sábado, 15 de junho de 2013

#Indicação - Filme: A Mulher de Preto

A Mulher de Preto (The Woman in Black) - 2011

Arthur Kipps (Daniel Radcliffe) foi enviado por seu escritório para regularizar os documentos de uma mansão abandonada, próximo a um vilarejo, cujas crianças morrem misteriosamente de tempos em tempos, sem que ele soubesse de nada disso. Quando começa a ter uma série de visões sinistras durante a execução de suas tarefas, inclusive uma de uma mulher vestida de preto, ele descobre que existe algo relacionado ao passado daquele local e decide investigar, provocando a ira dos moradores e a morte de mais vítimas. Agora, só o tempo para dizer se o seu instinto paternal irá ajudar a resolver esse perigoso e grande mistério.

Compre: Saraiva | Submarino


Nunca assista a esse filme sozinho. Nunca. Eu cometi esse erro e fiquei uns bons dias sem conseguir dormir direito, acreditem. E não adianta dizer que assistindo durante o dia diminui o medo, porque não adianta nada.
Esse é o primeiro filme no qual vejo Daniel Radcliffe sem ser Harry Potter e, confesso, ele não mudou nadinha. Continua sendo o último personagem a saber das coisas e, mesmo assim, continua corajoso. Parece ser o tipo de ator fadado a interpretar personagens cujo destino seja lidar com coisas sombrias.
Então Harry Potter Arthur, ainda recuperando-se da morte repentina de sua esposa e com um filho pequeno para cuidar, vê-se sem saída ao ser designado pelo escritório de advocacia no qual trabalha a organizar a papelada de uma mansão que acaba de ficar abandonada com a morte de seu último morador. Os tempos são difíceis e, como sem emprego não pode ficar, ele aceita a viagem até a casa, que fica isolada por um pântano (só isso já seria o suficiente para eu sair correndo), mas próxima a um vilarejo.
O que ele não sabe é que muitas mortes de crianças, aparentemente inexplicáveis, tem ocorrido naquela vila. Aparentemente, todos os acontecimentos macabros estão conectados àquela casa ou a quem quer que costumava viver ali, portanto, quando ele anuncia que precisa de todos os papeis para poder fazer seu trabalho, apenas um homem candidata-se a levá-lo até lá, mas rapidamente retorna, deixando-o, então, sozinho (instintos gritando: corra! corra!).
Como desgraça pouca é sempre bobagem, Arthur se vê diante de pilhas e pilhas de papeis, o que o deixará ocupado por um bom tempo. Mas coisas estranhas começam a acontecer a ele também, como poder jurar ver uma mulher toda vestida de preto andando por aí (e assombrando até meu último fio de cabelo!), muitas vezes, pouco antes de alguma morte acontecer.


E, apesar de todos os avisos, Arthur está determinado não só a finalizar seu trabalho, como também descobrir o que tanto se passa nessa casa, quais são os segredos e mágoas que a assombram e por que a "mulher de preto" está fazendo isso tudo. Digamos que o espírito aventureiro e a curiosidade falam mais alto, assim como a busca por um pouco de paz da própria vida atormentada. Mal sabe o que o espera.
Além de todo o medo, os gritinhos e as mãos tapando os olhos que A Mulher de Preto causou, eu conseguir sentir algo mais. Senti raiva. Não em todo o filme, mas especialmente com o final. Acho que, quem assistiu ou for assistir, poderá entender minha revolta. Arthur faz o inimaginável, enfrenta a tudo e a todos e depois ganha aquele final? Como assim?


Mas tudo bem. Não vou dizer que o filme é lindo, maravilhoso porque, além de não ser fã de filmes de terror, eu achei a atuação do Daniel Radcliffe a mais sem sal nem açúcar do mundo! Ele parecia um atrapalhado, não sei, como se tivesse caído de pára-quedas ali. Ficou bem estranho. Agora, não sei se foram os anos vendo-o como Harry Potter que confundiram minha cabeça e acabaram criando uma imagem do próprio ator, sem separá-lo mais de seu personagem mais marcante.
De qualquer forma, eu não arriscaria a assistir de novo, principalmente sozinha. Se vocês forem por esse caminho, as consequências serão terríveis. rsrs
Eu indicaria A Mulher de Preto aos fãs de Daniel Radcliffe que gostariam de conferir seu novo projeto, ou aos fãs de terror, ou um pouco dos dois ou se você for só louco mesmo. rs
E, quem ficar um pouco curioso pela trama, tem o livro também; eu o dei de presente de aniversário a uma amiga e ela me disse que tem algumas diferenças entre ele e o filme, principalmente em relação ao final. Aí fica a critério de cada um.
Definitivamente não foi o melhor filme que já assisti, mas já deu para assustar bastante. Imaginem um realmente bom, então.
O melhor conselho que deixo é: não assistam sozinhos, a não ser que sejam corajosos. Coisa que não sou.


Nota:


10 comentários:

Caique Fortunato disse...

Não sabia desse filme, muito menos dos autores que estão nele. Pena que a atuação dos personagens não foi aquela coisa, mas achei o filme interessante, porém não assistiria..

Abraços

www.entrepaginasdelivros.com

Rodrigo Lessa disse...

Também super indico esse filme, apesar de ter assistido ele até a parte em que o Daniel está indo investigar o caso das crianças, que ele entra naquela casa tenebrosa sozinho [misericordia]. Mas vou terminar de assistir ele essa semana, vou ver se consigo. Eu adorei ele, aos poucos que vi. achei bem interessante, meu sobrinho ja viu tudo.

Veezinha disse...

Pois é, Caique. Mas tentando e errando, não é? Nem todos os filmes de terror são aqueeela coisa, mesmo que reúnam elenco de peso. Uma pena! Talvez o livro seja melhor :)


xx

Veezinha disse...

Poxa Rodrigo, você nem chegou na parte mais horripilante! rsrsrs
Para mim foi mais um susto que, de fato, diversão, e eu achei que o Daniel poderia melhorar um pouco na atuação dele. Ficou meio pastelão. rsrsrs
Mas espero que você continue a curtir o filme!


xx

Rodrigo Lessa disse...

Sério? uhasuahs não vou assistir sozinho!! KKK. Vou tentar ver essa semana. Achei também ele sem sal rss. Fora eu ficar lembrando que ele era Harry Potter G_G hahaha, enfim, vou ver depois e volto aqui e falo :D

Gabriel Sousa disse...

Já evitei assistir esse filme porque sabia que confundiria Arthur com Harry potter e o filme ficaria uma merda :@

Mas pelo que vi o filme não é um tremendo fracasso, chega a dar um pouquinho de medo rs

Quem sabe ele não entre para aquela sessão de filme com a galera rç

Fernanda Faria disse...

Vê eu não vou assistir nem sozinha e nem acompanhada. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK! Sou muito medrosa mesmo, você nem imagina. Se eu assistir esse filme vou ficar na base de duas semanas imaginando altas coisas aqui em casa. hahaah
Beijos

Veezinha disse...

Então não se arrisque rsrs Eu demorei pra dormir quando eu assisti, sério. Melhor nem passar perto. É tão ruim quando imaginamos coisas, né? Para desfazer depois é que são elas kkkkkk

xx

Naty C disse...

Eu não sinto nenhuma vontade de ver esse filme. Não sou uma fã do ator nem de filmes de terror. Então esse com certeza não vai entrar para minha lista de quero assistir.

Camila Mandolesi de Almeida disse...

Verônica!! Olha quem veio te encher aqui também!!! kkkkk... Sua grande amiga! Além de ter que me aturar lá na PUC vai ter que me aturar zaqui também! kkkk ;) A sua amiga aqui, grande fã do Daniel veio comentar aqui!!! O filme mata de medo qualquer um que o assista sozinho! É tipo, assisti e morri. Mas, não acho que seja assim tão semelhante à maravilha que HP foi. Ele está muito bem no papel, mas, e como grande fã é difícil falar isso, não gostei dessa história dele fazer filmes de terror. Em comparação ao livro (que você me deu e amei) esse filme deixa muito a desejar, mesmo até por causa do final que você criticou. Se eu pudesse e não tivesse tanta aversão a filmes de terror tentaria assisti-lo sozinha, mas, como você bem sabe, vai levar um século até eu passar perto dele novamente, o que é uma pena.