terça-feira, 10 de julho de 2012

#Indicação - Filme: Sucker Punch - Mundo Surreal

Sucker Punch - Mundo Surreal (Sucker Punch) - 2011

Ambientando na década de 50, uma garota é internada em um sanatório pelo seu padrasto ganancioso, o qual pretende ser o único herdeiro da fortuna deixada por sua mãe. Dali em diante, ela passa a enfrentar terapias dolorosas, além da ameaça de que em 5 dias passará por uma sessão de lobotomia. Diante do medo, sua única saída será refugiar-se em sua própria mente, onde entrará em uma realidade imaginativa em que o sanatório é um bordel e suas amigas e ela necessitam passar por mundos diferentes, repletos de dragões, robôs, samurais e armamento pesado a fim de poderem escapar.
A minha ideia ao assistir Sucker Punch era conferir o trabalho da atriz Emily Browning, protagonista neste filme, que eu já havia curtido bastante em sua participação no filme Desventuras em Série (confira aqui). Porém, já estava com um pé atrás praticamente por causa da sinopse e do trailer que eu havia assistido. Deixei de conferi-lo no cinema para poder assistir na própria televisão que, ultimamente, tem exibido o filme dia sim, dia não no canal HBO. E só tenho uma coisa a dizer: ainda bem que não gastei dinheiro com um ingresso.
Sabe aquele filme em que, mesmo no começo, você já não consegue entender nada? Eu me senti assim logo nos primeiros minutos de exibição. Em se tratando de um mundo surreal, eu já não conseguia distinguir o que poderia ser imaginação e o que seria realidade. Internada em um sanatório pelo padrasto, Babydoll encontra-se presa a um lugar com outras garotas em que não conseguimos limitar onde é a realidade e onde se inicia a imaginação de Baby para fugir da situação em que se encontra.
Enquanto forma um plano para escapar daquele lugar antes de sua lobotomia, Baby solta as asas da imaginação em que, para se ver livre de lá, terá de reunir cinco objetos determinados por um sábio que a guiará pelas disputas que se assemelham a cenários de videogame. Baby também terá de convencer suas colegas de bordel (não me perguntem, nem eu consegui perceber se aquilo fazia parte da ilusão de Baby ou se era a realidade do aparecente "sanatório") a entrar nessa briga com ela, reunindo as melhores habilidades de casa uma que, em seus sonhos, empunharão armas de grosso calibre, atirando e explodindo tudo o que vêem pela frente.
Essas cenas de luta tomam conta da imaginação de Baby notavelmente enquanto ela está "dançando". Afinal, no bordel do qual fazem parte, as meninas precisam seduzir os clientes e essa sua habilidade de deixar todos boquiabertos e presos aos seus movimentos garantirá a Baby o tipo de distração de que precisa para colocar as demais meninas em ação para conseguir os objetos necessários à fuga.
Confuso? Também achei.
E foi essa confusão entre realidade e fantasia que mais me incomodou. Praticamente não conseguia limitar onde começava e onde terminavam os delírios de Baby, se aquele bordel era real ou parte de seu escape. Minha reação durante o filme se resumiria a algo parecido com isso:

É uma pena que o filme foi uma surpresa desagradável, realmente pensei que seria divertido e, claro, diferente o que, em parte, acabou sendo. Acabei comprovando que filmes que misturam o real e o imaginário não são mesmo a minha praia.

Nota:

10 comentários:

fellipe disse...

Nossa, eu estava muito curioso para ver esse filme algum tempo atrás e ainda bem que não perdi meu tempo assistindo porque parece mesmo ser muito confuso, não gosto disso!

Rodrigo Caldas disse...

Eu estou curioso para ver esse filme desde a estreia dele, mas eu estava muito ocupado e não pude ir, eu quero vê-lo porque ele tem uma ideia original, a história se passa quase inteiramente na cabeça da protagonista! Assim que puder eu vou alugar o filme para poder dar minha opinião sobre ele.
Abraços.
http://viciadoemlivrosefilmes.blogspot.com/

Flavio Oliveira disse...

Várias atrizes lindas, vestindo roupas colantes de couro, mostrando os dotes... Irei gostar do filme, sim... rs. Quanto ao enredo, se tiver divertimento enredos ruins eu deixo passar.

Veezinha disse...

Eu estava na mesma situação, Fellipe! Pena que foi tão ruim!


xx

Veezinha disse...

Boa sorte, Rodrigo. Se você entender o filme um pouco melhor, me avisa, ok? rsrs


xx

Veezinha disse...

Sem comentários para você. rsrsrs


xx

Vinicios disse...

Estou ansioso para ver esse filme. Recentemente vi o trailer dele e achei que este é um filme único. Achei a atriz
Emily Browning fantástica no papel de Violet em "Desventuras em Série" e por isso tenho curiosidade em assistir Sucker Punch - Mundo Surreal , mas tenho receio de não gostar sabendo do quão confuso é o filme. Mas antes de falar alguma coisa vou tentar assisti-lo para dar minha opinião. Parabéns pela ótima resenha!
Abraço!
http://www.blogoblogueiro.blogspot.com.br/

jessica rochafonseca disse...

assisti o filme e gostei bastante,confesso que de primeira pensei perai,"isso tudo é só na cabeça dela?",mas depois achei uma maneira interessante de mostrar como a mente dela estava funcionando para conseguir cumprir as missões e conseguir fugir.Minha nota séria 3,um bom,mas nada de ver de novo,e de novo,e de novo!rs.


http://livrosobaluzdalua.blogspot.com.br/

Amanda Gabrielle disse...

Recentemente procurei pelos trabalhos da Emily e dei de cara com este filme. Então vi o trailer e achei que é algo diferente. Pela resenha, parece que é bem complexo, mas só vendo para saber, não é? Por isso tentarei ver em breve.

Rafaela Kulmann disse...

Também não gostei desse filme. Achei complexo e cheio de efeitos especiais. Gosto mais de filmes "simples".