quarta-feira, 31 de julho de 2013

#Resenha: A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra - Robin Sloan

A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra
Autor: Robin Sloan
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 288

"A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo. Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso…"

Compre: Saraiva | Submarino

Este livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

Sabe aquele livro que você pega para ler achando que entendeu uma coisa com a sinopse, mas, na verdade, acaba revelando-se algo completamente diferente do que esperava? Pois é. Isso já aconteceu comigo antes. Só que no caso de A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra não foi uma surpresa boa. Eu passei esse livro na frente de muitos outros porque pensei: "Ora, uma livraria! Se tem livraria, então temos livros e se temos clientes que se enfurnam em cantos obscuros junto do proprietário, então temos...um clube do livro!" Mas não é nada disso.
Logo podemos perceber que o Clay, o narrador dessa história, é um personagem que não tem nada de especial. E ele faz questão de ressaltar isso. Um desempregado como tantos outros, atingido pela forte recessão, e que está em uma busca interminável por um emprego. Até aí, nada de novo.

"No início, insisti que só aceitaria trabalhar numa empresa que tivesse uma missão na qual eu acreditasse. Depois, achei que estaria tudo bem se pelo menos eu estivesse aprendendo algo novo. Ainda depois, decidi que só não podia ser uma empresa do mal. Agora, estava revendo com cuidado a minha definição de 'do mal'." 
(pág. 14)

Mas quando ele procura por um emprego na Livraria 24 horas do Mr. Penumbra, as coisas parecem que vão ficar interessantes. O Mr. Penumbra é um senhor bem peculiar, silencioso e que comanda uma livraria aparentemente calma. Clay fica animado por finalmente sair do desemprego e aceita trabalhar no turno da noite, encontrando certas exigências bem intrigantes, assim como a clientela com a qual ele logo irá se deparar. E não são apenas as pessoas, mas também os livros que elas virão requisitar, todos parte de um acervo localizado em uma estante tão alta que praticamente some na escuridão da biblioteca e onde Clay deverá se aventurar sem, no entanto, nunca bisbilhotar no conteúdo desses livros tão misteriosos.

"Sabe, para ir à segunda loja, há um segundo grupo de clientes, uma pequena comunidade de pessoas que orbitam em torno da loja como luas esquisitas. (...) São mais velhos. Chegam com regularidade algorítmica." 
(pág. 23)

E eu achei que, até aí, o livro já estava muito bom. Estava falando de livros, uma possível sociedade secreta relacionada a livros. Só que, mesmo assim, sentia que faltava alguma coisa. A leitura estava fluindo bem, estava gostosa, mas não tinha nada de impressionante, nada que me fizesse querer devorar suas páginas, ávida por descobrir o que mais A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra me guardava. Estava morna.
Então as coisas começaram a ficar estranhas. O autor introduziu uma discussão sobre tecnologias, partindo, é claro, do princípio de seu protagonista ser um web-designer e possuir certo conhecimento técnico, mas a forma como essa temática foi evoluindo...para mim, não fez o menor sentido. Houve momentos em que o Google era o foco do livro, então eu parava um pouco a leitura, voltava algumas páginas e pensava: "Mas espera, quando é que o Google passou a tomar o lugar da Livraria 24 horas do Mr. Penumbra?"
O fascínio pela tecnologia, pelo desenvolvimento de novas técnicas que eu nem sei se já existem ou se estão sendo trabalhadas, invade o espaço e os livros ficam em segundo plano. Aí parece que o autor sacode um pouco a cabeça, se lembra do que estava escrevendo, e retoma os livros. E eu volto a me acalmar.

"As estantes são uma proteção contra a claustrofobia. Sem elas, aquilo ia parecer uma catacumba, mas como enchem as estantes e dão ao local cor e textura, o ambiente, na realidade, é aconchegante e confortável." 
(pág. 149)

No geral, A Livraria 24 horas do Mr. Penumbra é uma leitura agradável, mas sem qualquer fascínio. O que eu pensava se tratar de um livro sobre a investigação de um novo atendente de livraria a respeito de uma possível sociedade-secreta-clube-do-livro, acaba tornando-se a demonstração de como os computadores estão evoluindo e já superaram em muito os pobres livros e de como Clay não consegue ficar de boca fechada por muito tempo porque ele logo sai contando para todo mundo o que ele suspeita estar acontecendo dentro da livraria (Clay, você não é nada discreto; péssimo para um detetive).
Na minha opinião, toda essa parte de tecnologia poderia ter sido retirada tranquilamente do livro e o autor poderia ter explorado bem mais a descoberta dessa sociedade secreta por parte de Clay que, para mim, ficou algo superficial e fácil demais. Não houveram conflitos o suficiente no livro que me fizessem ansiar por suas resoluções, contratempos que me fizessem torcer pelos personagens. Ficou tudo insosso.
Portanto, é um livro bem escrito, mas não bem desenvolvido. Uma pena que minhas suspeitas não se confirmaram, acho que teria me divertido bem mais com a história.

"- Acho que amo os livros porque eles são silenciosos e eu posso levá-los ao parque. - Ela aperta os olhos. - Ele ficou me observando sem dizer uma palavra. Então, eu falei: 'Bem, na realidade eu adoro livros porque eles são os meus melhores amigos'. E ele sorriu." 
(pág. 110)

Nota:



22 comentários:

Nanie disse...

Hahahahaahaha Estou morrendo de rir, Vê, porque aconteceu exatamente a mesma coisa comigo!
Eu esperava uma coisa e encontrei outra... mas no meu caso, a surpresa não foi lá muito boa não...

A narrativa do autor me encantou, mas foi basicamente só isso ><
Você falou muito bem: é uma livro bem escrito, mas não bem desenvolvido.
Uma pena...

Beijos,
Nanie

ELIZABETH MACHADO DE SALLES disse...

Estou muito curiosa a respeito desse livro. Quando li a resenha achei a história bem interessante e empolgante. Mesmo que em algumas resenhas tenham dito que ele não é lá grande coisa, eu gostei e vou ler. Beijos.

wagnerluizfilho disse...

Vê,
Já tem um tempão que eu estou querendo ler esse livro e para dizer a verdade eu estou muito ansioso para ler ele, e sem contar tbm que só tem resenhas positivas sobre o livro!

Abração!

Fernanda Passos disse...

Confesso que fiquei confusa com a resenha, mas ainda quero ler esse livro. kkk Acho o nome meio engraçado, e a sinopse tem um certo suspense, e eu adoro suspense. Já vi algumas resenhas positivas, mas só lendo pra saber.

Jéssica Antunes disse...

Hum, fiquei curiosa tb, apesar de talvez o autor ter se perdido um pouco na escrita, o que é muito chato, mas quero ler mesmo assim, :)

Diandra Fernandes disse...

Uhn... que pena que não é tão bom quanto aparenta. Por ter lido a sombra do vento me animo quando sei que a história tem ligação com uma livraria (no caso deste, foi maravilhoso). Mas fiz como vc me animei por ter uma livraria 24 horas, mas pela resenha fiquei um pouco desanimada mas a curisidade continua, rsrs.

Michelli Santos Prado disse...

Oi Vê!Tudo bem?
Tenho muita curiosidade a respeito desse livro. Já li um trecho dele e até que gostei. Lendo agora sua resenha me bateu aquela vontade de ler e saber qual rumo os personagens tomarão. Assim que puder vou comprar e ler essa obra. E acho esta capa maravilhosa mesmo
Beijos♥

Rodrigo Viny disse...

Adorei :) Quero ler loggooooooo

Pamela Duarte disse...

Que pena que não esse livro não é tão bom quanto aparenta. Parece que a estória é meio confusa. Mas ainda assim seria bom lê-lo.

Jônatas Amaral disse...

Gostei muito da resenha, bem pé no chão e argumentada.

Ainda não posso ter uma opinião concreta sobre o livro, mas creio que seja algo interessante de ler, e de comentar e ser trabalhado.

Gostei mais ou menos da história, mas porque não dar uma chance?

Jônatas Amaral
http://alma-critica.blogspot.com.br/

Beatrice Ferreira disse...

quero muito ler esse livro ♥

Felipe Pereira disse...

ja vi mts resenhas positivas desse livro, quero mt le-lo

Cris Aragão disse...

Eu tenho muito medo de me decepcionar com a leitura desse livro, a sua resenha não é a primeira que eu leio e que aponta essa tenência um pouco confusa do livro a se aventurar por temas bem técnicos; mas eu também fiquei super animada com o título e ainda quero ler, nem que seja para matar a vontade de conhecer um livro que tem um título tão atraente quanto bizarro.

Yasmin aristo disse...

Vi muitas resenhas negativas quanto positivas, isso me dá mais curiosidade pra saber um pouco mais sobre ele, além de já estar nos meus desejados no skoob,

Nikki Zanetti disse...

Pelo que a resenha diz, é um livro interessante para quem gosta - e entende - de tecnologia. O título e a capa me chamaram a tenção, quando deparei-me com ele pela primeira vez mas, após ler a sua resenha, preciso admitir que só o compraria se fosse para dar de presente ao meu namorado, que é maluco por todas essas modernidades tecnológicas (ignoremos o fato de que essa última frase ficou parecendo a de uma senhora de 200 anos de idade), rs.
Adorei a resenha; muito bem escrita e, apesar de não ser curta, não ficou nem um pouco cansativa ou enfadonha. Mil beijos.


nikkizanetti.blogspot.com
Blog de literatura fantástica.

Rossana Moraes disse...

Poooxa, eu não li ainda mas pensava que era sobre a investigação dessa sociedade também :/
Tenho ele aqui em casa mas fiquei meio desanimada para ler. Acho que vou deixar ele para um leitura posterior.

Mylena Soares disse...

Apesar de que esse livro não tenha agradado a todos, quero lê-lo! E não sei se sabe, mas esse livro ficou entre os 100 melhores livros de 2012, segundo San Francisco Chronicle, já esteve no New York Times - Escolha do Editor...Bem, acredito que não seja um livro ruim...pelo contrário. Gosto dele, quero ele e cada um com seu gosto...Bjs ;*

Nardonio Alves disse...

De início achei capa, título e sinopse bem interessantes. Uma pena que o conteúdo não acompanhou. O debate livros x tecnologia é até interessante, o problema é quando o autor não consegue desenvolver muito bem, e pelo jeito, isso acontece aqui. Mesmo assim, pretendo lê-lo algum dia.


@_Dom_Dom

Mariana Ogawa disse...

Nossa, da primeira vez que eu vi o resumo do livro eu achava uma coisa, mas pelo q eu tô entendendo (assim como todos...) a história foi para uma rumo totalmente diferente, mas mesmo assim curiosa p ler.

Gislayne Perez disse...

Li várias coisas sobre esse livro, boas e ruins...
Mesmo assim desde que foi lançado eu quero ler...

Esterline Goes disse...

Esperava mais desse livro, fiquei um pouco decepcionada =/
eu achei que iria melhorar, gostei da resenha mas pena que o livro não é essas coisas.

Rosiane Olímpia disse...

A resenha é bem interessante, fiquei muito curiosa, e com muita vontade de ler este livro. Muito intrigante e misterioso. Gostei muito. Obrigada pela resenha.