terça-feira, 25 de junho de 2013

#Resenha: Anjo Negro - Mallerey Cálgara

Anjo Negro
Autora: Mallerey Cálgara
Editora: Novo Século
Número de páginas: 207
Sinopse: "Até onde você iria para salvar a pessoa que ama? Até que ponto se sacrificaria, e sacrificaria tudo pelo qual você lutou e acreditou? O que para muitos, parece ser o fim, para Darian foi apenas o início – ele, filho de um Anjo que se apaixonou e se envolveu com um humano e, após ser transformada em mortal, cometeu suicídio. Com a passagem livre entre os dois mundos, Darian recebe uma proposta do Arcanjo Miguel de recolher dez mil almas que querem ser salvas e colocá-las em uma caixa angelical. Ele vê nesta proposta um meio de amenizar o sofrimento de sua mãe, que se encontra no vale dos suicidas. Contando com a ajuda de seu Anjo da guarda, Hadji, Darian parte em uma jornada de aprendizagem, mas com grandes conflitos e indecisões. Porém não só apenas os Anjos do bem o observavam, e uma nova proposta de maior peso lhe foi feita por Iblis, o senhor dos infernos: '-... Apenas dez mil almas simples, comuns, por uma especial, uma troca justa.' Caberia somente a Darian, tomar a decisão de não lhe entregar a caixa... Ou de salvar sua mãe e tornar-se um Anjo Negro."

Compre: Saraiva | Submarino

Como apreciadora de seres sobrenaturais, gosto de conferir vários livros sobre determinada criatura para obter os mais diferentes pontos de vista, opções de origens, crenças e poderes. Você nunca encontrará dois vampiros iguais, assim como anjos e outros seres fantásticos. Cada autor busca basear-se em lendas e origens de culturas diferentes, portanto, ler Anjo Negro fazia parte do meu repertório de anjos.
Darian é o filho de um anjo com um humano, portanto, um nefilim. Ele tem acesso aos dois mundos: o espiritual, por assim dizer, e o humano. Sua mãe, após ser banida dos céus e transformada em humana, continuou a ter contato com os seres de luz e trevas que vagavam pelo mundo humano e, sabendo de seu "pecado", despertara a atenção dos seres malignos, que queriam de todas as formas sua alma. Desesperada, angustiada e querendo proteger seu filho e seu marido, ela cometeu suicídio, tendo sua alma aprisionada no Vale dos Suicidas.
Os anos passaram, Darian ajudava o pai a comandar uma clínica que funcionava ao lado de sua casa e, com o tempo, haviam acolhido duas outras crianças sob seu teto: Erick e Margot. A vida seguia como sempre, até que Darian sonha com um monstro tentando atacar uma garota e isso o desperta para o outro mundo pelo qual pode vagar.

"Segui em passos calmos, sem qualquer horário para cumprir, e, mais adiante, a rua se bifurcava como a minha vida naquele momento. Sentia-me perdido, feito cego no meio de um tiroteio. A vida que eu conhecia estava mudando diante dos meus olhos, como tudo à minha volta que estava ficando para trás." 
(pág. 70)

Ele conhece Hadji, seu anjo da guarda, toma conhecimento dos demônios que vivem cercando as pessoas e percebe que tem o poder de salvar essas almas, se elas estiverem prontas para isso. Sempre quisera entender o que levara sua mãe a se matar e, com a possibilidade de poder ao menos vê-la e aliviar parte de seu sofrimento, Darian se prontifica a recolher dez mil almas em sua Caixa Angelical e entregá-las ao Arcanjo Miguel.
No entanto, dada a sua procedência e seus poderes e habilidades, os seres das trevas também estão de olho no nefilim e uma outra proposta parte de Iblis, o senhor dos infernos: ainda seria necessário recolher dez mil almas, mas apenas isso, e então, entregá-las ao demônio para trocá-las pela alma de sua mãe. Tentadora a proposta, não? Darian seria capaz de entregar dez mil almas à condenação para salvar sua mãe? Ou ele perceberia que haveria muito mais em ajudar as pessoas e que elas mereciam ser salvas, se estivessem prontas?

"- Você o ouviu quando ele achava que ninguém iria ouvir. Se sentou ao lado dele quando se sentia sozinho. Você o ensinou a orar quando não possuía mais fé. Você lhe deu a esperança, fazendo-o acreditar em uma 'vida' melhor."
(pág. 98)

O principal problema de Anjo Negro foi estrutural. A narrativa variava em alguns pontos de terceira para primeira pessoa sem qualquer sinalização que não fosse a simples mudança de parágrafo. A revisão do livro está ter-rí-vel, eu sinceramente não esperava isso vindo de uma editora como a Novo Século. Logo no começo da leitura, tive a impressão de que todas as informações queriam ser passadas em poucas linhas, ficando um emaranhado de descrições e uma narrativa atropelada.
Eu pensei seriamente em largar a leitura do livro, pensava que ele precisava urgentemente de uma revisão porque eu encontrava cada erro simplesmente medonho. No entanto, dei um tempo, respirei fundo, e continuei pela história, pelo enredo, que estava se desenvolvendo relativamente bem. E eu gostei do que li, vocês perceberão isso na minha nota final. As estrelas que descontei foram pela péssima revisão que, para mim, trata-se de algo inaceitável, e pela narrativa que, na minha opinião, poderia ter sido melhor desenvolvida e organizada.
Existiram vários pontos em que eu desejei descrições mais aprofundadas, informações a mais, pontos que eu realmente queria ver mais explorados e que, infelizmente, mantiveram-se como o resto do livro: objetivos. Como, por exemplo, o fato de a história ser ambientada em pleno século XVII, para mim, não pôde ser muito bem percebida pela falta de descrições dos ambientes, eu só me lembrava desse detalhe porque havia lido na contracapa do livro e vez ou outra, com a menção de algum objeto ou situação.
A leitura foi rápida, o que contribuiu para que eu continuasse e não desistisse, e não me arrependo dessa decisão. Gostei muito dessa nova perspectiva dos anjos, os Potestades, que são aqueles que recolhem as almas e as ajudam quando estão prontas para se perdoar e seguir em frente, são figuras novas e que eu não conhecia. A autora também inseriu a reencarnação como forma de uma alma conseguir progredir a cada novo retorno e, assim, evoluir para tentar atingir o maior grau de pureza e perfeição no reino lá de cima. Um capítulo é dedicado a essa explicação e eu achei muito interessante essa relação, embora eu tenha achado que deveria ter sido um pouco mais bem explicada e aprofundada. Fiquei com um gostinho de quero mais quando passei por esse trecho e por mais alguns outros.
Em suma, acredito que nos aspectos técnicos, Anjo Negro teria que melhorar muito mais e passar por uma boa revisão, mas a história é bem diferente e original e isso, sem dúvidas, foi o suficiente para salvar a leitura.

"- Não foi o Senhor que trouxe você para esse destino, Darian. Você bem o sabe quem foi. As escolhas existem e somos nós que damos o curso a elas."
(pág. 189)

Nota:



7 comentários:

Rodrigo Lessa disse...

Bem elaborado no quesito história e a capa é mais ou menos. Lembro desse livro mes passado, vi ele em algum lugar.... Tinha achado legal. Agora que vi ele li e gostei da história, fiquei com pé atras mesmo só nessa questao da narrativa pq tem que está tudo certo se não eu me perco e acabo não entendendo :(

Naty C disse...

Legal a temática, mas acho que eu não leria essa edição. Não tenho muita paciência para erros assim em livros, uma boa revisão é fundamental.

Ricardo Biazotto disse...

Como já conversamos, eu gostei muito da história, apesar desses detalhes técnicos, que confesso, lembrava de apenas alguns. Para quem nunca leu nada sobre anjos, Anjo Negro foi uma leitura muito agradável, apesar de ter acontecido lá em 2011, na época que nos conhecemos.
Uma coisa é certa: acredito que a nova edição, que será lançada pela APED em setembro, será muito melhor e garanto que esses detalhes técnicos não estão presentes no novo livro da autora, O Segredo da Caveira de Cristal.

Beijos.
Ricardo - www.blogovershock.com.br

Gabriel Sousa disse...

A capa e chamativa e tudo mais, porém prefiro a capa da edição que será lançada em Portugal (já viu Vê?)
Nunca li muito sobre anjos, no máximo duas séries, mas gosto bastante.
Essa parada de apanhadores de almas também é nova pra mim, rs.
Pra mim já não é tanta surpresa uma revisão meia boca no selo novos talentos, já li uns dois livros com um revisão não tão legal.

Veezinha disse...

Espero que realmente seja um problema da edição, mas isso eu só poderia dizer com certeza relendo o livro nessa nova publicação.
Quando você mencionou o título dessa outra história, logo me lembrei daquele último filme do Indiana Jones rsrsrs #nadaaver

xx

Veezinha disse...

Se for uma das capas que já estiver registrada no Skoob, eu vi sim, Gabriel. Se não, ainda não vi. rsrs
Os únicos livros que eu tinha visto com uma revisão tao precária haviam sido publicações independentes, por isso fiquei tão surpresa. Mas foi bom você me avisar sobre essa infelicidade de encontrar mais livros do selo da Novo Século. Que pena :/

xx

Fernanda Faria disse...

Eu tenho esse livro em casa, mas ainda não li ;/
E acho que agora nem quero muito ler, detesto livros com revisões ruins. Acho que o problema do livro é que ele é muito curto, por isso deve ter dado a impressão da chuva de informações.
Beijos