domingo, 15 de julho de 2012

Grandes Mestres: Renoir

A seção Grandes Mestres, que ocorrerá todos os dias 15 e 30, será um retrato dos mais famosos e inovadores artistas que foram selecionados pela editora Abril para compor uma coleção de 25 livros.
Para os amantes das artes, um prato cheio; para os curiosos, a possibilidade de descoberta desses incríveis pintores e escultores que mudaram o seu tempo.

Pierre-Auguste Renoir (1841 - 1919)

"Renoir começou a carreira como operário, em 1854, pintando porcelanas na loja de monsieur Lévy, decorador do bairro do Marais, em Paris e depois na loja Gilbert, especializada em leques e cortinas. Entre uma loja e outra, o pintor se virava decorando cafés com cenas mitológicas.
'Se eu não me divertir, jamais pintarei, jamais.' Em contraste com a prática do ateliê, em que se pinta em ambiente fechado e de memória, surge a novidade da pintura "ao ar livre" (plein air) em contato direto com a natureza."
(Grandes Mestres, Renoir, Abril Coleções; páginas 10 e 11)

Retrato de Romaine Lacaux (1864)

Em 1864, um modesto ceramista pediu a Renoir que fizesse um retrato de sua filha, Romaine Lacaux. As encomendas ao jovem pintor eram então raras, mas a atividade prévia de Renoir como decorador de porcelanas pode explicar esse contato. Romaine está sentada em uma simples cadeira de madeira. Sua pose, com o corpo semifrontal e o rosto voltado em direção ao espectador, indica a procura de uma posição compositiva equilibrada.


Madame Charpentier e seus Filhos (1878)

A posição influente de madame Charpentier, cujo salão artístico e político era conhecido em Paris à época, permite a Renoir ter uma obra pela primeira vez bem colocada nas salas da exposição. A crítica, no entanto, permanece áspera em relação ao artista e não perde a ocasião para reforçar as suas "faltas" nos territórios do desenho e da composição: "um esboço ainda incompleto realizado em tons esmerados (...) um esboço transparente e pouco decidido, que parece ter sido feito com diferentes novelos de algodão coloridos (...) sem falar da arte do desenho. Há uma total ausência de perspectiva."


No Circo Fernando (1879)

O Circo Fernando é montado em Paris em 1874 com uma arquitetura fixa, que substitui a decoração móvel do anterior, o Cirque Forain. Os artistas são provavelmente atraídos pelo ambiente colorido, onde todas as noites habilidade, coragem e divertimento são tema de uma mise en scène (encenação) ao mesmo tempo alegre e melancólica - em que a atmosfera mágica do espetáculo está suspensa pelo fio de uma vida precária e de sacrifícios.
Em 1879, Renoir trabalha em uma tela inspirada no Circo Fernando. São as duas filhas do proprietário, Angelica e Francesca, que ocupam a superfície inteira do quadro, dividida por uma linha semicircular, que define o limite entre o piso e o picadeiro e o espaço reservado à plateia.


Tarde das Crianças em Wargemont (1884)

A obra é permeada por um clima de sóbria e ordenada elegância. As três jovens ocupam cada uma um ponto preciso da sala. As duas maiores, Marthe e Marguerite, estão com a atenção voltada à costura e à leitura, enquanto a menor, em pé, procura chamar a atenção da irmã mais velha, colocando uma boneca sobre suas pernas. Nenhum sinal de vivacidade percorre os passatempos da tarde. Essa quietude encontra correspondência no feitio linear da decoração e na medida composição de tonalidades cromáticas quentes (o vermelho e o laranja) e frias (verdes, celeste e azuis, concentrados na parte esquerda da tela), ambas dominadas por uma claridade tênue que cristaliza os tons.


As obras de Renoir estão concentradas, principalmente, em museus dos Estados Unidos e da França. Enquanto folheava suas obras, sabendo um pouco mais sobre cada uma, ficou muito difícil selecionar as que fariam parte do post. Em todos os quadros, Renoir tem um traço fluido e, ao mesmo tempo, sólido, marcado. Seus retratos encomendados distinguem-se daqueles pintados ao ar livre pela firmeza do traço e a definição das feições daqueles que pinta.
Com certeza entrou para a minha lista de pintores apreciáveis pelas telas suaves e bem coloridas.


Bibliografia:

1. Abril Coleções, Grandes Mestres vol. 13, Renoir;
2. O artista e o seu tempo; Renoir e a Sensualidade da Pintura, pág. 10 e 11;
3. Retrato de Romaine Lacaux, pág. 40 a 43;
4. Madame Charpentier e seus Filhos, pág. 104 a 107;
5. No Circo Fernando, pág. 112 a 115;
6. Tarde das Crianças em Wargemont, pág. 124 e 125.


10 comentários:

Rodrigo Caldas disse...

Ele começou por baixo e no fim acabou por ficar super famoso, nada mal né. Admiro as pessoas que escolhem fazer aquilo que gostam, é assim comigo e com meu blog, eu faço enquanto me der prazer, quando eu sentir que for mais uma obrigação eu vou parar.
Adorei os quadros dele, eles são coloridos *-*
Abraços.
http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

Flavio Oliveira disse...

Vê, assista o filme que conta um pedaço da vida do Modigliani. Tem uma cena dele encontrando Renoir que é impagável... Renoir, ao lado de Pissarro, Monet, Sisley e Cézanne (no fim da carreira) são os cinco impressionistas ortodoxos e iniciais. Mudaram conceitos.

fellipe disse...

Gostei dessas obras dele, principalmente desta Tarde das crianças, ela tem bastante cores, mais do que as outras, e tem bastantes elementos na pintura!

Veezinha disse...

Nada mal, mesmo!
É reconfortante fazer algo de que gosta, fica tudo melhor quando estamos felizes e satisfeitos com o que fazemos, né?
Os quadros são bem vivos e dá aquela sensação de leveza com as pinceladas e os contornos. Não vejo a hora de poder observá-los de perto!


xx

Veezinha disse...

Por favor, me diga que esse filme não é cult. Passa aí o título, vou procurá-lo! :D


xx

Veezinha disse...

Exatamente, Fellipe. Foi difícil escolher as obras, era uma mais interessante e bonita que a outra!


xx

jessica rochafonseca disse...

bem legal esse post hein!!A obra que gostei mais foi o Retrato de Romaine Lacaux .muito bonitinha essa menina.
http://livrosobaluzdalua.blogspot.com.br/

Flavio Oliveira disse...

Modigliani – Paixão Pela Vida, passa no Telecine. Listei alguns filmes sobre artes e artista neste antigo artigo: http://www.grobsch.com.br/?p=1480.

Amanda Gabrielle disse...

Não sei o porquê, mas estas obras me dão medo. haha
Acho realmente importante a sua iniciativa de mostrar sobre esses artistas. xD

Rafaela Kulmann disse...

Adorei esse post. Eu gosto de aprender sobre arte. A obra que mais gostei foi Tarde das Crianças em Wargemont. Linda :)