quinta-feira, 19 de abril de 2012

#Indicação - Filme: Percy Jackson e o Ladrão de Raios

Oi gente!

Desculpe a falta de atualizações, mas estive correndo contra o tempo. Semana de provas, técnicos de TV a cabo que furam, sabem como é. Mas agora que minha única prova da semana passou, vou me preparando para as quatro provas que tenho semana que vem o que, obviamente, já é o anúncio de uma semana com posts pipocados. Vou fazer o máximo para programar alguns e não deixá-los na mão!
Mês de provas na faculdade é osso...
De qualquer forma, vamos à indicação de hoje:

Percy Jackson e o Ladrão de Raios (Percy Jackson & The Olympians: The Lightning Thief) - 2010

Percy Jackson está encrencado na escola, mas esse nem de longe é seu maior desafio.Os deuses do Olimpo saem das páginas dos livros de mitologia grega de Percy e entram em sua vida. Ele descobre que seu pai verdadeiro é Poseidon, deus dos mares, o que significa que Percy é um semideus, metade humano, metade deus. Ao mesmo tempo, Zeus, rei de todos os deuses, acusa Percy de roubar seu raio, a primeira e verdadeira arma de destruição em massa. Agora, Percy tem de se preparar para a maior aventura de sua vida. Sob nuvens de tempestade sinistras e com sua vida ameaçada, Percy viaja até um enclave especial, um campo de treinamento para mestiços, onde aperfeiçoa seus recém-descobertos poderes para evitar uma guerra devastadora entre os deuses. É lá que ele conhece dois outros semideuses: a guerreira Annabeth, que procura sua mãe, a deusa Atena; e seu amigo de infância e protetor, Grover, um corajoso sátiro cujas habilidades ainda não foram testadas.

Antes que os fãs dos livros me crucifiquem, devo dizer que, por não ter lido nenhuma obra da série Percy Jackson, resta-me o filme como único parâmetro para analisar a história.
Eu confesso que, no início, tinha torcido o nariz para o filme. Sabe aquele dia em que tem um lançamento nos canais pagos e alguém quer muito ver uma coisa, só que você quer ver outra e aí acaba assistindo obrigado? Foi bem assim que eu conheci Percy Jackson e o Ladrão de Raios.
Embora eu seja apaixonada por mitologia (carrego isso desde o desenho Hércules e o mito da Caixa de Pandora), não via graça no que este filme poderia trazer. E que bom que eu estava enganada... em parte.
Percy Jackson é um bom filme, não ótimo, mas bem legal. Não só por tratar de mitologia e, principalmente, do papel dos semideuses, mas também por toda a aventura que circunda essa primeira parte. Um grande ponto positivo são os efeitos especiais que não deixam em nada a desejar, isso já chama bastante a atenção, afinal, estamos falando dos deuses do Olimpo, de criaturas mitológicas como a Medusa e o Minotauro.
Mas o problema está justamente nas reações de Percy ao descobrir mais sobre seu pai e a influência que sua descendência tem nele. É sempre aquela história do herói ser o último a saber que é, de fato, o herói, de todo mundo estar atrás dele e que, de repente, ele se torna muito bom no que faz, embora ainda tenha a mentalidade de "Por que isso está acontecendo comigo? Eu só queria ser normal". Eu não sei se já comentei sobre isso antes, mas em vários filmes esse aspecto do personagem principal me irrita profundamente e acaba por amenizar o brilho da história. Por que, por uma vez, não pode ser diferente?
Voltando ao filme, fiquei surpresa de ver algumas carinhas conhecidas compondo o elenco: Uma Thurman, como medusa e Alexandra Daddario, como Annabeth (os fãs de White Collar a conhecem como Kate Moreau), por exemplo. E, curiosa com a impressão que Percy Jackson deixou, fui buscar mais informações sobre a série literária e me surpreendi ao saber que, nos livros, Percy tem apenas 12 anos enquanto no filme, ele já está no Ensino Médio. Particularmente, eu preferiria o Percy com 16/17 anos ao de 12, mas terei de ler e tirar minhas próprias conclusões.
Outras comparações que li é que, no livro, Annabeth é loira e no filme, morena. Muitos deuses não são citados e as aventuras de Percy parecem bem mais pesadas para um menino de apenas 12 anos. Estes foram alguns fatos que me fizeram ter interesse pelo livro.
No filme, por outro lado, gostei do caráter tecnológico que deram aos semideuses e a jornada de Percy, Grover e Annabeth atrás das Pérolas de Perséfone possui momentos memoráveis, como a visita acidental à Medusa e sua enorme coleção de estátuas de pedra e a estadia no Lotus Hotel e Cassino em Las Vegas, além da personificação de Hades como um "tio" roqueiro.
No mais, Percy Jackson e o Ladrão de Raios poderia ter sido mais emocionante; talvez, se ele tivesse capturado mais detalhes do livro, poderia ser um filme completamente diferente. Ainda assim, o mais importante é a curiosidade que o filme despertou em mim para ler os livros. Um ponto positivo que pode não ter ocorrido a muitas pessoas.

Nota:


6 comentários:

vanessavieira disse...

Parabéns pela dica Vê! Já assisti Percy Jackson e o Ladrão de Raios e curti bastante. Beijos!

Veezinha disse...

Que bom que gostou, Vanessa! Estou curiosa para assistir à continuação e, é claro, ler os livros! :D

xx

fellipe disse...

Eu também não li o livro, mas assistir ao filme, e também gostei, embora não seja um filme ótimo, como você disse, é bom, pelo menos para quem não leu o livro!
Eu fiquei sabendo agora que o Percy tem apenas 12 anos nos livros, se tinha lido isso antes não me lembro,achei isso um pouco esquisito, também gostaria que ele tivesse 16/17 anos!

Veezinha disse...

As divergências entre livro e filme me deixam curiosa, por isso estou querendo ler Percy Jackson, embora não seja do meu agrado a idade dele. Ainda assim, ouvi falar muito bem dos livros e acho que valerá a pena!
xx




Em 1 de maio de 2012 23:59, Disqus escreveu:

Viagem ao Centro dos Livros disse...

Na sala onde estudo tem um pessoal simplesmente viciado em Percy Jackson, fomos comprar alguns livros para lermos nas aulas de leitura e muitos compraram a coleção, mas eu não me identifico com o genero!

Abraços!

http://viagemaocentrodoslivros.blogspot.com.br/

Veezinha disse...

Também conheço gente que é fissurada em Percy, uma delas é minha colega de curso. Achei que não me identificaria, mas falando de mitologia, eu 'to dentro! rsrs

xx




2012/5/11 Disqus