quinta-feira, 12 de abril de 2012

#Resenha: Desastre - S. G. Browne (Book Challenge #2 - Dia 6)

Oi gente, tudo bem?

Como ontem eu acabei me atrapalhando um pouquinho com a resenha, fiquei sem postar a outra e, como prometido, eu publicaria as resenhas restantes do Book Challenge. Por isso, espero que gostem da maratona de resenhas e, é claro, não deixem de comentar! :)

Desastre
Autor: S. G. Browne
Editora: LeYa
Número de páginas: 272
Sinopse: "Regra Nº1: Não se envolva com humanos. 
Num mundo onde os sentimentos, caminhos e valores dos seres humanos são comandados por entidades superiores, o destino pode ser traiçoeiro. Conheça Fado, um imortal que designa sinas aos homens, mora num apartamento de luxo em Nova York e veste uma atraente roupa humana. Solidário com seus clientes e apaixonado por uma vizinha, passa a burlar suas tarefas, alterar destinos e bagunçar as coisas no reino dos Céus. Com um texto leve, hilário e muito atual, Desastre vai fazer você repensar suas escolhas, acreditar no poder do amor, e descobrir que até a Morte não é assim tão má pessoa."


Poucos livros me causaram sentimentos tão controversos quanto Desastre. O único de que me lembro foi Como se Livrar de um Vampiro Apaixonado (para ler a resenha, clique aqui). Mas o fato é que, começar a ler o livro sem ficar um capítulo sem rir e terminá-lo aos prantos não me fez deixar de considerá-lo uma ótima leitura.
Fábio, ou Fado, é um imortal que destina sinas aos seus humanos enquanto vive em um apartamento de luxo em Nova York. Ele não economiza nas apresentações e, logo de início, somos surpreendidos por uma narrativa bem humorada e observadora, que atribui a todos os seus conhecidos (desde os 7 pecados capitais, até o próprio Deus ou, como ele o chama, Jerry) características que, no mínimo, fazem todo o sentido! E este é um dos pontos fortes, que realmente nos fazem rir.
Por outro lado, Fado é muito ligado às regras que determinam sua imortalidade e os inúmeros benefícios que vêm com ela, afinal, o Fado existe desde sempre e, por mais que seja interessante nunca envelhecer, seu trabalho pode ser, por vezes, repetitivo demais. E é por isso que ele tem seus encontros com Destino, uma mulher sagaz e muito provocante. Até aí, a vida de Fado parece a mesma desde sempre: escreve sinas para seus humanos, faz "sexo sem contato" com Destino de vez em quando, está sem falar com Morte há algum tempo e sai para beber com alguns pecados capitais, sempre encontrando um imortal pelas ruas movimentadas de Nova York ou em qualquer lugar do mundo para o qual ele tenha se teletransportado.
Mas aí aparece Sara; ela poderia ser como qualquer outra humana, a nova vizinha do apartamento luxuoso de Fado. Só que não é assim que as coisas seguem. Lembram-se da primeira regra? Pois é, ela também será a primeira a ser quebrada. Sara não só vai tirar Fado dos trilhos como também o fará ver a própria existência com outros olhos. Dizem que o amor transforma as pessoas e é exatamente o que acompanhamos enquanto Fado e Sara se apaixonam, embora seja proibido. Fado sabe que não deve continuar nessa loucura, mas muitos sabem que no coração não se manda.
E enquanto esse amor proibido se desenrola, algo está agitando os céus. A vinda de um novo Messias deixa a todos curiosos, afinal, os e-mails de Jerry quase sempre não são tão claros. E Fado, é claro, sabe nos guiar por todo esse burburinho com uma narrativa perspicaz e muito humorada. Ainda assim, todos os seus atos possuem consequências, será que ele conseguirá sair ganhando com Sara ao seu lado?
A narrativa, sem dúvida, foi o ponto mais forte desse livro. Eu me diverti demais, passava páginas e mais páginas rindo das definições de Fado em relação aos seus colegas imortais, seus poderes e comportamentos que, sem dúvida, eram os mais originais possíveis. O tema também foi outro ponto forte. Eu nunca havia lido antes um livro que falasse sobre os pecados capitais, a Morte, o Fado, o Destino e até mesmo Deus, todos juntos e componentes de uma enorme massa que habitava o mundo desde sempre. Foi, sem dúvida, uma ótima experiência conhecer cada um desses personagens, suas personalidades e, mais importante, seus papeis entre os humanos.
Talvez o rumo tomado pelo autor quanto a Fado tenha afetado minha leitura, foi o único aspecto que eu acho que poderia ter sido diferente, mais "feliz". Mas, como nem tudo são rosas... Mesmo assim, a leitura é ainda mais do que recomendada, serão páginas hilárias contadas por um inesperado anfitrião: o Fado!
E cuidado para não confundir Fado e Destino... eles são bem diferentes, acredite.

Nota:


6 comentários:

Raiza Varella disse...

Nossa amei sua resenha, eu estou com um exemplar aqui e estava sem coragem de começar a leitura, sua resenha me fez, com certeza mudar de ideia!

nasproximaspaginas.blogspot.com

Veezinha disse...

Que bom que gostou, Raiza. Leia assim que puder, é um livro super divertido e bem diferente do que estamos acostumados a ver! :D

xx




2012/4/12 Disqus <>

fellipe disse...

A capa desse livro nunca me chamou muita atenção, mas agora fiquei curioso para ler o livro, gosto de narrativas engraçadas e esse parece ser o ponto forte do livro, o que me deixou curioso!
Adorei sua resenha, parabéns!!

Veezinha disse...

A capa, em si, pode ser enganosa. Eu, por exemplo, escolho muitos livros pela capa para depois chegar à sinopse. Mas Desastre eu li depois que vi as opiniões de uma amiga. E a leitura é maravilhosa, super engraçada! Recomendo!

xx




Em 1 de maio de 2012 23:24, Disqus escreveu:

Viagem ao Centro dos Livros disse...

Como o Fellipe, não gostei muito dessas asas na capa, mas também não gosto de histórias de vampiros, mas parece ser bem legal!

Abraços.

http://viagemaocentrodoslivros.blogspot.com.br/

Veezinha disse...

Não se deixe enganar pela capa, a história é muito divertida e vale a pena! Pode confiar! rs

xx




2012/5/11 Disqus