domingo, 3 de julho de 2011

#Resenha: A Estrada da Noite - Joe Hill (Mini Book Challenge - Dia 1)

Boa tarde!

Achei que não viria postar aqui hoje, estava tão concentrada em uma fic que simplesmente não conseguia parar de escrever. Mas tive que me separar dela para fazer algumas visitas de família e, agora que voltei, resolvi vir aqui primeiro antes que, novamente, fosse sugada pelo processo criativo!
Dei uma passeada pelo blog e vi que vários de vocês andam utilizando a barra de reações, isso é muito bom! Adorei ver a opinião e perceber que realmente existem seres vivos transitando pelo blog (exagero de minha parte, eu sei). Continuem assim hein? Daqui a pouco vocês se sentem mais seguros e partem para o comentário! o/
Para estrear nosso Book Challenge...

A Estrada da Noite
Autor: Joe Hill
Editora: Sextante
Número de páginas: 320
Sinopse: "Uma lenda do rock pesado, o cinqüentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta.
"Vou ´vender´ o fantasma do meu padrasto pelo lance mais alto..."
Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Sempre às voltas com seus próprios fantasmas - o pai violento, as mulheres que usou e descartou, os colegas de banda que traiu -, Jude não tem medo de encarar mais um.
Mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora."

Esse foi, desde Diários do Vampiro - A Fúria, o melhor livro de terror que eu já li. A escrita de Joe me cativou e me manteve presa desde o começo, assim como Jude fica com o fantasma logo depois de comprá-lo. Vou dizer logo no começo que eu não consegui imaginá-lo cinquentão... achei meio nojento por ele ter namoradas tão jovens, então o imaginei o livro todo como um jovem bonitão e trintão! Funcionou!
Enquanto eu lia, pensava que a estória giraria em torno dele e de sua atual namorada, Marybeth, mas depois que ele adquire o fantasma de Craddock, um charlatão hipnotizador, a trama se torna muito maior do que ele e a moça, todas as linhas que o levam pelo passado se esticam e são testadas ao limite. Sua antiga namorada, Anna, vivia em depressão e tinha crises que ele, sendo um astro do rock e impaciente, pagando de gostosão, não tinha muita cabeça para suportar. Mas quando ele a manda embora, pouco tempo depois a notícia de que ela se matou o choca demais.
Ao longo das páginas, vemos como o fantasma, que está atrelado a um paletó que veio em uma caixa preta em formato de coração, praticamente compete com Jude pelo destaque na trama, digamos que são três personagens principais cruciais. A todo momento você é surpreendido por algo inesperado e apenas a descrição do fantasma de Craddock já foi o suficiente para me assustar. Eu sou daquelas que, quando lê o livro, gosta de entrar de cabeça na estória, como se estivesse vivendo um filme, e eu não gostei nada do que estava vendo.
Nas primeiras noites, precisei dormir com apenas o nariz de fora. Bobo não é? Não se você se depara com a escrita de Joe Hill. Esse homem sabe como escrever uma estória de terror e te deixar tão tenso como se estivesse assistindo a um thriller. Cada capítulo eu só torcia para que a situação de Jude e Marybeth não piorasse, mas com um morto os seguindo, quem estaria a salvo? Eles foram praticamente obrigados a sair de casa ou levariam muitas pessoas inocentes com eles!
Com a habilidade de hipnotizador, Craddock a todo momento tentava forçar Jude a matar a namorada e, em seguida se matar, mas o roqueiro se mantém forte e, para isso, ganha muitos ferimentos, apenas para que a dor o afaste do controle dele. Eu tive que parar de ler muitas vezes, pois as descrições dos ferimentos chegavam a me arrepiar por inteira, simplesmente algo que vemos em Jogos Mortais... precisa-se de estômago forte (e olha que eu não tenho!).
E a cada vez que eles buscavam ajuda na casa de algum conhecido, colocavam essa pessoa em perigo; uma delas foi o assistente de Jude, Daniel. A cena em que ele liga para Jude logo depois de partir da casa por medo, foi a que mais me marcou no livro inteiro:

"— Estive pensando, chefe. Em como cheguei até aqui. Como acabei nesta estrada no
escuro.
— Como foi isso?
— Eu me matei. Me enforquei algumas horas atrás. Esta estrada no escuro... é a morte.
O couro cabeludo de Jude formigou, uma sensação viscosa, glacial, quase dolorosa.
— Minha mãe - disse Danny — se enforcou exatamente do mesmo modo. Só que ela fez
um trabalho melhor. Quebrou o pescoço. Morreu instantaneamente. Eu perdi a coragem no
último segundo. Não caí com força suficiente. Fui estrangulado até a morte."


(Capítulo 17 - página 85/86)

Sinistro não é? Não se preocupem, vocês se sentirão assim o livro inteiro. Mas o final valerá a pena, muito. Uma coisa que me incomodou no livro foi a tradução do título. O original é Heart-Shaped Box, o que faz muito mais sentido, pois o paletó do falecido vem em uma caixa em formato de coração e é daí que toda o conflito do livro tem início. Porém, conforme vamos lendo o livro, percebemos que A Estrada da Noite também se encaixa, afinal, uma das muitas músicas/falas que o morto insiste é que ele e Jude seguirão pela estrada da noite, cantando. Mas você precisa ter avançado na estória para encontrar as falas e cantorias.
Mesmo que seja difícil de se acreditar, existem alguns momentos cômicos no livro, bem como momentos em que você pode ficar com os olhos lacrimejando ou, então, um que você lê e diz: "Oh yes, agora sim!" É tudo uma bola de neve que fica maior, maior, maior, até que na reta final, ela explode. E as últimas cenas você tem que prender a respiração, pois acha que tudo estará acabado.
O final verdadeiro? Só lendo para saber! Uma estória de terror excelente, extremamente bem escrita. Mesmo morrendo de medo de algumas coisas e ficando arrepiada com os ferimentos, valeu a pena cada tremor, cada nó no estômago de ansiedade. Joe soube conduzir o livro até suas linhas finais com louvor, não deixando nem um pouco a desejar. Super recomendo!

Nota:


3 comentários:

- LoolaB disse...

lembro bem do quanto quis esse livro quando ele estava por R$ 9,90 no submarino...
Mas eu não tive coragem! Os livros me afetam muito, principalemte porque tenho o costume de ler a noite. Se lendo academia de vampiros eu sonhei com um ataque Strigoi a minha escola, imagina eu lendo um livro desses? NEM QUERO IMAGINAR!
OSKOPAKSOKAPOKSAOPKSAOKS
Tua resenha me deixou curiosa! :X
Mas e a coragem, cadÊ? :D
Beeeijos flor! :*

@pirulitolimao

Eduarda Menezes disse...

Não sou muito fã de livros de terror, pois sou medrosa demais e como você mesma disse, também costumo mergulhar de cabeça na história e esquecer o mundo ao redor então acabo não lendo muitos do gênero, mas um autor que gosto bastante é o Stephen King, já leu algo dele? Vale muito a pena!
Já tinha escutado falar desse livro do Joe Hill, mas só a resenha já me assusta um pouco então não sei se irei me aventurar por aí rs!
Te indiquei para um Meme literário lá no meu blog. Se puder dá uma passada por lá depois pra conferir ^^
Bjs, Duda
http://boookaddict.blogspot.com/2011/07/meme-literario-1.html

Patrícia disse...

Eu tenho vontade de comprar esse livro desde que ele custava 9.90 no submarino, mas não sei por qual razão não comprei --'
Nunca li um livro que poderia ser classificado como terror,então gostei da dica desse livro :)

=*