segunda-feira, 19 de setembro de 2011

"Turn On The Radio, Honey..." #5

Boa tarde!

Sem parágrafos de introdução, pois o dia promete ser cheio de estudos e a minha semana está TRIlotada de provas!
A sugestão de hoje me surpreendeu bastante, foi da Danyelle com a música Carry On Wayward Son do Kansas.


Bom, acho que eu nunca tinha ouvido falar dessa banda antes. Sim, eu me apego rapidamente às modinhas exibidas pelo TVZ no Multishow e, de vez em quando, ressuscito umas velharias no VH1. Fazer o quê?
Como dá para perceber logo no começo, o clipe é bem velho. 1976 eu nem havia nascido ainda! Mas é claro que não se dá para tirar o mérito de uma coisa baseado na data em que ela foi feita. E ouvindo "Carry On Wayward Son" eu gostei bastante do som e do ritmo e a letra pode parecer um pouco maluquinha, mas como vi muitos videos relacionados ao seriado Supernatural no You Tube, presumo que a música deve ter feito algum sentido para um episódio dos irmãos Winchester.


Once I rose above the noise and confusion
Uma vez, eu me levantei acima do ruído e da confusão
Just to get a glimpse beyond this illusion
Apenas para perceber por um instante além desta ilusão
I was soaring ever higher, but I flew too high
Eu estava voando cada vez mais alto, mas eu voei muito alto
Though my eyes could see I still was a blind man
Embora meus olhos pudessem ver eu ainda era um homem cego
Though my mind could think I still was a mad man
Embora minha mente pudesse pensar, ainda era um homem louco
I hear the voices when I'm dreamin', I can hear them say
Eu ouço as vozes quando estou sonhando, posso ouvi-las dizer

Como começar a analisar essa letra? O título já indica: filho desobediente. Trata-se, então, de um estado de caos, de descontrole. A pessoa que canta está dizendo que passou muito tempo em um estado de transe, de ilusão e que, quando acordou, ficou lúcido acima disso tudo, viu que mesmo assim não conseguia se sentir parte do mundo real. Ele ainda se sentia cego, louco, desestabilizado e não estava tranquilo, havia vozes que confirmavam que ele não estava bem.

Carry on my wayward son,
Continue meu filho desobediente
there'll be peace when you are done
Haverá paz quando você estiver terminado
Lay your weary head to rest
Coloque sua cabeça cansada para descansar
don't you cry no more
Não chore mais

Seriam essas vozes, a voz do próprio pai na cabeça desse filho? De forma a convencê-lo de que não há mais o que fazer por ele, portanto o incentiva para que continue a desobedecê-lo. De acordo com essas "vozes", o melhor será quando ele sossegar e finalmente chorar pelo o que tem feito. Então, trataria da mente conturbada (e culpada) de um filho?

Masquerading as a man with a reason
Mascarado como um homem com uma razão
My charade is the event of the season
Minha charada é o evento da estação
And if I claim to be a wise man, it surely means that I don't know
E se eu reivindicar ser um homem sábio, significa que eu não sei
On a stormy sea of moving emotion
Em um mar em tempestade de emoção comovente
Tossed about I'm like a ship on the ocean
Lançado, sou como um navio no oceano
I set a course for winds of fortune, but I hear the voices say
Ajustei um curso para ventos da sorte, mas eu ouço as vozes dizerem

Desestabilizado e perdido, ele finge ser um homem com um propósito, um objetivo. Me parece que a dúvida dele, o quebra-cabeça que tenta montar de sua vida é como se fosse algo importante, que todos estivessem de olho para ver os resultados.
Afirma que, se afirmar ser alguém sábio então quer dizer que ele na realidade não sabe. As emoções, ao invés de estarem como uma montanha-russa, ele compara a um mar revolto. Ele tenta direcionar o navio para o lado certo, mas novamente ouve as vozes dizerem para continuar como filho desobediente, onde apenas acabará quando ele sossegar. E o refrão se segue até o final da música.
Sinceramente essa música foi muito difícil de se analisar porque, na maioria das vezes, precisamos conhecer o contexto em que ela foi escrita ou exibida, como é o caso do seriado Supernatural, suponho eu. Eu gostei bastante do ritmo e, embora a letra tenha parecido um pouco deslocada e sem sentido no começo, acho que consegui pegar alguns trechos e fazer uma relação, montar uma história, uma linha de pensamento.

Espero que tenham gostado da análise, foi bem difícil mesmo, mas fiquei satisfeita! Não deixem de comentar e me dizer o que vocês acharam da letra e da música!

Quer deixar sua sugestão de videoclipe para análise? Basta preencher o formulário e aguardar! ;)

Mais tarde eu volto com a resenha do dia!


4 comentários:

Luciara Silva disse...

eu conheço a música e curto bastante, achei bem legal a análise. ^^

beijos.

Lu - http://leiturasedevaneios.com.br/

Aione Simões Sérgio disse...

Oi Verônica!
Eu adoro essa música e você conseguiu fazer sim uma boa análise!
Diferente de você, não acho que a música seja confusa no início...Enxerguei o mesmo que você, um homem percebendo estar em um estado de ilusão no meio do caos.
Quanto ao refrão, o interpretei diferente de você...Acredito que seja sim o conselho do pai que o homem escuta em sua mente, mas não para incentivá-lo a continuar sendo desobediente. Acredito que o pai esteja dizendo para que ele continue seguindo sua vida sem se preocupar com dúvidas desnecessárias e o "my wayward son" seja apenas a maneira como o pai o chama.
Na última parte, acredito que ele esteja dizendo a maneira como ele vinha vivendo e, no momento, ele precisa descobrir como resolver seu problema (deixar o caos e a ilusão que vinha vivendo). Caso consiga, será 'o evento da estação'. Ele sabe que não pode se dar por sábio e já ter aprendido tudo, mas, ainda assim, compreendeu não ter controle de suas emoções, sem jamais esquecer do conselho de seu pai.
Se você gostou de Kansas, procure "Dust in the wind", tenho certeza que essa você conhece! Além de clássica e famosa, é linda!
Beijos!

Gabriela Veloso disse...

que bom que vc gostou!
Eu amo essa musica, mesmo sendo antiga e eu tendo meus doze anos gostei.
É por isso que a gente nao deve jugar o livro pela capa!
bjss!!!

dpaulaingrid disse...

Nunca tinha ouvido falar dessa banda... Gostei da analise, muito bom.