terça-feira, 24 de julho de 2012

#Resenha: A Arte da Imperfeição - Brené Brown

A Arte da Imperfeição
Autora: Brené Brown
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 184
Sinopse: "Este importante livro é sobre a jornada de uma vida, deixando de se preocupar com 'O que os outros vão pensar?' e acreditando que 'Eu sou suficiente'. A habilidade ímpar da autora em misturar pesquisa original com relatos faz com que a leitura de A Arte da Imperfeição pareça uma longa e animadora conversa com uma amiga muito sábia que oferece compaixão, sabedoria e ótimos conselhos. A cada dia nos deparamos com uma enxurrada de imagens e mensagens da sociedade e da mídia nos dizendo quem, o que e como devemos ser. Somos levados a acreditar que, se pudéssemos ter um olhar perfeito e levar uma vida perfeita, já não nos sentiríamos inadequados. E se eu não posso manter todas essas bolas no ar? Por que não é todo mundo que trabalha duro e vive às minhas expectativas? O que as pessoas vão pensar se eu falhar ou desistir? Quando posso parar de provar a mim mesmo? Em A Arte da Imperfeição, Brené Brown, Ph.D, é uma especialista em vergonha, autenticidade e compartilha a coragem que aprendeu em uma década de pesquisas sobre o poder de viver sinceramente."

Este livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

Geralmente, os livros de autoajuda são aqueles que ficam naquela seção da livraria onde nunca piso ou, então, passo bem longe. Sou uma cética, por assim dizer. E foi com esse pensamento que peguei A Arte da Imperfeição nas mãos para ler. Mas a surpresa que tive, ao rapidamente devorar as 184 páginas, é que a história por trás desse livro era muito mais do que uma consulta escrita entre algum psicólogo e o leitor. Era o compartilhamento de uma pesquisadora, Brené, com o leitor sobre o que ela descobriu em sua pesquisa, que durou dez anos de sua vida.
Ao contrário do que eu poderia imaginar, a leitura não foi maçante, mas prática e dinâmica. Como ela nos explica, é sempre bom quando conversamos com uma pessoa que parece ter passado por algo parecido com o que passamos. Brené compartilha conosco como sua pesquisa fez com que ela caísse em si sobre como vivia sua vida. O impacto foi tão forte que, a partir daquele dia, ela passou a rever seus conceitos e aplicar as informações que coletava através de inúmeras entrevistas com os participantes.
Em outras palavras, a autora praticamente deixou de parecer perfeita diante das pessoas ao seu redor para aceitar suas imperfeições e, assim, parecer mais humana... e feliz. Ela deixa de se preocupar com o que os outros irão pensar e foca mais em si mesma, procurando aceitá-la como é, com todas as falhas, as limitações e sua incapacidade de querer fazer parecer que é blindada, apenas para ficar "bem na fita".
Ao final de cada capítulo, após discorrer sobre o que devemos superar e aceitar como um fato inevitável a nossa natureza perante a sociedade em que vivemos, ela propõe o que chama da DIA (Deliberação, Inspiração e Ação) em que podemos mudar nossa realidade individual, se preocupando menos com as críticas que vem de fora, com as preocupações em relação aos outros, para passar a se preocupar mais consigo mesmo.
O livro todo é uma aula sobre como Brené experienciou a transformação para alcançar o que ela chama de Vida Plena com base em tudo que apreendeu das entrevistas, explicando as práticas adquiridas ao mesmo tempo com explicações para como poderíamos fazer o mesmo. Uma verdadeira aula de como se aceitar melhor e, a partir daí, começar a construir um modo de vida mais focado nos cuidados próprios para, então, poder se preocupar com os outros que habitam ao seu redor.
Brené ressalta a todo momento que é uma pesquisadora, mas dá para perceber que, naquele livro, está escrevendo não em termos técnicos sobre os resultados, mas algo bem mais prático, experienciado por ela, levando-nos a perceber que, afinal de contas, não pode ser tão difícil assim, já que ela mesma conseguiu. Basta querer. É um trabalho ininterrupto, sem dúvidas, e que precisa ser vigiado bem de perto por nós mesmos, mas o resultado virá com o tempo.
A experiência foi bem diferente, mas nada que me faça ir correndo para ler outros livros de autoajuda. Digamos que acabou sendo bem mais leve e divertido do que eu poderia imaginar, sem me deixar a impressão de que os passos oferecidos pela autora fossem mais difíceis de serem alcançados e ela retratasse apenas de suas pesquisas, e não compartilhando uma experiência própria no discorrer das páginas.


Nota:


11 comentários:

jessica rochafonseca disse...

hum,interessante e tudo mais,mas não é muito meu estilo de leitura.

fellipe disse...

Eu também não gosto muito de auto ajuda, mas estou até querendo ler esse livro, porque parece mais uma aula, como você disse, ou uma palestra escrita de uma pessoa que pesquisou muito e te fala sobre isso!
Tenho ele aqui e qualquer dia vou ler!

VanessaVieiradaCosta disse...

Parabéns pela resenha Vê! Já li A Arte da Imperfeição e curti bastante, apesar de não ser fã de autoajuda. Beijos!

Flavio Oliveira disse...

Eu gosto de livro que nos derrube, deixe no chão estirado... hehe... Fujo de autoajuda e conselhos... rs

Amanda Gabrielle disse...

Eu já li "A arte da imperfeição". As pessoas têm um grande preconceito e fazem criticas horríveis aos livros de auto-ajuda. Eu gosto bastante desse gênero. Acho que esse tipo de livro nos faz criar opiniões e mudar a nossa forma de pensar.

Rafaela Kulmann disse...

Eu gosto de livros de auto-ajuda e já aprendi muita coisa lendo eles. Estou pensando em comprar A Arte da Imperfeição, já faz um tempinho que ele tá na minha listinha de livros.

karen andrade disse...

eu nunca gostei de livros de autoajuda todas as vezes q os vejo torso o
nariz rsrsrs,mas minha cara blogueira vc m deixou com gostinho de quero +
vou coloca-lo na minha lista de desejado e ver se eu concordarei com
vc.

Whild melo disse...

a muito tempo venho lendo varias resenhas sobre esse livro, eu gostei muito me apaixnei por ele, estou louco para ler, muitas pessoas dizem a não gosto muito porque é de auto ajuda mais o livro ta promento um pouquinho a mais

Cristiane Silva disse...

Ainda vou ler esse livro. Eu gostei, parece deixar uma mensagem e a gente aprende umas coisas. Ma não é meu tipo de livro...

Silvando Ferreira disse...

Não tenho muito costume de ler este tipo de livro, mais acho que dar para dar uma conferida. obrigado pela otima resenha.

Bianca Lima . disse...

É bem daqueles livros onde a gente para pra pensar um pouco na nossa vida, o que a gente faz não é ... ? Um pouco de auto-ajuda! Apesar de muitas pessoas criticarem esse tipo de livro, eu gosto. Fiquei interessada em ler.
Beijos