quinta-feira, 7 de novembro de 2013

#Resenha: Card Captor Sakura 09 - CLAMP

Card Captor Sakura #09
Autores: CLAMP
Editora: JBC
Número de páginas: 212

Hoje é o White Day, dia de retribuir os chocolates recebido no dia dos namorados, e Sakura está animada para entregar os presentes que preparou para Tomoyo e Shoran. Enquanto isso, o prof. Kinomoto recebe uma inesperada ligação de Sonomi para buscar um presente especial do avô de Nadeshiko. E, ultimamente, Yukito anda com tanto sono que está sofrendo desmaios repentinos. Sakura está ficando cada vez mais forte, mas Kerberos percebe que isso ainda não é o suficiente, e caso eles não consigam encontrar logo uma fonte de poder mágico para o Yue, o guardião corre o risco de desaparecer!

Resenhas anteriores:

O White Day é uma data comemorativa que só existe no Japão em retribuição ao Dia dos Namorados. É comemorada no mês seguinte, março, e as pessoas que receberam chocolates nessa data, retribuem com marshmallows. Acontecendo isso no mundo de Sakura, é claro que tudo fica mais fofo!
Os sentimentos de Sakura estão começando a clarear, bem lentamente. Agora que ela sabe o motivo de sua atração por Yukito, ela é levada a pensar para quem seu coração bate mais forte. Mas, apesar disso, ela continua a não enxergar o que está bem a sua frente. As tentativas de Shoran em expressar seus sentimentos sempre são interrompidas, apesar dos esforços do garoto e do incentivo de Tomoyo.
Yukito está piorando, o sono ficando mais constante e pesado, e tudo porque Yue não consegue se manter apenas com a magia de Sakura, embora ela seja muito poderosa. Ele precisará encontrar uma alternativa antes que seja tarde demais e ele e Yukito deixem de existir. Touya percebe que há algo errado com o amigo e ele é um personagem que vem chamando muito a minha atenção pela sua enorme percepção. Eu achava que ele era apenas o irmão super protetor da Sakura, mas ele é muito mais que isso.
Com essa aproximação entre os dois, Eriol está de olho em Sakura e não perde a chance de pregar-lhe uma peça. Isso a deixa confusa, já que esse tipo de magia só era empregada quando ela ainda tinha alguma carta para capturar, mas seus sonhos sobre um local misterioso e a voz do Mago Clow lhe deixando uma mensagem faz com que ela não suspeite de nada que está acontecendo.
Por outro lado, as Cartas Clow, ao serem exigidas, passam a se transformar em Cartas Sakura, o que só confirma o grande poder dessa garota e reafirma o motivo de ela ter sido escolhida para ser a nova guardiã. Muitos detalhes me surpreenderam nesse volume, principalmente os desfechos de Touya e Yukito. Quando as peças começam a se encaixar, fico ainda mais encantada por entender como tudo se desenrola, principalmente aspectos dos quais me lembrava apenas em parte. Saber como tudo realmente acontece é de enorme satisfação.
Estar na reta final de Card Captor Sakura me deixa, ao mesmo tempo, nostálgica e animada. Nostálgica porque será uma grande parte da minha infância que estará sendo encerrada novamente, mas animada porque aprendi muito com o mangá. São detalhes dos quais não me lembrava ou que realmente não apareceram no anime (isso realmente só vou descobrir quando terminar de rever os episódios. rs).
A verdade é que não posso deixar de me sentir criança, sentir meu coração se derreter com a simplicidade do enredo, apesar de todos os desafios que uma menina tão novinha tem de enfrentar. Sempre me lembro de Sakura como a personagem que me inspirava (e ainda inspira) confiança, coragem, com seu carisma, nada parece impossível. Ela é muito amada por todos que a cercam, é uma garota de imensa sorte.
Se vocês ainda não se convenceram para ler, ao menos pesquisem no YouTube os episódios do anime, o mangá é tudo isso e mais um pouco, com a mágica do virar de páginas de uma edição esplêndida da JBC.
Simplesmente perfeito!

Nota:


8 comentários:

Evelyn Reis disse...

como eu amo Sakura >.<

Evelyn Reis disse...

Como eu amo Sakura >.<

JessicaLisboa disse...

Nunca li manga, mas gostei da historia, vou tentar achar na minha cidade.




xx

Franciele de Santana disse...

Ah, eu adorava assistir Sakura, ainda não tentei ler os mangás eles são um poco difíceis onde moro

Mallu Marinho disse...

Infelizmente, não gosto muito de mangás. Já tentei ler dois, mas descobri que vai além da minha capacidade de entendimento. As histórias costumam ser legais e os desenhos maravilhosos.

Jônatas Amaral disse...

Não me ligo muito nesse tipo de mangá.
Mas verdadeiramente lembrar a infância, sentir essa breve nostalgia nos leva a refletir o quanto deixamos de ser sinceros, de acreditar no impossível. Nos lembra que nos inspirávamos da forma doce, nos personagens mais simples e complexos.
Ser criança devia ser eterno.
Boa resenha.

Fábrica dos Convites disse...

Nunca li este mangá, apesar de conhece um pouco a personagem.
Bjs, Rose.

Natalia Araújo disse...

Parece bem legal esse Mangá, Vê.

Eu acho bacana, nunca peguei para ler, mas sempre tive curiosidade.

M&N | Desbrava(dores)
de Livros