domingo, 24 de fevereiro de 2013

#Resenha: Imaginário Feminino - Camille Thomaz

Oi pessoal!

Como vocês podem perceber, eu sobrevivi à minha primeira semana de aulas práticas de direção. Bem como sobrevivi a mais uma semana inteira na minha cidade natal, apesar das noites terríveis de sono.
Acabei ficando sem postar, mas, depois de algumas notícias bem chatas, resolvi atualizar toda essa semana hoje e, a partir de então, apertar mais minha responsabilidade com o blog.
Vocês já devem ter notado que eu devolvi o plano de fundo antigo depois de várias reclamações com a outra imagem. Preciso dizer que estou correndo atrás de um layout personalizado e que reflita bem mais as inspirações que movem esse blog. Então, quanto a isso vocês podem ficar sossegados. Vai demorar um pouco, mas vai chegar.
Agora, vamos à maratona?

Imaginário Feminino
Autora: Camille Thomaz
Editora: Dracaena
Número de páginas: 112
Sinopse: "O amado universo feminino é preenchido por mistérios e dá abertura para abordar os mais variados temas. É poderoso, pode mudar o rumo de uma história. Este universo jamais será desvendado: 'Fato.' 
Pois bem, saiba que algo singular, nas entrelinhas de uma inteligente narrativa, transborda nas páginas desse livro. As palavras se traduzem em sentimentos, desilusões, vivências e passagens (aparentemente) tão cotidianas que atingem o belo mundo ao qual pertence o universo das paixões. A leitura é ininterrupta: 'Comprove.'
Atingirá a mente dos pensantes e o coração dos que já se apaixonaram, dos que estão em pleno prazer, ou, ainda, daqueles que se apaixonarão: nada de meio termo, todos estarão envolvidos. As histórias, ou a história, se reflete como um espelho no coração de cada leitor que se aventurar aqui. Às vezes leia por duas vezes uma mesma passagem, terá diferentes interpretações: 'Aceite o desafio.'
A autora trouxe um assunto delicado, ao mesmo tempo necessário. Utilizou de coisas simples para dar uma oportunidade para a reflexão e o desabafo; de encontrar o nosso 'eu' — a tanto escondido, que interliga ou busca o sexo oposto. A linguagem, mesmo que simples, traz a mensagem subliminar: 'Desvende.'
Camille Thomaz pode ser jovem e uma autora iniciante, mas possui uma mente altamente elevada, graças a bagagem cultural que absorveu no apaixonante mundo dos livros. Essa é uma obra voltada à todos, seja para amar, pensar... Ou jamais esquecer: 'Não duvide.'"


Este livro foi cortesia da editora Dracaena.

Ler Imaginário Feminino foi um misto de fascínio e confusão para mim. Quando pego um livro, normalmente tenho certa noção do que ele abordará, qual será mais ou menos o estilo da narrativa, o que basicamente me aguarda. Mas, depois de recebê-lo da editora, li várias vezes a sinopse, a orelha e o que mais havia de informação no livro embora não tenha conseguido absorver nenhuma noção.
Então, com uma leitura rápida, prática e bem dinâmica, tentei entender o que se passava. Seria uma narrativa? Vários contos? Crônicas? Simplesmente situações? Confesso que minha dúvida se estendeu por toda a leitura e, agora, não sei dizer, com certeza, a qual conclusão cheguei. Se eu te dissesse que se trata de uma narrativa, provavelmente não seria bem essa a definição na qual se encaixa. A verdade é que, aos poucos, a história parece engrenar em uma trajetória linear, com uma personagem que protagoniza essas diversas situações sem, necessariamente, ser citada. A narrativa (se é que posso chamá-la assim) é em primeira pessoa e temos a impressão de que se parece com um diário ou, então, como se diz logo no início do livro, um bloco onde diversas ideias são anotadas. Talvez sejam apenas ideias de cenas aleatórias que foram anotadas e, então, revisadas pela autora na forma do livro. Talvez não.
Muito confuso? Ótimo, agora você sabe como eu me senti lendo Imaginário Feminino.
Apesar dos pesares, mudando o foco para o que realmente chamou a minha atenção e me fez devorar o livro: o conteúdo. Não importa a forma como foi disposto, a verdade é que, em diversas situações ali descritas, eu consegui me identificar. Vivenciando as mesmas coisas, pensando, talvez não do mesmo jeito, mas de forma muito parecida. E então me pus a pensar em quanto isso não poderia se assemelhar ao que se passa na cabeça de tantas outras mulheres. É como se a autora tivesse feito uma bela agregação de fatos, pensamentos e sentimentos que circundam esse universo que tantas pessoas tentam desvendar e que, ainda assim, parece tão misterioso e desconexo: o universo feminino.
Com uma escrita excepcional, Imaginário Feminino conseguiu me encantar e, mesmo não tendo certeza do que exatamente li, isso só afetou uma pequena parcela do meu parecer final. Acho que por ter sido uma leitura que fez com que eu me identificasse com algumas situações contribuiu, e muito, para tornar a evolução do livro algo que realmente me prendesse e curtisse.
Não sei se uma releitura fará com que eu tenha um entendimento completamente diferente e, finalmente, desvende esse mistério sobre a construção do texto, mas, definitivamente, tentarei um dia. Eu indico o livro independentemente da minha confusão, pois só pelo fato de ter uma escrita maravilhosa e pelo tema abordado, vale a pena conferir.

Nota:

E não se esqueçam de continuar deixando suas opiniões sobre o blog nesse formulário. Conto com a participação de todos!


9 comentários:

Kelry Caroline disse...

Oi Vê, não conheçia o livro, mas gostei bastante. Só pela sinopse já é bastante legal.

Ana Paula Barreto disse...

Não é um livro que eu leria, sinceramente. Mas acho muito bacana a questão da identificação. Quando a gente consegue criar empatia com a história ou com personagens, parece que a coisa flui naturalmente, tornando a leitura bem agradável (apesar dos pesares!).
obs: Início de ano é sempre uma correria mesmo. Fica sossegada, a gente entende!!
bjs

Fernanda Faria disse...

Lendo a sinopse por si só eu não me interessei pelo livro, mas pela resenha eu achei bem interessante, e fiquei curiosa. A capa eu achei linda demais.
beijos

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Vê! Estou ansiosa para ler Imaginário Feminino! Beijo!

Gladys Sena disse...

Já li algumas resenhas desse livro, mas não tenho interesse em lê-lo.


Bjo!

Letícia Andrade disse...

Não conhecia o livro, mas ele é pequeno e acho que leria :)

Beeeijo
Letícia - unceudeletras.blogspot.com

Priscila Barros disse...

Já li algumas coisas sobre ele, até achei interessante. Mas ficará bem em baixo na minha lista de desejo.

Amanda Valverde disse...

Essa editora ahaza nos livros, sempre bons!

JessicaLisboa disse...

Sinceramente nao gosto desse livro, por mais que o enredo seja bom ele nao me chama atenção.