quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Indo mais a fundo... #20

Oi gente!

Ainda não coloquei a promo no ar, mas acalmem-se, tudo dará certo! rs

Hoje venho falar de uma dupla que marcou a minha infância e que, até hoje, me faz lembrar de bons momentos. Posso ter me desfeito de muitas coisas conforme fui crescendo, a maioria foram doações, mas essas lembranças eu fiz questão de manter.
Muito mistério? Não mais.


Audrey & Don Wood

Essa dupla de autores e ilustradores fizeram livros fofos, simples e muito divertidos. Eu os conheci por acaso, não tenho certeza se foi indicação de alguma apostila da escola ou foi sem querer, procurando na Saraiva. Mas só sei que tenho os livros até hoje, me recusando a doá-los para alguma biblioteca. Às vezes me sento, coloco todos sobre o colo e os leio em voz alta, mesmo que esteja sozinha, interpretando as frases como eu faço desde pequena.
Quando fui pesquisar alguma coisa sobre eles na Wikipedia (sempre rs), encontrei pouquíssima coisa, então, recorri ao Google e descobri o site da Audrey e, mesmo sem muitos dados específicos, temos pequenas descrições sobre a vida de Audrey, do marido Don e do filho deles, Bruce. Além disso, existem vários extras dos livros, como as inspirações, várias fotos, atividades. É tudo bem dinâmico e cada clique é uma surpresa.
Por exemplo, vários personagens foram inspirados na modelagem de pessoas, como o próprio Don Wood, seu filho quando pequeno, a mãe de Audrey e até um amigo de infância de Don. Isso é bem legal, né? Nas páginas, há a comparação da foto tirada com a ilustração do livro e preciso dizer que as semelhanças são incríveis:

Don Wood como a Bruxa Salomé.

A Casa Sonolenta existe!

Mãe da Audrey como a mãe das crianças em A Bruxa Salomé.

O filho, Bruce, como o pajem de O Rei Bigodeira e Sua Banheira.

Amigo de infância de Don como o Rei Bigodeira.
Agora, vou apresentar os livros que marcaram minha infância:

A Casa Sonolenta

Era uma casa sonolenta, onde todos viviam dormindo. Quem diria que uma simples pulguinha saltitante pudesse acabar com todo o sossego num instante!

Esse foi o primeiro que eu comprei. Com uma história do tipo que eu gosto de chamar "fila indiana", onde simplesmente vão se enfileirando os fatos, como um trava língua, o lema é: "onde todos viviam dormindo".
A história é super rápida, assim como todas as outras e é uma das minhas favoritas. As ilustrações são muito bem feitas e a história, bem criativa, se você for pensar bem.

O Rei Bigodeira e sua Banheira

O fanfarrão rei Bigodeira não quer mais sair de sua banheira. Só uma criança poderia descobrir como acabar com essa brincadeira! Tradução de Gisela Maria Padovan, Prêmio Monteiro Lobato de melhor livro traduzido para criança.

A história do Rei que, com preguiça de deixar sua banheira, resolve convidar seus amigos do reino para ter uma festa de verdade. Dentre os mais loucos temas, vamos de um banquete até a pescaria. A riqueza das ilustrações meio que compensa a história breve, porém divertida e, mais uma vez, inédita. O lema dessa é o grito do pajem: "Socorro! Socorro! O rei Bigodeira está na banheira e não quer sair. O que vamos fazer?"

A Palavra Feia de Alberto

Numa festa, o chique Alberto levou uma martelada no dedão. Como segurar o palavrão? E a mãe lhe deu uma bronca e o mandou lavar a boca com sabão.

Esse é o livro mais estranho, na minha opinião. O garoto que, levando uma martelada de críquete no pé, solta um palavrão e precisa lavar a boca com sabão. Mas quem disse que o palavrão vai deixá-lo em paz? Ele vai crescer, crescer, crescer até se tornar uma nuvem bem feia e de rompimento iminente. Será que o palavrão vai ficar esquecido?

A Bruxa Salomé

A história da bruxa Salomé, que se aproveita da ausência da mãe para transformar os filhos em comida!

Outra das minhas favoritas. A mãe que tem sete filhos, cada um nomeado como um dos dias da semana (estranho, não?) e que, por serem tão bonzinhos, resolve trazer uma coisa para cada um do mercado. Mas, enquanto está fora fazendo compras, uma bruxa convence as crianças a deixá-la entrar dentro de casa e, então, os transforma em comida! Até onde uma mãe é capaz de ir por seus filhos? Dá para perceber que essa simples camponesa tem muito pelo o que lutar.

O Ratinho, o Morango Vermelho Maduro e o Urso Esfomeado

Esta é uma divertida fábula sobre a esperteza dos pequenos contra a força dos gigantes. O ratinho que protagoniza as cenas tenta esconder um morango maduro de um grande urso que, aliás, não aparece na história. Um interlocutor oculto, mais esperto ainda que o rato (e com o qual a criança se identifica), é quem vai narrando a história, ao mesmo tempo que convence o ratinho a dividir o morango com ele.

O mais recente de todos eles, veio como parte de uma coleção gratuita do Itaú, e foi muito bom relembrar a dupla com seu jeito simples de fazer histórias muito fofas. O ratinho que encontrou um morango e, convencido pelo narrador de que um urso grande e perigoso será capaz de encontrá-lo e devorá-lo, ele logo trata de se livrar do morango, comendo-o. Mas não sem antes dividi-lo com o narrador. É uma história, como as outras, diferente e interessante. Afinal, será que esse narrador é o urso?


Espero que tenham gostado!


8 comentários:

Babi Lorentz disse...

Nossa, como eu não li nenhum desses? O.O

Fernanda Faria disse...

Eu não li nenhum desses que você citou, quando eu era criança lembro que tinha um livro enorme com 700 e poucas páginas, que tinha todos os contos de fadas, e histórias de criança possivel. De Branca de Neve à Gato de Botas. Também tinha um livro gigante, maior do que eu , quando era criança, cheio de ilustrações que contava *.* Fofura.

Sayonara Lima Augusto disse...

Nunca tinha ouvido falar, mas adorei conhecer um pouco sobre os livros e sobre os autores. São tão boas essas lembranças da infância, acho que vc fez muito bem em não doar esses livros para uma biblioteca, tem certas recordações que precisamos guardar junto com a gente :)

Clara Beatriz disse...

Não me chama muita atenção este tipo de livro, mas o seu afeto por eles me chamou muita atenção, vou procurar saber mais.

Rodrigo Moreira Dias disse...

Você viu que O Grande Urso Esfomeado, estava sendo dado pelo Itau?
Eu pedi e recebi 3 livros.
Amei esse livro por sinal, achei fofissimo.
E adorei o post.

Gabriel Sousa disse...

Não conhecia os autores :( até mesmo pq nao sao da minha época mas os livros parecem bem divertidos, principalmente rei bigodeira e a sua banheira!

Gabriela Brito disse...

Que encanto! Nunca fui muito de ler quando eu era pequena, eu gostava mais de brincar de boneca, rs
Mas lendo essas sinopses e vendo as fotos me deu uma vontade de conhecer essas histórias, parecem ser uma fofura *--*

Fernanda Rodrigues Mendonça disse...

Eu acho q eu nao conheci nenhum desses na minha infancia, o que é uma pena, pq parecem ser t~~aããão legais!!!


=**