sábado, 3 de março de 2012

Grandes Mestres: Michelangelo


A seção Grandes Mestres, que ocorrerá todos os dias 15 e 30, será um retrato dos mais famosos e inovadores artistas que foram selecionados pela editora Abril para compor uma coleção de 25 livros.
Para os amantes das artes, um prato cheio; para os curiosos, a possibilidade de descoberta desses incríveis pintores e escultores que mudaram o seu tempo.

Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni (1475 - 1564)

"Em vida, Michelangelo foi considerado o maior artista de seu tempo. Escultor, arquiteto, pintor e poeta, o mestre italiano lançou as bases do maneirismo e eternizou em tinta e mármore obras seminais da arte ocidental como os afrescos da Capela Sistina e as esculturas de Davi, Baco e as Pietàs.
(...) 'A um gênio dessa magnitude, se contrapunha um caráter tão rude e selvagem, a ponto de conformar sua vida doméstica a uma incrível mesquinhez, privando as gerações futuras de discípulos que dessem continuidade à sua arte. De fato, rogado até pelos príncipes, nunca serviu de mestre ou, ao menos, aceitou alguém em seu ateliê como espectador ou observador'."
(Grandes Mestres, Michelangelo, Abril Coleções; páginas 5 e 10)

Davi (1501 - 1504)

O "gigante" de Michelangelo, como logo foi chamado pelo povo florentino, antes de se transformar na imagem cívica por excelência da República Florentina, estava destinado a decorar um contraforte externo da catedral da cidade. E foi com essa intenção que a administração da catedral decidiu oferecer o bloco ao único escultor capaz de extrair dele a estátua colossal. 
Davi tornou-se a "insígnia do palácio" (Vasari), sancionando de modo monumental o sucesso da luta do homem fraco, mas justo, contra o inimigo ímpio. A situação política de Florença naquele momento, depois da expulsão dos Médici "tiranos", garantiu à estátua um sucesso duradouro junto aos círculos republicanos, que dela se apropriaram como símbolo.

Abóbada da Capela Sistina (1508 - 1512)

Nos nove painéis da abóbada, estão representadas cenas extraídas do Gênesis: a criação do mundo, a criação do homem, o pecado de Adão e Eva e o dilúvio. Os quatro penachos angulares mostram a miraculosa intervenção de Deus em socorro do povo eleito (Davi e Golias, Judite e Holofernes, A Serpente de Bronze, Crucifixão de Amã). Sobre os tronos, estão sentados 12 Videntes (cinco Sibilas e sete Profetas), que anunciaram o nascimento do Filho de Deus. E nos gomos e nas lunetas estão representados os antepassados de Cristo.
Michelangelo foi, desde o primeiro momento, o único responsável pela concepção e pela execução do afresco. As figuras são representadas em poses extremamente dinâmicas, com torções determinadas, que multiplicam as abordagens espaciais.
Alguns detalhes da abóbada:
Criação de Adão

 Pecado Original e Expulsão do Paraíso
 Dilúvio Universal

Juízo Final (1533 - 1541)

No afresco, Michelangelo sacrificou a decoração precedente, criando um espaço autônomo, unitário e independente dos limites físicos impostos pela capela, um espaço concebido como uma enorme abertura para o exterior. O artista optou por uma composição mais equilibrada e simétrica, que colocava nas duas lunetas os anjos com os símbolos da paixão, na parte superior da parede o Cristo e a Virgem com os dois grupos de santos e de mártires, ao centro os anjos com trombetas e dois grupos simétricos de eleitos que sobem ao céu e de condenados que se precipitam ao inferno. Na base do afresco está a trabalhosa ressurreição da carne, à esquerda, a boca do Inferno, no centro, e, à direita, Caronte, que atravessa os condenados em direção a Minos e os outros demônios.

As obras de Michelangelo concentram-se, majoritariamente, na Grã-Bretanha e na Itália. Na minha opinião, as obras desse grandessíssimo mestre chamam a atenção pelas cores vivas que destacam os traços minuciosos e relativamente perfeitos ao retratarem a anatomia humana. Além das pinturas na Capela Sistina, que são suas mais famosas, Michelangelo também foi responsável por diversos projetos arquitetônicos em outras partes da Itália. Realmente uma pena que algumas obras não puderam ser finalizadas sob a supervisão desse talentoso artista enquanto outras, como a abóbada da capela, sofrem com o desgaste do tempo.
Ainda assim, é impossível atesta seu brilhantismo e perfeccionismo em tudo aquilo a que lhe foi designado!

Bibliografia:

1. Abril Coleções, Grandes Mestres vol. 4, Michelangelo, pág. 5;
2. O artista e o seu tempo; Michelangelo, amigos e mestranças, pág. 10;
3. Davi, pág. 48 a 51;
4. Abóbada da Capela Sistina, pág. 54 a 67;
5. Juízo Final, pág. 124 a 133.


12 comentários:

Naniedias disse...

Adoro esses posts *-* É uma delícia poder conhecer um pouquinho e apreciar a obra de grandes mestres! Essa coleção que você tem deve ser muito interessante =D

Beijos, Nanie - Nanie's World

Veezinha disse...

É sim, Nanie!! Pena que quase não cabe na minha estante. rsrsrs Mas posso dizer, com certeza, que foi um dinheiro bem investido! *-*

xx



2012/3/10 Disqus <>

Naniedias disse...

Não cabe por que é alta?!

Veezinha disse...

Nããão, porque são muitos mesmo! kkkk



2012/3/10 Disqus <>

Naniedias disse...

Ah... são quantos no total?

Veezinha disse...

25 livros. Nem sei quanto tempo demorei para comprar todos *hm



2012/3/10 Disqus <>

Naniedias disse...

Uau! São muitos livros mesmo ><

Veezinha disse...

Pois é! Preciso arrumar um espaço para eles no meu guarda-roupa enquanto minha nova estante não fica pronta, se não, não vou mais ter espaço pra colocar nada! D:



2012/3/10 Disqus <>

Diego Rangel disse...

Michelangelo realmente era um gênio! Não sou pintor nem conheço
um mas pelas suas obras posso ver uma riqueza imensa de detalhes
mostrando sombras e relevos que destacam algumas partes. A Abóbada da Capela Sistina é uma pintura que você olha e não consegue imaginar como uma pessoa sozinha consegue fazer aquele trabalho tão perfeito. Tirando o "gigante" de Michelangelo que não condiz em nada com o nome na verdade eu gosto de todas suas obras! Abrc!

Veezinha disse...

Michelangelo sabia o que estava fazendo e, realmente, impressionante pensar no que não só ele, como diversos artistas, produziam com uma riqueza de detalhes maravilhosa! Hoje em dia, qualquer rabisco é arte, mas jamais poderão ser comparados à verdadeira arte que era produzida e foi se perdendo ao longo dos anos. Uma pena! :/
Mesmo assim, a preservação dessas obras é de extrema importância e de valor incalculável! *-*

xx




Em 1 de abril de 2012 17:17, Disqus
<>escreveu:

Ricardo Biazotto disse...

Na infância, ouvi muito sobre as pinturas de Micheangelo, sobretudo na Capela Sistina, e demorei pra conhecer essa fantástica obra. Infeizmente.
Ainda assim, ele é um verdadeiro mestre e percebemos isso pelas poucas imagens do post - todas com sua devida importância. Sempre gostei de "Criação de Adão" *-*

Beijos
Ricardo - www.overshock.blogspot.com

Mayara Fernandes disse...

Eu não conheço muito as obras do artista, pirem na escola tem falado muito dele.
obiviamente não é meu artista favorito, mesmo assim aprecio muito seu trabalho :2