terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Turn On The Radio, Honey..." #8

Boa noite!

Eu sei, eu sumi. Mas é que essa semana começou tão... espalhafatosa. Não estava com o mínimo de condições de postar no domingo e nem na segunda. Reflexos de um dia inteiro lendo Promessa de Sangue, o quarto livro da série Academia de Vampiros. Fiquei extasiada, traumatizada e mais um monte de '-ada'! Então, resolvi respirar fundo e esperar mais um pouco.
Mas hoje eu tive um dia bem cansativo e até pensei em não vir aqui, mas aí já seria demais! Vou postar a análise do videoclipe hoje e amanhã eu posto a resenha, a indicação de filme e seriado, combinado? E, pessoal, tenho sentido falta das sugestões no formulário da seção, será que os clipes já se esgotaram na cabeça de vocês? É, eu também acho que não! xD Então animem-se, mandem videoclipes, mas só lá no final do post, quando eu colocar o link do formulário, ok?
A sugestão de hoje foi da IngriD, com a música Brick By Boring Brick da banda Paramore.




Na minha opinião, esse clipe é o mais louco que já vi por parte do Paramore. Não gosto muito do visual dele, acho que os efeitos são bem forçados, mas o som está aí para aliviar um pouco. Eu gosto bastante da letra e é disso (e também um pouco do efeito que se quer passar com o clipe) que vamos falar.
A primeira coisa que me incomoda nesse video: as asas da menina. Por que ela tem que usar asas de borboleta? O "correto" não seria asas de fada? Pesquisando sobre análises e significados deste clipe na internet, encontrei uma página falando sobre o clipe que... me chocou.
Depois de ler tudo, o clipe passou a fazer sentindo, ainda que eu tenha ficado um pouco confusa. Se quiserem conferir a análise, clique aqui. Aparentemente, essas asas de borboleta estão relacionadas a uma espécie de controle mental utilizado em crianças em situações extremas, como um sequestro, abuso sexual ou qualquer outra circunstância. Eu, por outro lado, penso um pouco mais superficialmente, sem muitas conspirações.
A meu ver, trata-se de uma garota que se escondeu em um mundo de fantasia para fugir da dura realidade em que vivia. Não é isso que fazemos às vezes? Nos abstemos do mundo real, como em um transe, e então escapamos para um lugar que esteja sob nosso controle. Esse é o mundo retratado, meio parecido com o de Alice no País das Maravilhas e O Mágico de Oz.
Mas, como tudo o que é bom, dura pouco, ela não pode mais se esconder, não pode mais escapar para esse mundo. Porque tudo o que a atormenta no mundo real, ela acaba levando para esse mundo fantástico, que costumava ser seu refúgio. É o que acontece quando crescemos, amadurecemos, as preocupações tornam-se mais frequentes e fica difícil simplesmente escapar delas, empurrá-las para longe. E é assim que Hayley nos mostra, no trecho "E nós vamos cavar um buraco profundo/ Para enterrar o castelo, enterrar o castelo". O castelo em que a menina entra no início deve ser fechado, esquecido. Ela precisa enfrentar a realidade o mais rápido possível, antes que tudo saia definitivamente do controle.
Então, um dia, a garota está chorando e o príncipe encantado aparece para salvá-la. Era um truque, ou seja, à meia-noite o encanto se acabou e ela voltou à realidade. Para mim, uma alusão à Cinderela. Ela era a empregada da casa e vivia sonhando, quando a fada madrinha surge e lança o encantamento, tudo é muito lindo, tudo muito belo. Mas à meia-noite... o encanto acaba e a triste realidade retorna. O que nos resta, afinal?
Em um momento precisamos descer do cavalo mágico, abandonar o castelo e parar com a fantasia. Os problemas tornam-se inevitáveis e evitá-los já não é mais uma opção. Dessa forma, voltamos à realidade, à entediante realidade. Onde tudo caminha vagarosamente, construímos nossas conquistas vagarosamente, tijolo após tijolo.
Repararam que, dessa vez, eu não usei a letra? Na minha opinião, o clipe tem muito a nos dizer, a forma como o universo fantasioso é representado, depois que você vai compreendendo a letra e refletindo sobre ela, praticamente nem precisa mais dela para compreender o que está vendo. A escapatória é boa, é uma forma de tirarmos um tempo de todo o caos e encontrar um lugar bom, um lugar nosso, que outras pessoas não consigam alcançar. Porém, viver nesse lugar por muito tempo acarreta consequências. É perigoso passar a viver "nas nuvens", mesmo com os pés no chão; quando nos desligamos por tanto tempo da realidade concreta, que nos cerca, corremos o risco de perder o controle sobre ela. E, assim, também perdemos o controle de nosso refúgio, tudo rui e acabamos ficando sem nada, perdidos.
É uma música difícil de ser analisada e o clipe possui muitas mensagens subliminares. Quem se aventurou a ler a análise que eu vi, com link ali em cima, vai entender do que estou falando. Eu, particularmente, achei um pouco exagerado, mas quem sou eu para afirmar o que é ou não? Lembram-se da análise do video de Monster? Havia toda uma história por detrás daquele clipe que eu, uma leiga, não poderia sequer sonhar em enxergar ali!

Mas, ainda assim, espero que tenham curtido! O som do Paramore sabe chamar a atenção por sua batida dançante e vale a pena olhar para as letras com mais atenção, afinal, muito pode ser extraído dessas composições! Adorei a oportunidade de analisar Brick By Boring Brick e espero que vocês deixem suas impressões do clipe nos comentários, hein?!

Quer deixar sua sugestão de videoclipe? Basta preencher este formulário!

Bom feriado e amanhã tem mais!

6 comentários:

Thais Priscilla disse...

Gostei do vídeo mas não acho que seja uma das melhores música da banda. Os efeitos são meio forçados mesmo mas achei legal :)

Beijos,
Thais P.
http://thaypriscilla.blogspot.com

Blog OverShock disse...

Gostei dessa seção do blog \o/

Não sou fã de Paramore, mas o clipe é bem interessante, e a música também. Sempre gosto quando o cenário é esse "mundo mágico"

Vou preencher o formulário. Espero que você goste :X

Ricardo (www.overshock.blogspot.com)

Veezinha disse...

Concordo plenamente com você Tha! O Paramore tem muitos outros clipes menos loucos que esse e, particularmente, não é o meu preferido mesmo. ;) Mas o som é gostoso, afinal de contas, isso conta também!

xx




2011/10/12 Disqus <>

Veezinha disse...

Oi Ricardo!
Ah não sei se posso concordar muito com você. Não é o melhor clipe da banda, mas o som acaba sendo a melhor parte na minha opinião! Esse mundo poderia ter sido melhor editado no clipe, acho que ficou um pouco forçado :S Gostei da sua sugestão, em breve ela estará aqui! ;)

xx




2011/10/12 Disqus <>

dpaulaingrid disse...

Nossa, nem eu percebi tantos detalhes assim, me deu medo >.<

Gosto da banda mais pelo som do que pelas letras, tbm conheci atraves de crepusculo e gostei da batida de "decode". Já tinha ouvido falar na ligação de bandas com o Illuminati...
Não sei se esse Iluminati é uma coisa ruim (muita gente diz que é) mas não acho que as pessoas deveriam ficar alarmadas, pq se ver bem, praticamente todas as músicas tem alguma "mensagem subliminar" se for visto apenas desse ponto. cantar ao contrario tbm, pq por mais que alguns digam que é coisa satanica, no final é só aquela coisa de "palavra ao contrario origina outra" tipo: Roma - Amor.

(n sei se expliquei bem então vou dar alguns exemplos: as musicas de Lady gaga ao contrario sendo uma alusão ao satanismo e aos illuminatis, Xuxa e suas canções ao contrario é uma blasfemia à Deus e etc.) E tbm as proprias musicas cristas, quando cantadas em forma de samba ou rock - tanto faz - é tbm uma forma de negligenciar Deus (pelo menos é oq diz o prof. de religião)

acho que as pessoas deveriam ouvir os tipos que gostam sem se importar com isso seriamente, pq senão ninguem ouviria música ^^


Ah! e gostei bastante da sua análise, só que da proxima vez que eu indicar algum clipe vou olhar 1º na internet p/ ver se n é algo confuso hehe *-*

Veezinha disse...

Se virmos tudo como forma de conspiração, então não poderíamos viver, não é? É mensagem subliminar nisso, culto a Satã naquilo, blasfêmia a Deus e etc. Sinceramente você tem que ouvir o que gosta e o que é cantado na letra e não ficar procurando ocultismos.
Fiquei sabendo dos Iluminati pela primeira ver quando assisti O Código Da Vinci, também não faço a mínima ideia se isso é bom ou ruim. rs Mas hoje em dia tá tudo subentendido, odeio isso!
Ah, meu professor de religião não fala essas coisas hahaha Ele tá mais preocupado em construir bons cidadãos do que afastá-los do mau caminho! ;) Adorei seu comentário Ingrid!

xx




Em 14 de outubro de 2011 19:54, Disqus
<>escreveu: