segunda-feira, 25 de julho de 2011

#Resenha: Como Se Livrar De Um Vampiro Apaixonado - Beth Fantaskey

Boa tarde!

Demorei um pouco para aparecer, mas agora que estou aqui vamos ao que realmente interessa. Obrigada a todos os comentários, novos seguidores e os votos na minha enquete! Estou muito feliz com toda a repercussão e espero poder, em breve, lançar uma nova promoção que será ainda mais longa! Todos preparados? Ainda não? Tudo bem, dá tempo. Só estou esperando uma confirmação e eu já lançarei.
Mas hoje é dia de resenha, certo? Vamos lá!


Como Se Livrar De Um Vampiro Apaixonado
Autora: Beth Fantaskey
Editora: Sextante
Número de páginas: 295
Sinopse: "Casar-se com um vampiro certamente não estava nos planos de Jessica Packwood para seu último ano escolar. Mas quando um novo aluno esquisitão (e muito gato) chamado Lucius Vladescu aparece do nada, dizendo que Jessica pertence à realeza vampírica e está prometida em casamento a ele, futuro líder do clã mais poderoso dos vampiros, ela é obrigada a rever seus conceitos. Se a garota ainda nem beijou na boca, como pode sequer pensar em um compromisso eterno? Armada com uma autoconfiança recém-adquirida, Jessica passa por uma transformação drástica de adolescente nerd americana para princesa vampira europeia nessa sátira cheia de reviravoltas e surpresas."

Muito provavelmente, este é o livro cuja resenha será a mais difícil de fazer. Talvez seja por causa da época em que eu o li e, assim, fiquei com essa impressão ou errada, ou seja porque eu interpretei dessa forma e assim ficou. Eu li “Como se Livra de um Vampiro Apaixonado” enquanto estive em casa pelo meu problema de pedra no rim. Era a única coisa que eu conseguia fazer e que aliviava a dor, mesmo que por pouco tempo.
Na primeira metade da estória eu me diverti muito; Lucius interpretava aquele romântico que assusta e suas tiradas sarcásticas para cima de Jéssica davam um ar mais leve ao livro. Ele veio da Romênia com um único objetivo: se casar com Jéssica/Anastasia e, assim, manter o pacto que seus pais haviam feito e evitar uma guerra entre os vampiros. Como toda garota lógica, Jéssica não se deixou levar e taxou Lucius de louco. Por mais que ele tentasse se aproximar dela e insistir que o pacto deveria ser cumprido a todo custo, Jéssica, como toda garota independente e pega de surpresa, fez questão de ignorar tudo e tentar aproximar Lucius do que ela considerava ser a lógica de seu pensamento e a única lógica plausível.
Entretanto, os esforços de Lucius se mostram na carta para seu tio Vasile. Cartas sempre carregadas de sarcasmo e muito engraçadas também. Mas quando ele começa a entender o que Jéssica sempre quis dizer, tudo muda, a perspectiva dele muda drásticamente. E é aí que meu gosto pelo livro também toma o mesmo rumo. Os vampiros mais velhos vem com a intuição de convencer Lucius a seguir com o pacto do jeito que eles sempre o ensinaram: através da força física.
Já com a cabeça mudada e os papeis invertidos, afinal, agora é Jéssica que insiste em seguir com o pacto, Lucius despencou no meu conceito vertiginosamente. Ele deixou de ser o rapaz romântico e sarcástico que tentava ganhar o coração e a atenção de Jéssica. Ao invés disso, ele se afasta completamente dela e passa a ignorá-la de uma forma que fez o meu coração partir. Pode ser bobo, mas eu me senti triste em muitas partes do livro, principalmente quando Jéssica observava Lucius se divertir com outra garota, a garota que ela odiava. Ele mudou completamente e passou a desprezá-la.
Tudo bem, vocês podem me dizer: “Ah, mas ela fez isso com ele no começo do livro.” Só que não é a mesma coisa. Jéssica não sabia de nada sobre Lucius e como ele vivia, ela se negava a forçar sua mente lógica a acreditar naquela loucura toda de vampiros. E, mesmo que Lucius tenha tentado, sinto como se ele abandonasse rapidamente o posto e decidisse seguir para sua própria felicidade. O que, mais tarde, não deu certo.
Para mim, o sofrimento imposto a Jéssica na segunda metade do livro foi contra as minhas expectativas. Eu me perguntava o que ela havia feito para merecer um rapaz que não dava a mínima para ela, se antes só faltava lamber o chão que ela passava. Essa mudança repentina na personalidade de Lucius me incomodou de tal forma que eu terminei o livro com um gosto amargo na boca. Me senti completamente desiludida sobre a continuação e, embora o final tenha parecido mais como uma tentativa da autora de consertar toda a besteira que ela fez ao destruir a imagem de Lucius que eu tinha aprendido a gostar, ainda assim continuei lendo com um pé atrás. Fiquei achando que ele nunca mais seria o mesmo e ele não foi.
Lucius se tornou sombrio, sem sentimentos, um completo estranho. Talvez eu tenha me apegado muito a sua tentativa de ser boêmio e, assim, acabei ficando com raiva. Pode até ser. Mas duvido que no próximo livro ou, até mesmo, na curta estória que Beth escreveu sobre o casamento deles, eu volte a gostar dele como gostava na primeira parte. Jéssica, no final das contas, precisou enfrentar sua lógica, aderir a uma cultura completamente diferente da dela e assumir responsabilidades tudo isso sozinha. Então eu parava para pensar: “Ora, onde está Lucius que deveria ajudá-la nisso?” Ele estava muito ocupado sendo sombrio e assustador, talvez o que ele tinha sido durante todo aquele tempo, só que com uma máscara de moço educado e acuado pelas agressões físicas impostas por seu tio Vasile.
Só preciso dizer que eu esperava um final menos desgostoso que esse, esperava que o livro mantivesse o humor do começo, que fosse uma leitura leve e divertida. Infelizmente eu me decepcionei muito com essa mudança brusca no comportamento de Lucius e, para mim, foi o suficiente para acabar com todas as minhas expectativas sobre o livro. Uma pena, pois eu gostaria que a estória tivesse se desenrolado de outro jeito. No entanto, pretendo dar uma segunda chance ao casamento de Lucius e Jéssica/Anastasia e, depois, para sua continuação. É provável que Jéssica seja uma menina muito mais forte e independente do que pensei no início e, ela sim, será capaz de me surpreender. Porque eu não espero nada mais de Lucius, muito menos que ele me reconquiste.
Resenha um pouco sombria? Eu sempre achei que seria difícil para mim escrever sobre o livro, principalmente porque eu me senti tão mal depois de tê-lo terminado que eu achei que não conseguiria escrever sobre ele. Beth começou chamando a minha atenção e me fazendo pensar que seria uma estória leve e divertida, mas depois eu me senti pesada e triste com o rumo que ela tomou. Uma pena, já que tinha lido tantas resenhas positivas desse livro e foi justamente o que me levou a lê-lo. Ainda me considero em cima do muro, espero que consiga mudar de ideia e, quem sabe um dia, torne a ler “Como se Livrar de um Vampiro Apaixonado” com outros olhos e definitivamente goste. Quem sabe...

Nota:


4 comentários:

Juliana Neves disse...

Concordo com você em relação a mudança de personalidade dele. Na verdade, eu era bem Team Jake no começo, hahaha, mas quando eu estava começando a simpatizar com o Lucius, ele muda completamente.
Eu realmente não queria que eles tivessem terminado juntos. Não que eu seja contra os finais felizes, muito pelo contrário, eu só não achei que combinasse com a história.
O Lucius se apaixonou por ela... ok, mas não precisava armar todo aquele circo, ele poderia ter simplesmente voltado para a Romênia, se ele estava tão disposto assim a viver com as conseqüências. E não torturar a pobre da Jéssica, ficando com quem ela mais odeia, e desprezando ela. Foi ridículo da parte dele. :/
Se é para eles ficarem juntos, acho que seria muito mais bonito ELE abrir mão do mundo dos vampiros, do que ela mergulhar nele, sabendo o perigo que ela correria :/ fiquei muito revoltada.
Não pude simplesmente falar essas coisas na minha resenha, para não soltar spoilers. Hahaha
As continuação não é prioridade, mas vou ler, algum dia.

Beijos,
Julie
http://www.booksjournal.org/

Bárbara Lorentz Melgaço disse...

Eu adorei o livro, sério.
Não sei porquê, mas eu ri tanto. O Lucius é tão, mas tão cômico, que me fez soltar várias gargalhadas.
A Jéssica, meu Deus, demorando pra aceitar o fato de que era uma vampira, isso me fez até ficar com raiva, apesar de ter gostado disso (não foi, tipo "Oi, você é uma vampira" "Ah, sério? Oba!")
Espero que um dia você leia de novo e consiga gostar.
Beijos

Duda Menezes disse...

Humm, também havia lido muitas resenhas positivas a respeito desse livro, mas agora você me deixou com um pé atrás! Não gostei do rumo que as coisas tomaram e pelo que todo mundo andou dizendo achei que era uma leitura super leve e divertida! Bom saber porque já foi mais pra trás na minha listinha :)
Bjs!!

Thais Priscilla disse...

Achei esse livro bem legal mas o final nao foi o que eu esperava .

Beijocas,
Thais P.
http://thaypriscilla.blogspot.com