quinta-feira, 25 de abril de 2013

#Indicação - Série: Downton Abbey

Downton Abbey - Exibida no Reino Unido pela iTV e no Brasil pelo GNT.
Número de Temporadas: 3 (4ª já foi confirmada)

Sobre o que fala?

O drama de época se passa na fictícia propriedade rural Downton Abbey, onde vivem os Crawley, uma família aristocrática, e seus servos. É nesse cenário e com esse elenco central que grandes acontecimentos históricos, pós-Edwardian, serão lembrados, envolvendo os personagens e criando toda a trama. Entre os eventos retratados na série, estão o naufrágio do Titanic, o surto da I Guerra Mundial e a pandemia de gripe espanhola.


Minhas Convicções:

Com apenas três episódios exibidos até agora, não podia deixar de compartilhar com vocês meu mais novo fascínio na TV paga: Downton Abbey. Não apenas por se tratar de uma série de época, mais precisamente no período pré-I Guerra Mundial, mas também por contar com atores de interpretações impecáveis e, claro, a incrível Maggie Smith (mais conhecida como Professora Minerva McGonagall), um dos principais motivos pelos quais comecei a assistir a série.
Downton é, na verdade, uma enorme propriedade, digna de um castelo, onde uma família convive com praticamente tudo de que precisam e são servidos 24 horas por dia pela grande equipe de criados que mora na própria casa. O vilarejo mais próximo a Downton é exatamente isso: uma pequena cidadela com apenas o básico do básico para sustentar uma pequena população de hábitos agrícolas.
A família Crawley, depois da morte do patriarca, precisa lutar para manter sua fortuna que, na herança, foi destinada a um herdeiro. Podem acreditar, minha explicação parece vaga, mas nem eu entendi direito como funciona essa questão de herança. Algo, no entanto, que está extremamente claro que é nenhuma das filhas de Lady Grantham, por conta de uma lei, pode assumir sua herança, a menos que se casem.
E em meio a essas possíveis alianças matrimoniais, somos tragados para a vida cotidiana na aristocracia da Inglattera pré-guerra. Os hábitos ainda são bem "arcaicos", eles estão se acostumando com a chegada da energia elétrica e, para eles, ter uma profissão, como a de médico, é uma total perda de tempo e motivo para reviradas de olhos nada amigáveis.
O ócio ainda é muito estimado e, além disso, grandes jantares e cavalgadas para caçar são muito bem vindas. Em contraposição a todo esse luxo, temos a apresentação da grande equipe de criados que ajudam a manter a enorme propriedade e a vida desses britânicos na mais perfeita ordem e conforto. E cada um deles tem uma posição na hierarquia da criadagem: Carson é o mordomo, o cargo mais alto, responsável por todos os outros empregados; a Sra. Hughes é a responsável pelas criadas, os dois são os mais importantes. A Sra. O'Brien é a criada da Condessa  de Grantham, Thomas é o primeiro lacaio, Bates é o criado do Lorde Crawley, Anna é a chefe das criadas e Daisy é a responsável pela limpeza das lareiras e demais serviços menores.
Até aí, podemos perceber que a ordem dos empregados é extremamente importante para o bom funcionamento de Downton. E também vemos que seus empregos são muito importantes, provavelmente a única perspectiva de vida que terão. Erros não são admitidos e possuem uma rotina extremamente rigorosa.
Mas o enredo não se restringe ao pacato cotidiano dessa família abastada, acompanhamos os conflitos tanto da família quanto as histórias de cada um dos empregados. Essa dualidade de realidades é muito interessante, o que deixa a série incrível e nada cansativa. Temos momentos engraçados, tensos, irritantes e de tirar o fôlego. Sempre nos perguntamos "o que virá a seguir?" e sempre podemos nos surpreender.
Eu particularmente sou apaixonada por séries, novelas, livros e filmes de época. Toda a elegância, os escândalos, os costumes, o luxo, é simplesmente de se apaixonar. O figurino é divino, a fotografia, linda demais e o enredo, inédito, mas, ao mesmo tempo, digno.
Mal vejo a hora de assistir aos próximos episódios e saber o que acontecerá com cada um deles, principalmente agora que o novo herdeiro, Matthew, acaba de chegar, trazendo seus hábitos cosmopolitas diante dessa enérgica família. Sem dúvidas, terá seus momentos cômicos!
Altamente indicada!


Onde?

Quintas-feiras, às 22h30 no GNT.

Nota:


8 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

Adorei a dica. Eu já tinha ouvido falar na série, mas nunca fui muito a fundo para descobrir do que se tratava. Eu adoro histórias de época, de família, etc. Vou tentar ver um dia desses!
bjs

Fernanda Faria disse...

Eu nunca assisti essa série, mas eu gostaria bastante. Eu adoro enredos históricos. Vou ver ;D
beijos

Manu Hitz disse...

Não dei atenção a essa série, mas pelo seu post comecei a me interessar. Gosto de histórias que nos mostram como a sociedade se comportava em períodos históricos importantes.
Será que depois de 3 episódios ainda conseguirei acompanhar? O horário está ótimo pra mim.

Cristiane Silva disse...

Puuuuuuuuuuutz de raiva com o final dessa ultima temporada! Era doida pra assistir, peguei pra ver, vi, morri de alegria com tudo na série, comecei a amar, terminei o ultimo capítulo indignada! É muito boa essa série, vale a pena ver.

Thaynara Ribeiro disse...

Não curto coisas de época então provavelmente não vou gostar da série mas pra quem gosta a série parece ser obrigatória pra se ver, de tão boa.

Gladys Sena disse...

Fiquei curiosa com essa série.
Gosto de tramas que retratam o comportamento das pessoas, ;)

Andreza disse...

Também gosto bastante de coisas de época. Acho bem interessante poder conhecer um pouco como era a sociedade em diversos períodos...
Só não sei se dá pra eu acompanhar ):

Clara Beatriz disse...

Nossa Titanic, o surto da I Guerra Mundial e a pandemia de gripe espanhola? Achei bem interessante, goste muito dessas coisas de época!
Nunca assisti uma serie que retratasse isto, creio que assim que tiver m tempo farei um teste para ver se gosto da serie!