quarta-feira, 10 de agosto de 2011

#Resenha: Vítimas do Silêncio - Janethe Fontes (Mini Book Challenge - Dia 6)

Ai meu Deus, eu sei! Estou super em falta com o blog! Eu até ia postar no domingo e depois, e depois, e depois... mas vocês não sabem o quanto ando cansada. Não só fisicamente, mas mentalmente também e olha que as provas nem começaram! O fato é que eu não aguento mais a escola, é. Preciso de férias prolongadas, um bom tempo longe de tudo e acho que resolveria. Mas como poderia conseguir isso se eu moro do lado da minha escola? É bem como não ter para onde correr!
Mas tudo bem, hoje eu tiro o atraso (tenebroso) dos posts e me desculpem! Ainda assim recebi muitos comentários no post de curiosidades e fiquei muito feliz ao ver que vocês realmente gostam do horário de verão! Hahaha
Ok, chega de enrolação, vamos que estamos atrasados!

Vítimas do Silêncio
Autora: Janethe Fontes
Editora: Universo dos Livros
Número de páginas: 192
Sinopse: "Violentada sexualmente, ela preferiu manter o silêncio. Porém, agora, terá que encontrar o criminoso para que ele não faça outras vítimas.
... Uma noite para mudar sua vida ...
... Um caso de abuso sexual ...
... Um criminoso perverso ...
... Um novo crime e ameaças ...
... Um assassinato ...
... Um encontro com o inimigo ...
Uma garota é vítima de um estupro e tenta reconstruir sua vida. Porém, o criminoso está mais perto do que poderia imaginar e continua perseguindo pessoas que ela jamais gostaria de ver envolvidas nesta história. Quando finalmente acredita ter encontrado o caminho da felicidade e esquecido aquela época tão difícil, o passado volta para acertar as contas e ela só tem uma alternativa: encontrar o criminoso antes que ele faça outras vítimas.
Com uma narrativa surpreendente, a autora mantém o suspense até o fim, fazendo com que o leitor tenha que prender o fôlego para acompanhar esta aventura que traz, a cada capítulo, novas revelações e emoções de um passado que já parecia esquecido.
Vítimas do Silêncio combina ingredientes como Romance, Aventura, Suspense, Sedução e Mistério em um livro que vai prendê-lo do começo ao fim, tendo como pano de fundo a questão do abuso sexual contra as mulheres."

Ao contrário de tudo o que eu esperava, já que passei 12 temporadas acompanhando Law & Order: SVU, onde os casos de abuso sexual e estupro eram relatados a partir do ponto de vista da polícia de Nova York, Vítimas do Silêncio não foca apenas no trauma e no abuso em si. Sinceramente fiquei extremamente surpresa ao ver que Janethe contou a vida da personagem deixando que o estupro não fosse conhecido até dado momento.
Margarida é a filha primogênita e, após a morte do pai, sua mãe casa com o padrasto Carlos, com o qual tem uma filha, sua irmã mais nova. No entanto, Carlos possui um interesse peculiar na enteada e, depois de uma noite sozinha com ele, Margarida decide deixar a casa da família, assustada e envergonhada por não conseguir contar para a mãe o que havia acontecido.
Dessa forma, ela procura aconchego na casa dos tios imaginado que, assim, poderá pensar melhor no que fazer. Mas um breve caso com seu primo Marcos muda, novamente, o rumo de sua vida e ela vai embora para São Paulo. Ainda magoada e perdida, descobre que está grávida do primo, o que só lhe impulsiona ainda mais para tentar uma nova vida longe de todos aqueles que conhece e que deveriam protegê-la.
Com pouco dinheiro, ela se instala em uma pensão precária e passa a procurar por trabalho. Finalmente acha um, de babá, e decide aceitá-lo, mesmo compreendendo mais tarde de que não cuidará de um bebê. Até aí, no livro, eu me perguntava de onde essa moça tirava forças para continuar vivendo e como Janethe guiou a estória tentando dar novas cores a ela, novos ânimos.
Empregada, Guida vai conhecer seu acompanhante, o jovem Willian que, após um acidente, ficou paraplégico e, diga-se de passagem, muito rabugento. Embora ele seja totalmente negativo em relação ao rumo que sua vida tomou, fiquei pasma ao ver que toda a filosofia de vida de Margarida foi o suficiente para, depois de muito esforço, convencê-lo a mudar sua situação.
Todos da família, o rapaz e seus pais, a acolheram com amor e carinho, mesmo sabendo que estava grávida, isso não foi motivo para hostilidade. E acho que foi o que mais me fez gostar do livro. Os incentivos não partiam só de Margarida para Willian, como de seus pais para ela. Dessa forma, ela ingressa em uma faculdade de Direito e, aproveitando que a família para qual trabalha possui um escritório de advocacia, ela também procura fazer o estágio lá, sempre muito bem recebida por todos.
Sabem, assim é que eu gosto em um livro. Eu esperava uma estória completamente triste, que me deixasse com um nó na garganta do começo ao fim e me fizesse chorar em todas as páginas. Claro que o livro tem essas partes, algumas cenas de muita tensão e nas quais eu pensei: "Será que agora será o fim?", mas eu fiquei satisfeita ao perceber o rumo que a vida de Guida tomou. Ela se aproximou de Willian de uma forma que eu jamais esperava, seu filho passou a ser o xodó do rapaz e, incentivado por ela, ele conseguiu recuperar os movimentos das pernas com a ajuda de fisioterapia! Então, o que quero dizer é: apesar do tema do livro ser bem pesado, Janethe abriu possibilidades para que a vida de nossa protagonista tivesse seus desfechos mais do que felizes!
Obviamente, algumas cenas me deixaram presa ao livro, como a preocupação de Guida com a irmã mais nova, a luta para colocar seu padrasto na cadeia pelo o que lhe havia feito e, como era de se esperar do sistema penitenciário brasileiro, sua fuga da cadeia depois de ser condenado e, ainda mais interessante, como um caso de estupro surgido no escritório aonde Guida trabalhava, a fez enfrentar seus medos e decidir lutar pelo direito da garota que havia sido estuprada, enxergando-se nela. Todos esses momentos tensos serviram como um ótimo contrabalanço aos bons acontecimentos sem, entretanto, apagá-los por completo.
Em suma, Vítimas do Silêncio é um livro que eu super indico, afinal, trata-se de uma realidade. De como várias mulheres se veem desamparadas ao serem violentadas, de como o Brasil tem muito a aprender para possuir um julgamento e prisões adequadas e de como, mesmo atormentadas, essas pessoas tem a chance de reconstruir suas vidas, como no caso de Guida, para melhor. Um livro maravilhoso, curtinho e fácil de ler, você vai torcer por Guida também! Impossível não se impressionar!


Nota:



Nenhum comentário: