sexta-feira, 15 de novembro de 2013

#Resenha: AEcM12 - Flavio P. Oliveira (Book Tour - Blog Grobsch)

Esta resenha faz parte do Book Tour promovido pelo próprio autor, Flavio Oliveira. Muito obrigada pelo convite e pela oportunidade de participar, Flavio. ;)


AEcM12
Autor: Flavio P. Oliveira
Editora: Publicação Independente
Número de páginas: 134

"AEcM12 é uma história de amor que se passa no futuro, quando a maior empresa no ramo de seres artificiais domina a utilização de um componente e se torna capaz de confeccionar um androide perfeitamente similar a um ser humano, sem utilização de peças e elementos mecânicos. Serão muitos os homens a gastar pequena fortuna para a aquisição de uma cópia artificial de alguma mulher, alguns de esposas falecidas, a maioria de atrizes e modelos famosas. O principal personagem deste livro, um homem solitário, copiará a vizinha por quem é perdidamente apaixonado. Ele trabalha no ramo, é um compositor de elementos, e durante a vida construiu os próprios robôs, tratando cada criação com o carinho de um pai, edificando um estranho e artificial ambiente familiar. Agora ele apresentará uma mãe aos filhos-mecânicos, sua esposa artificial quase idêntica a vizinha já conhecida de todos e com isso alterará todo o seu futuro."


Diferente de tudo o que já li, AEcM12 retrata um cenário futurista, onde o uso de robôs providos de inteligência artificial já é uma realidade, tão consolidada que esses seres possuem até uma legislação específica que garanta seus direitos. Os andoides vão desde pequenos robôs para ajudar nas tarefas domésticas até modelos mais complexos, como o recente lançamento: AEcM12, um mecamorfo capaz de reproduzir com enorme fidelidade um ser humano para substituir um ente querido que já partiu e manter as saudades menos dolorosas.
No dia do lançamento desta nova evolução, o primeiro da fila para adquirir essa geração de androides é Arivaldo. Nutrindo uma enorme paixão pela vizinha do outro lado da rua, ele está disposto a adquirir uma cópia perfeita da moça para poder lhe fazer companhia e lhe dar o que a de carne e osso se recusa a entregar e corresponder.

"Gostos, modos e trejeitos foram conhecidos através de uma criteriosa observação, durante os últimos anos, sob efeito de fulminante paixão."
(pág. 20)

Antigo desenvolvedor de máquinas de uma empresa falida, Arivaldo tem habilidades com máquinas e, por isso, é "pai" de diversos pequenos robôs, construídos com peças variadas e nem sempre nas melhores condições. Sendo assim, não pode ser chamado de solitário, mas ele sente falta de uma presença feminina, ainda mais quando a que pode ser responsável por sua felicidade, reside logo ali, do outro lado da rua.
Então, após a aquisição da mecamorfo, sua versão da Lúcia verdadeira, Arivaldo está certo de que sua vida será completa agora. Não haveria como sentir-se infeliz se ele tinha uma versão só para si. Todos os aspectos da robô foram cuidadosamente projetados, baseados no tempo de convivência entre os dois, já que o pobre homem se oferecia de "terapeuta" para a vizinha. Não havia possibilidade de dar errado, era o final que ele tanto esperava. Mas...e se a verdadeira Lúcia esbarrasse em sua cópia?

"Afinal, ser amigo é zero à esquerda para endividado; e pedir para ser amigo, pior que atropelar saltitantes esquilos na primavera; e reclamar do desdito, certeza da insanidade." 
(pág. 48)

AEcM12 foi uma leitura bem rápida, com um tema bem diferente do que estou acostumada. Confesso que não sou fã desse ramo da ficção científica. Robôs, inteligência artificial, tudo isso nunca me interessou muito, nem mesmo filmes do gênero como O Homem Bicentenário ou Eu, Robô. Mas a leitura foi bem agradável na medida em que deveria ser; apesar de todas as nomenclaturas técnicas, o que já era esperado, fiquei muito satisfeita em saber que o autor definitivamente fez sua tarefa de casa ao criar o mundo futurista e robotizado que desejava para ambientar essa história.
No entanto, a estrutura da narrativa não foi muito interessante, nem conseguiu me prender. Narrada em terceira pessoa, o texto é repleto de reflexões, a maioria delas separadas por sentenças curtas. Para mim, é algo completamente diferente do que estou acostumada a ler em outros livros e, talvez, não seja o tipo de narrativa para mim. Foi um fato que se repetiu nessa nova obra do autor e que eu já havia conferido na leitura de Três Amores Instantâneos, provocando o mesmo incômodo durante a leitura.

"(...) mas quem ama prefere a mágoa do incorreto ao invés da desesperança, porque nenhuma certeza reside no tempo perdido, no erro existe o erro, na tentativa, a coragem, em fazer nada apenas reside o nada." 
(pág. 54)

Outra coisa que me incomodou muito na leitura foi o estado em que o livro chegou para mim. Com as páginas levemente amareladas, o choque maior foi quando, em plena leitura, uma folha caiu no meu colo, completamente descolada da brochura. Eu não sei como o livro saiu das mãos do autor para o Book Tour, se estava novinho em folha ou já com certas marcas de uso, mas ainda assim achei bem estranho a folha se desprender do livro.
No mais, a leitura foi interessante, uma saída da minha zona de conforto. Apesar da narrativa um pouco cansativa para mim, o enredo foi bem desenvolvido e, para os fãs de ficção científica e cenários futuristas, é uma ótima opção.

Nota:



4 comentários:

Roseneia Santos disse...

Não tinha lido nada assim romantico,cientista futurista...mas achei o enredo interessante,depois do quote ,
despertou minha curiosidade!
beijinss!

JessicaLisboa disse...

Nao conhecia esse livro,mas nunca li nenhum livr 'futurista' entao fico com o pé atras a respeito. Mas muito boa a resenha!




xx

Jônatas Amaral disse...

Achei a história interessante.
Ficção científica. São poucas que me agradam no cinema, e na literatura também.
Este livro parece ser bem interessante no quesito de ficção cientifica que gosto.
Gostei muito da resenha, e da forma como você opinou de forma sincera, espontânea e, sim, imparcial. Mostrando seu ponto de vista, a sua opinião como leitora, mas como conhecedora de mundo também.


Parabéns, quero muito ler, como consigo? Já tem nas livrarias?


Jônatas Amaral
Blog Alma Critica

Natalia Araújo disse...

Parece uma história interessante, com robôs e afins, fiquei interessada em ler.

Pena que sua nota não foi lá essa coca-cola toda, rs

M&N | Desbrava(dores)
de Livros