segunda-feira, 27 de maio de 2013

#Indicação - Filme: O Hobbit

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (The Hobbit: An Unexpected Journey) - 2012

Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, é claro, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu precioso anel.

Compre: Saraiva | Submarino

Normalmente não sou muito fã de filmes que durem mais de duas horas, principalmente, quando dura quase três horas. Mas O Hobbit foi uma pequena exceção que eu abri, afinal, estava bem curiosa com a produção. Não sou particularmente fã da trilogia O Senhor dos Anéis, me lembro de ter assistido aos três filmes de uma só vez (não, mentira, talvez eu tenha levado dois dias para fazer isso) há muitos anos, eu ainda era relativamente pequena e, quando você não vai muito com a cara de alguma coisa, parece que faz ainda mais tempo que você a viu.
Como mencionei na resenha de A Sabedoria do Condado (confira aqui), não estar completamente inteirada sobre a história criada por J. R. R. Tolkien atrapalha o aproveitamento dos filmes e, claro, qualquer outra coisa relacionada a eles. Por isso, quando assisti a O Hobbit, lembrar-me de poucas coisas já havia se tornado um hábito. Para vocês terem uma ideia, eu nem me lembrava que o Bilbo Bolseiro era interpretado pelo Martin Freeman e que, inclusive, ele já havia aparecido nos filmes da trilogia que, seguindo a obra de Tolkien, passavam-se em um momento posterior ao que seria apresentado em O Hobbit.


Ok, mas, então, por que eu quis assistir a O Hobbit? Obviamente, não só para conseguir certa luz na minha cabeça sobre como tudo começou antes de Frodo sair para levar o tal anel para ser destruído, como também aproveitar um filme de excepcionais efeitos especiais e atuações impecáveis. É bom ficar preparado, principalmente se, como eu, estiver pisando em terreno desconhecido; O Hobbit pode ser um filme cansativo, mas só o fato de estar nos introduzindo ao mundo de O Senhor dos Anéis de forma correta, começando do começo, já vale a pena. Faça como os Hobbits, encare como uma enorme aventura.
O filme gira em torno de Bilbo, o tio de Frodo, e de como Gandalf o insere em sua aventura junto com um bocado de anões comilões e folgados. Eles tem a missão de resgatar um reino que foi tomado por um dragão há muito tempo e que pertencia aos anões. A terra tem um enorme tesouro, que é guardado por essa fera fielmente desde então.
Então todos partem para a aventura pela Terra Média, passando por todos os apuros imagináveis e que se espera de uma boa jornada até seu objetivo. Conhecem os mais diferentes seres que habitam esse imenso mundo, escapam de emboscadas, fazem novas descobertas e, no meio disso tudo, Bilbo acaba conhecendo o desagradável Gollum e seu preciossssso.
Não vou dizer que terminei de ver O Hobbit ansiando pelos próximos filmes ou uma revisita à trilogia de O Senhor dos Anéis. Não virei uma fã de carteirinha, por assim dizer. Mas é um ótimo programa, são mais de duas boas horas de entretenimento e o filme não deixa em nada a desejar. Então, se você estiver sem o que assistir, O Hobbit é um bom passatempo, um filme muito bem produzido, caprichado e que vale a pena conferir, mesmo se você não for fã ou conhecedor desse mundo. É o filme pelo qual você deve começar se estiver pensando em, um dia, pegar a trilogia posterior para assistir.
Mas calma! Apesar de O Hobbit, livro, ser apenas um, os produtores e roteiristas realizaram o milagre da multiplicação e transformaram essa primeira obra em, não um, mas três filmes. O segundo sai no final deste ano. Então dá tempo de assistir ao primeiro e aguardar o segundo numa boa. Vale a longa aconchegada no sofá.

Nota:

6 comentários:

Gabriel disse...

Oi Verônica :)

Nossa eu assisti O Hobbit e não gostei tanto assim, acho que esse é o tipo de filme que agrada mais os fãs da série do que uma pessoa simplesmente curiosa, meu pai amou porque é fã kkkkk, beijos :D

http://euvivolendo.blogspot.com.br/ ( comenta lá :D )

Naty C disse...

Eu também assisti O senhor dos anéis a milhares de anos e não virei uma fã.
Não sei como conseguiram dividir tanto a estória para caber em 3 filmes, mas vou dar uma chance e assistir o primeiro.

Rossana Moraes disse...

Ual, transformar 1 livro em 3 filmes ?!
Eu até agora não assisti nenhum Senhor dos Anéis.
Acho que verei o Hobbit antes.

Thicy Lopes disse...

Não tenho muito interesse em assistir esse filme, acho que é porque não gostei muito de O Senhor dos Anéis =/

Amanda Péres disse...

Por incrível que pareça, nunca li nada do J. R. R. Tolkien!
Não consegue despertar meu interesse, apesar de eu gostar de fantasia. Por isso, nunca fiquei curiosa em relação aos filmes...

Gladys Sena disse...

Essa temática fantasiosa não é a minha praia.

Vi o primeiro filme da série O Senhor dos Anéis e nem consegui assistir todo, peguei no sono, rsrs.

Não tenho interesse no Hobbit.