segunda-feira, 12 de setembro de 2011

"Turn On The Radio, Honey..." #4

Boa tarde!

Essa semana promete ser recheada de muuuuita química! Acreditam que eu vou ter 3 provas? Terça, Quarta e Sexta! Desse jeito vai baixar todos os químicos possíveis em mim!
E eu ouvi da minha professora hoje que ela está muito feliz com o meu desempenho e recuperação! Yes! Ainda assim tenho, pelo menos, umas sete provas de física até o final do ano. Pois é, melhor dar a louca e conseguir fechar o ano logo!
Não apareci por aqui ontem porque tive que dar uma agilizada na leitura de "Die For Me" que está fazendo parte de um Book Tour. Com toda a zona de aniversário, provas, simulados, eu mal consegui pegar no livro, sem contar as vezes que praticamente dormi antes de conseguir continuar a leitura. Estou me sentindo tão mal, porque estou gostando tanto e nem tenho tempo! Vou terminá-lo até quarta-feira, pois na quinta sem falta vou precisar enviá-lo a próxima pessoa! Desejem-me sorte!
O clipe sugerido de hoje é o da Lilo, com vocês: Bring Me To Life da banda Evanescence.



Vou confessar uma coisa: quando eu era pequena e assisti esse vídeo pela primeira vez, desatei a chorar. Pode isso? Sempre achei a música extremamente triste e demorei um tempão até aceitar ver as letras e, finalmente, entender. Meu pai é fã do tipo de som (bem pesado) do Evanescence, assim como do Linkin Park, mas devo dizer que eu não gostava muito. Agora eu aprendi a ouvir e acaba tocando de vez em quando na minha playlist.
Mas vamos à análise do clipe: Amy Lee e sua excepcional voz demonstram estar em queda livre, aquele famoso sonho em que estamos caindo, e caindo, e caindo. Odeio esse tipo de sonho, sempre parece que o impacto é tão real!


How can you see into my eyes like open doors?
Como você pode ver dentro dos meus olhos como portas abertas?
Leading you down into my core
Levando você até o meu interior
Where I've become so numb without a soul
Onde me tornei tão entorpecida sem uma alma
My spirit's sleeping somewhere cold
Meu espírito dormindo em algum lugar frio
Until you find it there and lead it back home
Até você encontrá-lo e levá-lo de volta pra casa

A moça se pergunta como ele pode ver nela o que ninguém mais viu? Como ele parece entendê-la tão bem quando ninguém mais conseguiu? Depois de passar por um grande sofrimento, ao que parece, ela tornou-se fria, obscura, de alma adormecida. Ela precisa de alguém que a encontre no mais profundo breu e a traga de volta e parece que já encontrou alguém que possa fazê-lo.

(Wake me up)
(Acorde-me)
Wake me up inside
Acorde-me por dentro
(I can't wake up)
(Eu não consigo acordar)
Wake me up inside
Acorde-me por dentro
(Save me)
(Salve-me)
Call my name and save me from the dark
Chame o meu nome e salve-me da escuridão

Este refrão é uma súplica, um pedido de socorro, de despertar que ela mesma já não consegue fazer sozinha, que precisa de alguém para puxá-la do fundo aonde se encontra no momento. Ela está afundando na escuridão, nas trevas da própria alma, dos próprios pensamentos.

(Wake me up)
(Acorde-me)
Bid my blood to run
Faça o meu sangue correr
(I can't wake up)
(Eu não consigo acordar)
Before I come undone
Antes que eu me desfaça
(Save me)
(Salve-me)
Save me from the nothing I've become
Salve-me do nada que eu me tornei

Dando continuidade ao pedido de ajuda, ela pede que ele faça o sangue dela correr novamente antes que seja tarde demais, que a liberte desse estado de "inércia" e indiferença em que ela se encontra. Podemos dizer que ela parece ter encontrado alguém que realmente a faça querer se sentir viva novamente. Um dos pontos do Evanescence é ser considerada uma banda de metal alternativo; eu classifico as letras da banda como levemente góticas, tratando da morte, da alma e de todo um sofrimento, acaba te atingindo quando você se encontra naqueles dias tristes, onde se pergunta como sua vida poderia fazer sentido. O clássico: "ninguém me ama, ninguém me quer".

Now that I know what I'm without
Agora que eu sei o que me falta
You can't just leave me
Você não pode simplesmente me deixar
Breathe into me and make me real
Dê-me fôlego e me faça real
Bring me to life
Traga-me para vida

Estamos acompanhando uma evolução, ela já sabe o que quer, o que busca e encontrou a pessoa certa para ajudá-la a sair da "fossa". Então ela afirma que, por saber o que está faltando, não pode permitir que ele a deixe. Isso fez com que eu pensasse que, talvez, ele ameaçasse se afastar e ela, então, lhe mostrou como estava lhe fazendo bem sua companhia. Pediu que, como último movimento, desse o fôlego que faltava para que ela voltasse à vida, um belo de um sopro que a "acordaria".

Bring me to life
Traga-me para a vida
I've been living a lie
Eu tenho vivido uma mentira
There's nothing inside
Não há nada por dentro
Bring me to life
Traga-me para a vida

O momento aonde as justificativas continuam, ela se dá conta de que estava vivendo uma mentira, que não havia nada dentro que pudesse justificar sua vida até então.

Frozen inside without your touch
Congelada por dentro sem o seu toque
Without your love, darling
Sem o seu amor, querido
Only you are the life among the dead
Somente você é a vida entre os mortos

Sem o toque dele, sem o amor, ela está congelada, sem vida. Já o define como o único ser vivo que pode vê-la como realmente é entre os "mortos" que mal a enxergam.

All of this time
Todo esse tempo
I can't believe I couldn't see
Não posso acreditar que não pude ver
Kept in the dark, but you were there in front of me
Mantida na escuridão, mas você estava lá na minha frente
I've been sleeping a thousand years, it seems
Eu estive dormindo por mil anos, parece
Got to open my eyes to everything
Tenho que abrir meus olhos para tudo
Without a thought, without a voice, without a soul
Sem um pensamento, sem uma voz, sem uma alma
Don't let me die here
Não me deixe morrer aqui
There must be something more
Deve haver algo mais
Bring me to life
Traga-me para a vida

Nesse momento final da música, antes do refrão que fecha, é como um diálogo entre o rapaz e a moça. Ele diz que todo aquele tempo, não acredita que não pode tê-la visto, embora estivesse bem a sua frente. Então ela responde, disse parecer ter dormido por mil anos enquanto tinha que abrir os olhos para tudo, sem realmente enxergar. Ele torna a falar, como se compreendesse que ela esteve sem pensar, sem falar, sem uma alma mesmo. Ela suplica novamente que não a deixe morrer, que deve haver algo mais que ele possa  fazer e trazê-la de volta à vida.

Bring Me To Life, eu diria, pode muito se relacionar à vida de alguém que passou por uma forte decepção e, a partir daí, passou a viver no modo "automático". Vendo muitas coisas passar, mas sem ter nenhuma relação com elas, deixou passar momentos em que poderia ter dito com a própria voz seus pensamentos apenas por não encontrar mais uma razão para voltar a viver. Então, ela encontra alguém que a faz se sentir viva, que pode tirá-la daquele limbo e fazê-la ganhar gosto pela vida novamente. Mas será que ele vai aceitá-la ou será só uma condição temporária? Ela ansia por voltar a viver, quer tê-lo por perto, ele a faz se sentir bem.
Eu adorei analisar essa música e o clipe, toda a relação da letra com a interpretação da Amy enquanto dormia e sonhava, deu uma ideia de como todo esse sofrimento parecia ser um sonho que se repetia noite após noite, sem nunca mudar.

Espero que tenham gostado da análise e não deixem de comentar!

Quer deixar sua sugestão de videoclipe para que seja analisado? Basta preencher o formulário e aguardar!

Boa semana a todos!


5 comentários:

Aione Simões Sérgio disse...

Menina, que análise!
Você foi a fundo na música e a interpretou belíssimamente, parabéns!
Adoro a música e também acho que as músicas do Evanescense têm um toque gótico em si!
Boa sorte com as provas de química!
Beijos!
P.S: Recebi hoje os marcadores! Muito obrigada, amei, viu?

Natália Alves disse...

Adorei, não tinha visto está coluna no blog antes, então acabei de conhecer e já gostei. Já tinha ouvido essa música antes, mas não sabia da tradução dela, gostei da sua análise, muito legal mesmo!

Bj;*
Naty - Just Books!

Letícia Walter disse...

Essa música é MUITO boa!!! *-*
AMO! E a voz dela é simplismete foda.


xx

Livia Lorena Damasceno disse...

AHHHH! Minha indicação! Que chique!
Eu amoo muito essa música e como fanzona da banda concordo com sua análise... A música trata bem dessa coisa de nos tornarmos adormecidos, vivendo no automático... E do nada as coisas mudam, nos trazendo de volta aos sentimentos.
Eu cantei esse música com algumas amigas num festival e foi um momento muito marcante da minha adolescência...
Obrigada!
Bjos e sucesso.
Lilo
Redenção

dpaulaingrid disse...

Ahhh! Amo essa música! O clipe então... nem se fala! Realmente é triste mas bonita, e a cantora tbm é. E a sua analise em relação as musicas... sao simplesmente BEEM melhores que a minha hehe Gostei msm, parabens!