quarta-feira, 23 de outubro de 2013

#Resenha: O Amor Mora ao Lado - Debbie Macomber

O Amor Mora ao Lado
Autora: Debbie Macomber
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 160

"Lacey Lancaster sempre quis ser esposa e mãe. No entanto, depois de um divórcio bastante doloroso, ela decide que é hora de dar um tempo em seus sonhos e seguir sozinha mesmo. Mas não tão sozinha: sua gatinha abissínia, Cléo, torna-se sua companhia de todas as horas. Até é uma vida boa — um pouco aguada, é verdade — a de Lacey. A não ser por seu escandaloso vizinho, Jack Walker. Quando Jack não está discutindo, sempre em voz muito alta, com sua namorada — com quem insiste em morar junto — está perseguindo seu gato, chamado Cão, pelos corredores do prédio. E Cão está determinado a conseguir que a gatinha Cléo sucumba aos seus avanços felinos. Jack e Cão são realmente muito irritantes. Mas acontece que a primeira impressão nem sempre é a que fica..."

Compre: Saraiva | Submarino

Este livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

O Amor Mora ao Lado é o primeiro livro da Debbie Macomber que leio e foi, sem dúvida, uma leitura deliciosa, divertida e muito, mas muito rápida!
Com o desenvolvimento simples, super fácil de ler, Debbie nos apresenta Lacey, uma jovem mulher divorciada que, além de possuir uma enorme ferida do passado, também tem uma companheira de apartamento: sua gata, Cléo. Trabalhando muito para pouco reconhecimento, Lacey ainda precisa lidar com seu vizinho que adora arrumar uma discussão mais do que audível com o que parece ser sua namorada. Parece que nada pode dar certo na vida de Lacey.
Isso até que o gato de seu vizinho, Cão, decide investir em sua gatinha e coloca a vida dos dois em uma enorme confusão! Disposta a honrar Cléo, Lacey intima Jack Walker a fazer parte das consequências e, é a partir disso, que eles finalmente terão a oportunidade de se conhecer melhor.

"Farta dos homens que não sabiam o significado das palavras: 'fiel' e 'compromisso'. Dos patrões que tiravam vantagem dos empregados. E dos vizinhos neandertais que levavam uma mulher atrás da outra para dentro de seus apartamentos sem ao menos pensar duas vezes." 
(págs. 18 e 19)

Apesar da diversão, a história de Lacey nada tem de divertida. O divórcio lhe deixou marcas muito profundas, percebemos logo que ela é uma mulher de coração partido, com a auto-estima e a autoconfiança em frangalhos. Está tão desacreditada e machucada que não consegue sequer dar uma guinada na própria vida. Por mais que saiba que mereça maior reconhecimento no trabalho, mal consegue encontrar coragem para se impor. Lacey é o tipo de personagem que você sente vontade de segurar pelos ombros e dar aquela bela chacoalhada, aquela chamada de volta à vida, aquele pedido de reação.


"Não importava o quanto tentasse, não conseguia enterrar o passado. Ele a incomodava como uma pedra no sapato." 
(pág. 70)

Mas tudo muda quando Jack entra em cena, pelos meios mais inesperados. Apesar de serem vizinhos já há algum tempo, eles mal se falam. Mal se conhecem. E agora, unidos pelos seus bichinhos de estimação, começarão a construir uma relação que fará com que Lacey comece a reunir os pedaços de seu coração. Não será nada fácil e, em meio a todo esse recomeço, nos divertimos muito. Mesmo focados na recuperação de Lacey, fazendo as pazes com o seu passado, ainda há espaço para que o jeito fofo de Jack roube a cena.
Muitos mal entendidos pelo caminho deixam a história leve, engraçada e fluida. É uma forma simples, mas cativante de se ler sobre o surgimento de um amor inesperado. Eu pensava que haveria uma participação muito maior dos personagens felinos, pelo menos foi essa a impressão que tive com a sinopse. No entanto, não me decepcionei.
Foi uma leitura deliciosa, que durou pouco mais de uma hora e meia. Sem dramas, com uma pequena ajuda do destino, O Amor Mora ao Lado mostra o reencontro de uma mulher consigo mesma, a reconstrução de um coração partido e, mais importante, o inesperado encontro do amor que, muitas vezes, pode estar mais perto do que se imagina.

"Não era a aparência dele, embora ele fosse muito atraente. Mas o que ela achava tão fascinante em Jack era quem ele era como pessoa. Era confiável e generoso. Ele a havia ajudado a recuperar sua fé no amor e na vida." 
(pág. 126)

Clichê? Talvez. Mas não pude deixar de me sentir satisfeita com a proposta do livro. Um ótimo passatempo, sem compromisso e sem maiores preocupações. Procurando uma leitura reconfortante, para te fazer suspirar? Esse livro é para você!
Fiquei absolutamente encantada pela escrita da autora e, se ela a mantiver em seus outros livros, com certeza gostarei de seus outros títulos. Altamente recomendado!

Nota:


7 comentários:

Stefane disse...

Olá :)

Sempre quis ler esse livro, desde o seu lançamento, parece ser uma leitura rápida e gostosa de fim de semana haha.

Beijinhos

www.my--bookshelf.blogspot.com

Jônatas Amaral disse...

Li o primeiro capitulo deste livro na sala da minha faculdade, o livro pertencia a um amigo, e achei o livro tão lindo, mas tão lindo, que queria continuar lendo até o fim... Clichê? sim talvez, mas a vida é assim, também feita de Clichês, e eles não deixa de ser grandes obras por isso. Um Livro Bonito bonito pela história, e por todo o conjunto, a diagramação principalmente.

Gladys Sena disse...

A Debbie escreveu uma boa trama, curtir essa leitura, bjo!


http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

Milena Soares disse...

Já li e amei, tomara que os próximo livros dessa autora sejam tão bom como esse!

Michelli Santos Prado disse...

Eu esperava um outro tipo de historia e fiquei meio surpresa quando li a resenha, apesar de ser um romance bem "fofo". Quero poder ler em breve, pois curto bastante e vi algumas fotos do livro por dentro, e achei um amor!!
Bjuss querida ♥

Mallu Marinho disse...

Esse livro já está na minha lista de desejados há algumas semanas.
Romance não é meu gênero preferido, mas sou apaixonada por gatos. Quando
tem gatinhos, os livros conseguem ficar mais interessantes para mim. :3
A
resenha me fez perceber que eu estou precisando mesmo de uma leitura
mais leve e divertida, considerando que eu tenho lido muitos livros
densos ultimamente.
Obrigada pela dica!

Franciele de Santana disse...

Ah, apesar de tudo eu gosto de romances por mais clichês que são, mas a sinopse não ajuda muito não, dá outra impressão do que o livro realmente é.