quarta-feira, 15 de maio de 2013

#Indicação - Filme: Penelope

Penelope - 2008

Há muitos anos, uma criada da família Wilhern engravidou do filho do patrão, mas ele não se casou com ela, pois pertencia a uma classe social inferior. A moça suicidou-se e sua mãe, que era uma bruxa, amaldiçoou as filhas da família Wilhern: a partir desse dia, elas nasceriam com nariz de porco. A maldição só seria quebrada se elas encontrassem o verdadeiro amor.
Penelope foi a primeira filha legítima a nascer na família após várias gerações, e tinha nariz de porco. Por esta razão, sua mãe a escondia do mundo na mansão da família, e a menina cresceu sozinha e sem amigos. Quando cresceu, seus pais passaram a procurar um noivo, para que casasse a maldição fosse quebrada.

Compre: Saraiva | Submarino


Depois de emprestar o livro Penelope para a minha mãe ler e ela me falar tão bem dele, quis procurar mais sobre o filme e acabei gravando-o na NET para assistir quando ela acabasse a leitura. A verdade é que eu tinha esperanças de que o filme fosse ao menos fiel ao livro e...segundo a minha mãe, isso aconteceu! Existem algumas diferenças, como eu penso que deve acontecer até nos filmes mais fiéis, mas nada que realmente interfira na essência da história.
A história, quase como um conto de fadas, é muito fofa e eu gostei muito logo já de cara. Depois de engravidar a empregada e se recusar a casar-se com ela por medo da reação da família, toda a família Wilhern sofre com uma maldição que lhes foi jogada pela mãe da jovem: a primeira menina a nascer na família teria as feições de um porco, nariz e orelhas. Só que, ao nascer uma menina completamente normal, todos acharam que maldição não havia surtido efeito. Isso até o nascimento de Penelope.
Como sua família era muito cotada nos tablóides, logo todos se viram forçados a esconder da mídia a real aparência de Penelope. Tentaram de tudo, mas a artéria do coração passava em seu nariz, impedindo qualquer tipo de cirurgia plástica. De qualquer forma, estavam de mãos atadas. E sua mãe só tinha uma coisa em mente: ela precisava se casar com um homem da mesma linhagem que a sua (nobre) que o feitiço seria quebrado.
Por vários anos, Penelope esteve reclusa em sua casa, mais em seu quarto que tinha praticamente tudo de que ela precisava, inclusive, um vidro espelhado que dava para a sala onde recebiam os pretendentes. E ela já estava cansada dessa prisão e de ver cada um deles fugirem quando ela se revelava. Penelope só queria acabar logo com aquilo tudo e, no meio tempo, não tentar enlouquecer com a insuportável da sua mãe que não parava de falar um minuto. Mas será que ela encontraria alguém para quebrar a maldição? Ou teria que, simplesmente, parar de lutar, de buscar, de acreditar, para, finalmente, aceitar como realmente era?
Eu já disse que o filme é lindo? Pois é. Ao longo dele, vamos percebendo que Penelope é uma jovem mulher mais do que forte e disposta a controlar seu próprio destino. Também percebemos que, embora seus pais façam de tudo para protegê-la do mundo exterior e das possíveis reações negativas que sua aparência poderia causar, eles mesmos são os primeiros a querer desesperadamente que sua aparência seja como a de uma garota normal.
Isso nos diz muito, afinal, se nem os próprios pais conseguem aceitá-la como ela realmente é, como esperar isso da própria Penelope?
Uma história de auto-descoberta, auto-aceitação e muita coragem para tomar as rédeas do próprio destino e controlar suas próprias decisões, arcando com as consequências. Essa será uma enorme jornada para Penelope, que ensinará a todos o que é não ter medo de ser quem ela realmente é.
Vale a pena assistir, não importa se você for emprestar na locadora ou procurar na TV ou em qualquer outro lugar. Assistam, é super bacana e muito lindo! Claro que, no meio disso tudo, teria que rolar um romancezinho, né? Afinal, não é quase disso que Penelope precisa para quebrar a maldição? Mas chegamos lá, só não posso contar para não estragar. E eu estou achando que vocês descobrirão rapidinho como tudo se desenrolará. Não é algo extremamente surpreendente ou inesperado, mas, sem dúvidas, é reconfortante, perfeito para aqueles dias em que você procura filmes tranquilos e bonitos.

Nota:


6 comentários:

Amanda Gabrielly disse...

Sempre quis ler o livro! Nem sabia que tinha filme, agora vou procurar para ver. Ele realmente parece ser muito bom!
Beijos

Naty C disse...

Eu vi esse quando lançou e já nem lembrava do enredo. Mas lendo sua resenha fui lembrando aos poucos e como você disse é um filme fofo sobre se aceitar como é.

Fiquei sabendo do livro aqui e gostaria muito de lê-lo.

Rossana Moraes disse...

Adoro histórias que são do tipo conto de fadas.
Esse elenco é de peso e já vi vários filmes com alguns deles.
Pretendo assistir logo :D

Gladys Sena disse...

Não conhecia esse filme, parece bem legal e fofo.

Thicy Lopes disse...

Não conhecia o livro nem o filme, mas gostei da resenha. Parece ser bem gostoso!!

Amanda Péres disse...

Parece bem leve e divertido!
Uma boa pedida... vou anotar! :)