terça-feira, 21 de maio de 2013

#Resenha: A Sabedoria do Condado - Noble Smith

A Sabedoria do Condado
Autor: Noble Smith
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 176
Sinopse: "Um guia do Hobbit para a vida de milhões de fãs do J.R.R. Tolkien. Smith mostra que uma toca-hobbit é, na verdade, um estado de espírito e como até as menores pessoas podem ter o valor de um Cavaleiro de Rohan. Ele explora assuntos importantes para os hobbits, como cerveja, comida e amizade, mas também assuntos mais sérios, como coragem, vida em harmonia com a natureza e bem versus mal. Como prazeres simples como jardinagem, longas caminhadas e refeições deliciosas com amigos podem fazer você significativamente mais feliz? Por que o ato de dar presentes no seu aniversário em vez de recebê-los é uma ideia tão revolucionária? E como podemos carregar nosso próprio “anel mágico” sem sermos devorados por ele? "A Sabedoria do Condado" tem a resposta para essas perguntas."

Compre: Saraiva | Submarino

Este livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

Antes que eu pegasse A Sabedoria do Condado para ler, me foi recomendado que eu lesse O Hobbit antes. Mas, achei que ter assistido à trilogia O Senhor dos Anéis há alguns anos e à adaptação cinematográfica deste último recentemente seria suficiente. E, de fato, ajudou um pouco, principalmente com alguns fatos citados, nomes de personagens, coisas de que me lembrava vagamente. Só que esse livro não é um manual para quem assistiu apenas aos filmes e curtiu, mas para verdadeiros adeptos de toda a obra de J. R. R. Tolkien. Não se engane, no entanto, que esse livro é apenas para os fãs de carteirinha porque qualquer leigo, como eu, consegue ter uma boa leitura e não ficar absolutamente sem entender uma nesga que seja, apesar de todas as citações aos personagens, situações e seres fantásticos que, talvez, você não se lembre completamente ou não saiba.

"A Terra-média era tão real para o Professor Tolkien quanto o país em que ele vivia. Em sua imaginação, ele tinha andado por cada montanha e bosque do Condado, tinha sentado em frente à flamejante lareira em Valfenda e até mesmo subido a estonteante escadaria de Cirith Ungol."
(pág. 17)

Uma das propostas do autor é mostrar aos seus leitores que os Hobbits não só são criaturas fascinantes como incorporar certos hábitos do seu cotidiano é plenamente aceitável, principalmente em uma rotina cada vez mais acelerada que somos obrigados a driblar todos os dias. Somos levados, através dos capítulos, em uma narrativa extremamente apaixonada, a todos os aspectos que possamos imaginar da vida de um Hobbit.
Dá para perceber, desde o começo, que o autor fez mais do que a lição de casa, ele mesmo é um grande fã da obra de Tolkien e podemos sentir esse carisma em todas as páginas, o que me empolgou bastante para continuar a ler e descobrir um pouco mais sobre esse novo mundo.

"Comecei uma coleção de cachimbos usados (assegurei minha mãe que eram 'só para colecionar!'), comprei um pouco de um tabaco barato chamado Borkum Riff e o guardei dentro de um pote grande com uma etiqueta 'Folha do Vale Comprido'. Quando eu abria a tampa, o meu quarto ficava com o cheiro de Bolsão (pelo menos eu achava)."
(pág. 20)

Os Hobbits sabem como aproveitar a vida e, apesar de seus hábitos relativamente pacatos, apreciam muito o trabalho manual, fumar um bom cachimbo, beber uma saborosa cerveja e não dispensam a oportunidade de viver uma grande aventura. Gostam muito de caminhar (vai ver é por isso que tem pés tão grandes!), ter a despensa sempre cheia e de uma boa e fofinha cama. Acho que algumas de suas preferências podem se refletir nos nossos próprios hábitos. Quem é que não gosta de relaxar, ter uma boa noite de sono? Existem horas em que, simplesmente, precisamos (e queremos) apertar a tecla pause de nossas vidas e dormir, sem qualquer preocupação. Eu, muitas vezes, só quero chegar em casa da faculdade, colocar a cabeça no travesseiro e dormir. Não tirar um cochilo, dormir mesmo, até meu corpo despertar sozinho e dizer que está com as baterias recarregadas.

"Todos nós seríamos sortudos na vida se tivéssemos a chance de viver uma aventura inesperada e, depois, voltássemos com segurança para um lugar em que houvesse conforto. Geralmente, só damos valor à nossa casa e à felicidade simples que ela nos oferece se ficamos longe dela por um tempo."
(pág. 23)

Apesar de possuírem notavelmente mais tempo de vida do que qualquer humano comum, a mensagem que o autor procurou passar é que o tempo não importa, seja ele curto ou longo, basta saber aproveitá-lo. Concentre-se nas coisas simples da vida, cultive um jardim, dê presentes aos seus amigos no seu aniversário, como em uma digna comemoração Hobbit. Relaxe mais, pense menos. Apenas sente-se em um lugar confortável, leia um bom livro, saboreie a comida, jogue conversa fora. No mundo de hoje, estamos cada vez mais passando batido por pequenos atos como esse, como, por exemplo, substituir longas conversas com risadas por simples trocas de SMS. Estamos lendo documentos para o trabalho ou para a escola ou faculdade ao invés de se deliciar com um livro de cabeceira.

"Para mim, esse contentamento sempre significou ter um ótimo livro à mão, pois onde quer que eu estivesse, mesmo que preso fisicamente, minha mente estaria livre para fantasiar."
(pág. 23/24)

Volto a dizer: se você, como eu, só assistiu às adaptações cinematográficas das obras de J. R. R. Tolkien ou, então, for um fã de carteirinha de O Senhor dos Anéis e O Hobbit, pode tranquilamente aproveitar as dicas sobre como levar uma vida Hobbit, mesmo que sejam apenas alguns hábitos, ainda nessa vida corrida que levamos.
O único ponto negativo que encontrei na leitura foi o excesso de notas de rodapé. Ficou um pouco irritante desviar da leitura a todo momento para ler as notas, muitas vezes detalhes sobre as histórias, em outras, meras informações que eu achei irrelevantes. Fora isso, o layout e revisão da Novo Conceito estão muito bons, a capa tem detalhes texturizados, um charme!
Agora, se você nunca ouviu falar de nenhum dos livros, nunca viu nenhum dos filmes, cuidado. Você pode ficar extremamente perdido e acabar não aproveitando completamente o livro e o que ele tem a oferecer. Não vou dizer que entendi tudo perfeitamente, algumas relações que o autor fazia, certos cenários que ele citava ou até alguns personagens, eu realmente não tinha ideia do que ele estava falando. Mas levei em conta um dos principais preceitos da vida Hobbit: a busca por uma enorme aventura. Tomei coragem e devorei o livro em poucas horas e vivi uma aventura em um mundo absolutamente novo.
Eu indico a todos, mesmo que você não saiba de nada; arrisque-se. Comece por aí a apreciar o modo de vida Hobbit e saiba aproveitar os verdadeiros prazeres da vida. Sem complicação. Sem stress.

"As pessoas que lutam contra a corrupção, o desperdício de um governo, que mostram uma fraude ou um abuso generalizado de um sistema mostram este tipo de coragem altruísta, pois colocam suas carreiras (e às vezes até suas vidas) em risco quando trazem esses assuntos à tona. É preciso ter coragem para arriscar contrariar alguém em um cargo de poder, se soubermos que eles derrubarão o martelo da ira sobre nossas próprias cabeças."
(pág. 85/86)

Nota:



16 comentários:

alice aguiar disse...

eu gostei muito desse livro quando eu li.
achei que o autor acertou em cheio quando escreveu o livro.

Rossana Moraes disse...

Eu nem li nem assisti nenhum dos livros e filmes, acredita ?
Eu já tentei assisti, mas é muito extenso, eu perco a vontade no meio do filme... E o livro eu não pude comprar, então não sei de nada sobre Hobbits.
Espero um dia ter paciência para ler os livros e assistir aos filmes.

Camila Márcia (DLL) disse...

Eu só assisti as adaptações de Senhor dos Anéis há muiiiiiiiiiiito tempo atrás. Pretendo ler os livros mas ainda não consegui comprá-los.


Bjs,
Camila Márcia
@camila_marcia
De Livro em Livro
Devaneios Fugazes

Naty C disse...

Eu não li nenhum livro de Tolkien e mal consegui terminar de ver O Senhor dos Anéis, então não acho que esse livro é opção de leitura para mim rsrs

Sarah Marquea disse...

Oi Vê, tudo bom?
Tenho a maior vontade de ler a obra do Tolkien, mas cadê tempo?
E esse livro, pra mim, só depois da obra todinha, senão iria ficar perdida!
Beijos
Tem post novo e promoção lá no blog!
endless-poem.blogspot.com.br

Gladys Sena disse...

Acredito que esse livro seja muito bom para os fãs.

Thicy Lopes disse...

Já ouvi vários comentários e resenhas positivos desse livro, mas ele não me iteressou =/

Amanda Péres disse...

Não me interessou, até mesmo porque nunca li 'O Hobbit' e nem desperta meu interesse.
Um bom livro para os fãs!

ELIZABETH MACHADO DE SALLES disse...

Quero ler pra saber se é bom. Sua resenha me deixou curiosa com a história e com muita vontade de ler. Beijos.

Gel Borges disse...

Leitura totalmente diferente do que estou acostumada!
Sua resenha me deixou curiosa para essa viagem... espero que goste!
Parabéns pela resenha.
abraços!

Rodrigo Lessa disse...

Vê, eu assisti só o filme O Hobbit e esqueci dos nomes já. Acho que devo ler o livro de hobbit e depois ler esse então. Achei bem interessante, eu gosto muito quando um livro puxa algumas informações de outro. Isso até te faz a não esquecer mais rsss. O nome é ótimo e a capa não podia ser outra a nao ser essa com essa representação rs. Quero ler!

Renata Louzada disse...

Já assisti aos filmes de Senhor dos Aneis e O Hobbit muitas vezes, será que vai ajudar? Eu gostaria de ler esse livro, mas fico com medo de não entender nada. Mas é como você disse: temos que encarar como uma aventura! Gostei muito da sua resenha, é bem explicadinha :)

Veezinha disse...

Acredito que ajude sim, Renata; eu, pelo menos, só assisti aos filmes e não fiquei ~tão~ perdida assim. rsrs
Fico feliz que tenha gostado, espero que a tenha encorajado a arriscar-se nessa aventura :D

xx

AmandaG disse...

A princípio eu achei que só pessoas que assistiram aos filmes de Senhor dos Aneis entenderia, mas pelo que você falou não é bem assim. Bom, isso me deixou bastante empolgada, porque apesar de não ter visto nenhum filme do Senhor dos Aneis, sempre gostei da parte cenográfica, das fotos, enfim, das imagens em geral. Pelo que eu entendi, o livro fala sobre o modo de vida dos hobbits, isso é bastante interessante, é algo inovador, eu acho. Esse livro parece que dá oportunidade ao leitor de entrar mais ainda na história. Realmente eu fiquei bastante ansiosa para ler esse livro.

Lerissa Kunzler disse...

Gente, sou fã de O Senhor dos Anéis, O Hobbit e de qualquer uma das obras de Tolkien! JRR Tolkien é para mim simplesmente o melhor autor de todos os tempos, porque suas obras são repletas de uma sabedoria incrível e possuem e ensinamentos realmente incríveis; Para não falar nos maravilhosos cenários que ele criou em suas obras, e o Condado é realmente um dos melhores e um dos meus favoritos. O Condado nos dá a ideia de um lugar calmo e tranquilo, cheio de hobbits alegres e felizes com a vida que levam! O livro deve ser ainda melhor por ser escrito por alguém que também admira as obras de Tolkien!! Faz muito tempo que procuro por esse livro e não o encontro, e essa resenha me deixou ainda mais ansiosa para ler o livro!! Parabéns pela resenha, está incrível!! :D

liliangabi disse...

Gostei muito da resenha. Ja li muitos livros dese gênero, antes eu não gostava, mas agora sim. Me deixou muito curiosa os trechos do livro e com mais vontade de lê-lo, o brinde também é muito lindo.