sexta-feira, 1 de julho de 2011

#Indicação - Filme: O Diabo Veste Prada

O Diabo Veste Prada (The Devil Wears Prada) - 2006
Com estilo interiorano e inocente, Andy Sachs (Anne Hathaway) parece ter caído de pára-quedas na cosmopolita e intensa Nova York. Recém-formada na faculdade de jornalismo, ela se muda para a Big Apple ao lado do namorado Nate e sai em busca de um emprego.
Finalmente consegue uma entrevista na badalada revista de moda Runway Magazine, comandada pela impetuosa e obcecada editora Miranda Priestly (Meryl Streep) considerada a Dama de Titânio da moda mundial, ao lado de Emily.
Este, sem dúvida, é um dos melhores filmes de Meryl Streep e Anne Hathaway. As duas são minhas atrizes favoritas e o trabalho delas nesse filme, para mim, é épico. A fotografia, a bela e movimentada Nova York, os figurinos, roupas finíssimas e extremamente fashion. Tudo aponta para este filme como uma ótima escolha a qualquer hora, a qualquer dia da semana.
Desde o começo, acompanhamos como Andrea e outras garotas se preparam, de modos extremamente diferentes, para procurar um emprego, o emprego dos sonhos. E é redirecionada pelo RH da empresa do mesmo prédio que Andy acaba na redação da Runway, a mais badalada revista de moda de toda NY.
Seu jeito de se vestir, completamente fora de moda e horripilante imediatamente faz com que Miranda, a editora-chefe, a dispense logo depois de ela pisar dentro de seu escritório. Mas com a garantia de que é esperta e consegue fazer bem o que faz, Andy acaba ficando com o emprego e sua saga começa.
Trabalhar para Miranda é o sonho de todas as garotas que são fãs da moda, então, desde o começo, Andy é atormentada pela assistente pessoal de Miranda, Emily. Uma garota extremamente arrogante e altruísta, capaz de passar a perna em todos em seu caminho apenas para garantir a viagem para a semana de moda em Paris.
Andy logo percebe que sua aceitação e seu trabalho não serão nada fáceis, principalmente com uma chefe tão exigente. Ela pode até tirar sarro das pessoas que se matam pela Runway, mas precisará fazer melhor se quiser conseguir manter o emprego. Enquanto é inserida no mundo de Miranda Priestly, Andy decide que precisa dar o seu melhor e que só assim conseguirá subir na vida. Mas até onde a sua dedicação poderá suportar todas as outras partes de sua vida que não a profissional?
Durante todo o filme somos guiados através da mudança de personalidade de Andy (e de gosto para roupas, vamos ressaltar), ao mesmo tempo em que seus valores de estudante do interior, com um namorado que ganha pouco e com um sonho de escrever para um jornal, são rapidamente sugados para baixo da magnificência da Runway e o mundo da moda. É incrível como Andy se vê presa nesse labirinto que se tornou sua vida e, em determinado momento, precisa achar a hora de dizer chega, pois viver para o trabalho, afinal de contas, não era aquilo que ela tinha imaginado em primeira mão. Talvez às vezes precisamos nos ater ao que realmente queremos e não ao que a vida nos oferece. Pode ser o caminho errado.

Nota:

Um comentário:

Patrícia disse...

Eu gostei muito desse filme, achei bem realista.
E o que eram aquelas roupas e sapatos?! Quase morri querendo todos *-*

=*