domingo, 7 de abril de 2013

#Resenha: Osíris - Marcelo Hipólito

Osíris - Deus do Egito
Autor: Marcelo Hipólito
Editora: Marco Zero
Número de páginas: 160
Sinopse: "A saga dos deuses egípcios ressurge num épico de feroz realismo, assombro e dor. O nascimento e a vinda de Osíris, fundador da civilização, messias e rei. A ascensão e queda do primeiro reino humano. A traição, o calvário e a ressurreição de um faraó. Sua guerra implacável e a terrível vingança. 
Um mundo de magia e pavor, deuses e demônios, ação e aventura, vida e morte, ergue-se das areias escaldantes e misteriosas do Egito Antigo neste romance do escritor Marcelo Hipólito.
Rá, o Deus-Sol, tinha o Universo sob seu comando. Ele herdara o extremo poder do pai, Atum, a divindade que criara a si mesma. Dos raios incandescentes de Rá nascem seus filhos-irmãos, dos quais ele toma a mais graciosa das beldades por esposa: Nut, Deusa do Céu. Nut, porém, seria o arauto da ruína. Dominada por uma paixão irreprimível, ela se entrega a Geb, o Deus da Terra, também filho-irmão de Rá. Tomado de fúria, Rá condena Geb às trevas eternas. Com a reclusão de Geb, o grande protetor da terra, o mundo torna-se sombrio, um lugar de barbárie e caos. Osíris é um dos filhos de Geb e Nut , lançados a terra desolada, amaldiçoados a padecerem sob a frágil forma humana e provarem os males e as dores da carne. Mas o infortúnio dos amantes Nut e Geb propiciaria a vinda do Messias, o nobre Osíris, rei do Egito. Nesta envolvente aventura sobre a história do primeiro reino na Terra, Marcelo Hipólito resgata as fascinantes lendas e tradições do Egito Antigo."

Este livro foi cortesia do autor.


Diferente de tudo o que eu já havia lido, Osíris é o retrato detalhado da criação do mundo do ponto de vista da cultura egípcia. Acredito que este livro não seja para qualquer um, pois existem muitos detalhes que fazem dele uma leitura excepcionalmente rica e delicada.
Osíris é o messias que vem à Terra liderar a primeira civilização e guiá-la para o caminho de luz e prosperidade. Mesmo assim, existem muitos obstáculos e, por ele ser filho de duas divindades, está condenado a viver sob forma humana na terra. Lá, ele espalha o amor e carisma que, lentamente, começará a atrair vários seguidores, conseguindo estabelecer um império sob seu comando e uma legião de fãs e adoradores. Encontrará o amor, mas também terá de lutar contra o ódio e a traição para poder cumprir sua missão.
Sei que parece meio vago a princípio minha descrição sobre o livro, mas o fato é que a escrita do autor é tão ricamente detalhada e desenvolvida de certa forma rebuscada que eu me senti como se estivesse lendo um relato bíblico. Desde o início, podemos perceber a grandiosidade da pesquisa feita acerca do enredo do livro, pois nada é jogado, muito menos deixado apenas superficialmente mencionado, tudo tem fundamentação, os nós vão se atando de forma incrível e que me chamou muito a atenção.
Eu demorei certo tempo até alcançar o final do livro, pois pela forma com a qual ele é narrado, uma linguagem relativamente épica e muito formal, acabou exigindo um pouco mais de atenção por parte da leitura e, definitivamente, não se trata de um livro para ser lido rapidamente. A atenção aos detalhes, e, acreditem, são muitos, são essenciais para que nenhum aspecto da história passe desapercebido.
O livro me chamou a atenção primeiramente pelo conteúdo: a cultura egípcia. Naquela região da África, banhada pelo enorme e fértil Rio Nilo e com seus tão adorados farós, deuses e de uma cultura tão rica, mesmo que misteriosa, sem dúvidas eu estava curiosa e o objetivo foi mais do que cumprido com a leitura de Osíris.
Confesso que estando acostumada com narrativas mais dinâmicas e simples, dessa vez fui pega de surpresa, o que influenciou e muito no desenvolvimento da leitura. Ainda assim, não acho que poderia ter sido feito de outra forma que não fosse afetar a grandiosidade da história. Marcelo Hipólito não só demonstra que sabe do que está falando como também que o está fazendo de forma extraordinária.
Eu indico o livro a todos aqueles que, como eu, são apaixonados por história e tem admiração (ou, ao menos, certa curiosidade) pelos egípcios. Apesar de curto, o enredo é denso e, por vezes, complexo. Se eu tivesse que comparar a história de Osíris a uma outra já conhecida, eu diria que se parece muito com a criação do mundo segundo o ponto de vista dos gregos. Mitologia é sempre intrigante e fascinante!
Osíris, sem dúvidas, não é como qualquer outro livro. Ele soube se destacar perante minhas outras tantas leituras e, com certeza, será uma história da qual não esquecerei tão facilmente.

Nota:



8 comentários:

Ana Paula Barreto disse...

Nossa, adorei. Eu também sou apaixonada pela história das civilizações, seus mitos, etc. Achei que o livro é bem interessante, cheio de informação e detalhes ricos. Mas também acho que a linguagem rebuscada torna a leitura inacessível para a maioria das pessoas.
bjs

Cristiane Silva disse...

Humm, que gostoso de ler! Adoro livros que tem história, mitos e essas coisas antigas e misteriosas acerca do mundo. É tão legal. Bom esse livro heim? Gostei mesmo.

Gladys Sena disse...

Acho que foi a primeira resenha positiva que li desse livro.
É interessante como a mesma obra causa sensações diferentes em vários leitores, ;)

Fernanda Faria disse...

Ei Vê, bom eu não conhecia esse livro. Mas achei bem interessante por abordar questões históricas e principalmente a cultura egípcia. Gostaria muito de ler.
Beijos,

Clara Beatriz disse...

Bom, não me interesso muito pelos egípcios e o livro não chamou tanto a minha atenção, infelizmente não é o tipo de livro que gosto.

Manu Hitz disse...

Para quem gosta de História, certamente vai se encantar com a narrativa desse livro. Eu gosto, sim, mas acho que não me entregaria a essa leitura, pq gosto mais de história contemporânea e que volte, no máximo, ao século passado, especialmente as passagens das guerras.
Mas achei de uma riqueza de detalhes e conteúdo que vale divulgar.

Andreza Galvão disse...

Oi, Verônica!! Ainda não conhecia o livro! Gosto bastante de História e da cultura egípcia. Acredito que possa gostar do livro, apesar de ser uma leitura mais complexa! Pra mim seria algo bem desafiador. :) hehe
GFC: Andreza Galvão

Ivair Gomes disse...

Legal. Me interessou sobremaneira.