terça-feira, 26 de junho de 2012

#Resenha: Reformed Vampire - Catherine Jinks (Book Tour - Blog Leiturinhas.com)

Oi pessoal!

Deixei de postar ontem e domingo por conta de uma terrível dor no pescoço. Na minha opinião, foi um baita de um mal jeito que me deixou travada! Ontem também foi o aniversário de 3 anos da morte do Michael Jackson. Eu adorava as músicas, os clipes, as danças. rsrs Pena que ele se foi.
Masssss, finalmente estou de férias e agora posso aproveitar para ler bastante, tirar todo o atraso! Muito provavelmente as resenhas serão mais frequentes, justamente para não acumulá-las. Conforme eu for lendo, vou postando, não se preocupem, apenas curtam!
Essa resenha faz parte do Book Tour do blog Leiturinhas.com organizado pela Lívia Martins. Gostaria de agradecê-la pela oportunidade, eu me diverti muito, já adianto!

Reformed Vampire - Grupo de Apoio ao Vampiro
Autora: Catherine Jinks
Editora: Farol Literário
Número de páginas: 392
Sinopse: ""Reformed Vampire – Grupo de Apoio ao Vampiro" é uma história diferente de tudo o que você já leu sobre vampiros. Na verdade, você vai conhecer o lado real de ser um vampiro, aquele que ninguém conta! Eles estão quase sempre doentes ou com dor, e se reúnem em uma espécie de terapia de grupo para discutirem seus problemas e como controlar seus instintos, ou seja, o desejo de sair mordendo pessoas. Nina tornou-se vampira quando tinha apenas quinze anos, e não envelheceu um dia desde então. Mas também não teve um dia sequer de diversão, já que sua rotina isolada dentro de casa é incrivelmente chata, sem poder fazer o que realmente tem vontade. No entanto, tudo vai mudar na vida dela e de seus amigos vampiros quando um membro do grupo é morto de forma misteriosa. Tendo sua identidade ameaçada, terão que sair à caça do assassino, e logo se descobrirão em uma disputa contra lobisomens. Será que vampiros tão frágeis poderão vencer uma batalha como esta? Sangue, desejo e instinto vem à tona com uma bala de prata no peito, estopim de uma batalha em busca da identidade."


Esqueça tudo o que conhece sobre vampiros. Esqueça mesmo. Porque Reformed Vampire é uma história inesperada, contada por Nina, vampira desde 1973, autora de livros sobre vampiros e membro do Grupo de Apoio ao Vampiro, cujas reuniões ocorrem todas as terças-feiras, sediadas na Igreja de Santa Ágata, em plena Sydney, Austrália.
Em companhia a Nina estão Dave, um ex-músico, Bridget, uma adorável senhora, Gladys, uma hippie reclamona, George, um jovem calado, Horace, o gótico e teatral, Sanford, o médico, Casimir, o responsável por todas as transformações e o padre Ramone, um simpático senhor que decidiu ajudá-los. Tudo começa com Nina tentando contar a sua história da mesma forma que faz com Zadia Bloodstone, a protagonista de seus livros, mas, percebendo que não se trata de mais uma das aventuras de Zadia, ela rapidamente muda a entonação de terceira pessoa para a primeira, apresentando a nós como é a vida de um infectado.
E, acreditem, não é nada legal. Não tem nada a ver com poderes, super velocidade, glamour ou qualquer outro adjetivo. Essa infecção nada mais é do que o próprio nome: uma condição enferma a que todos os infectados (e transformados em vampiros) tem de lidar todos os dias de sua vida. Náuseas, vômitos, fraqueza, são apenas alguns dos sintomas da triste realidade de se ser um vampiro.
Mas as dificuldades não param por aí, principalmente quando o mundo em que eles vivem está repleto de pessoas muito bem informadas (mesmo que, às vezes, erroneamente) e, por não se tratarem exatamente das criaturas mais fortes e independentes, precisam manter-se com um perfil discreto. Tentem avisar isso a Casimir...
Tudo muda quando, em uma noite, a reunião semanal não se realizar, pois um dos membros não está respondendo à porta. Então, o grupo precisa se reunir para encontrar maiores pistas, principalmente quando há a suspeita de que o assassino pode saber sobre seus endereços. Eles montam acampamento na casa de Nina, que ainda mora com a mãe, e decidem sobre qual será o próximo passo. Será que esse grupo de vampiros, que sempre tentou viver no anonimato sem grandes esforços, conseguirá caçar um assassino sem correr maiores riscos? O que os espera além dos limites de Sydnei?
Eu adorei a experiência de ler algo realmente diferente de tudo que eu havia encontrado até então. Digamos que Reformed Vampire mostra "o outro lado" de ser um vampiro, o lado menos glamouroso, mais monótono. E, mesmo assim, foi super divertido acompanhar a vida de Nina e seus amigos, contada a partir de sua perspectiva.
Um ponto que realmente me chamou logo no início da narrativa foi a mudança brusca, literalmente de uma página a outra da pessoa narrativa. De repente, ao invés de ser terceira pessoa, ela havia assumido as rédeas. Confesso que voltei e li umas três vezes para tentar entender o que estava acontecendo e até olhei para ver se não havia alguma página faltando.
Cada página era uma descoberta e, guiados por Nina, vamos acompanhando as transformações que ocorrem no próprio grupo, afinal, eles estão lidando com uma situação incomum, que exige uma mudança na rotina tão pacata desses vampiros. E eles provam não ser tão frágeis quanto se imagina.
Leitura inesperada, diferente, divertida e altamente recomendada! Principalmente àqueles que já leram de tudo um pouco sobre vampiros. Vocês não perdem por esperar!

Nota:


10 comentários:

Luciara disse...

Oi Vê,


não conhecia esse livro. oO
Sua resenha me deixou bem curiosa com a história. Pretendo ler, quero conhecer esse outro lado sobre a vida dos vampiros.


beijos.

LiviaLorenaDamasceno disse...

Oiee Vê como vai?
Olha já li algumas coisas sobre esse livro e ele muito me deixou curiosa. A história de vampiros sendo tratada de um modo completamente novo é algo que nós que curtimos sempre queremos. Sou muito fan dos mais clássicos, mas não tenho nada contra novas abordagens do tema. Gostei bastante da sua resenha viu! Parabéns e sucesso.
Vê, vc recebeu o seu kit? rsrsrs
Beijos e sucesso.
Lilo
Redenção

fellipe disse...

Vampiros é um tema que eu já estou saturado, mas agora fiquei curioso, a primeira frase da resenha já me chamou atenção!
E essa mudança de terceira pra primeira pessoa também deve ser bem legal!

Rodrigo Caldas disse...

Realmente os vampiros já tiveram seu lugar ao sol por tempo demais, mas confesso que esse livro, pelo o que sua resenha disse, parece ser um pouco inovador se comparado com as outras obras que vemos por aí.

Veezinha disse...

Olá querida!


Que bom que tenha despertado seu interesse! É super diferente e vale a pena conferir! Um lado completamente distinto de tudo aquilo que estamos acostumadas a ler! :D
Espero que curta a leitura!


xx

Veezinha disse...

Oi Lilo, tudo certo e vc?


Exatamente, nesse mundo com tantos vampiros, algo como o retratado em Reformed Vampire tem a tendência a se destacar! E vale super a pena conferir!
Para mim, depende do clássico rsrs tive más experiências com "Drácula", por exemplo. rsrs Sou fã das abordagens mais atuais!
Fico muito feliz que tenha gostado e todo o sucesso em dobro para você!
Recebiii sim, já respondo seu e-mail com a foto, ok? Muito obrigada, ele é lindo demais! *-*


xx

Veezinha disse...

Saturado, mas que tem sempre espaço para mais um, né? rsrs
Leia, é bem interessante e tem tudo para se destacar daquilo que estamos tão acostumados a ler!
Essa mudança me pegou desprevenida, mas depois eu acho que ficou bem melhor! rsrs
Outra coisa que também chamou minha atenção foi a história se passar na Austrália! Nunca tinha lido nada igual! É sempre EUA, Europa... aí já viu!


xx

Veezinha disse...

Inovador e beeeeem diferente. Com certeza conseguiu um espacinho ao sol, mas bem delimitado e de destaque!
Não só a história é um outro ponto de vista àquilo que estamos acostumados a ver, mas o cenário dela também é curioso. Já havia visto algum livro se passar na Austrália? Eu fiquei surpresa!
É muito legal e vale a pena conferir, surpreendente!


xx

Flavio Oliveira disse...

Li resenhas bem diferentes sobre este livro; alguns gostaram e outros odiaram; mas como eu não sou fã de vampiros, pularei.. rs. Nem Drácula eu li, que vergonha! Kkkk

Veezinha disse...

É, as opiniões são bem divergentes mesmo! rsrs Mas eu fico com os que gostaram!
Eu li Drácula e foi uma decepção, então... rsrs


xx