul e Terra das Sombras são difiiiiceis de engolir HAHA Não sei como consegui ler os dois. Amei Para Sempre e me decepcionei bastante com os dois seguintes, mas Chama Negra deu uma melhorada, deu pra engolir e esperar pelo próximo HAHA A Alyson peca demais nessa história, uma pena, já que ela é ótima!

Beijos xx

Mariana Ribeiro disse...

Olá, Vê!
Adorei a sua resenha!! Após a leitura, fiquei ainda mais intrigada sobre essa série.
Tem pessoas que amam e outras que odeiam essa série rsrs. Quem sabe eu consiga acompanhar a série Os Imortais algum dia? rs
Bjos.

Mariana Ribeiro
Confissões Literárias.