sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

#Indicação - Filme: Frankenstein - Entre Anjos e Demônios


Frankenstein: Entre Anjos e Demônios (I, Frankenstein) - 2014

O monstro (Aaron Eckhart) criado pelo cientista Victor Frankenstein (Aden Young) foi o primeiro ser nascido pelas mãos do homem. Entretanto, pouco após a criação o monstro foi abandonado para ser morto. Revoltado, ele retorna e se vinga do criador, matando sua esposa. O dr. Frankenstein parte em sua busca, mas acaba morrendo durante a perseguição. Ao retornar à sua cidade natal para enterrar seu criador, o monstro é atacado por demônios, que desejam capturá-lo. Ele é salvo por gárgulas, que o levam até o local onde vivem: a catedral de Notre Dame. Após ser nomeado como Adam pela líder das gárgulas, Eleonore (Miranda Otto), ele resolve ir embora e seguir sua vida. Porém, 200 anos depois, ele descobre o porquê dos demônios estarem tão interessados em capturá-lo.

Frankenstein: Entre Anjos e Demônios é um lançamento ainda recente dos cinemas brasileiros e lá fui eu conferir. Mas antes que eu possa começar com as grandes esperanças dessa mais nova versão, vamos direto ao ponto: um Frankenstein que não parece um Frankenstein.


Exatamente! Esse Frankenstein está a uma cirurgia plástica de parecer um galã. Quero dizer, sempre tivemos aquela imagem do Frankie meio esverdeado, dois parafusos nas laterais do pescoço, costuras aparecendo e uma pose meio brutamontes. Só que, tirando o cabelo desgrenhado e as cicatrizes muito bem cicatrizadas dele (bem até demais, talvez), ele se parece muito com o ator que lhe deu vida (jura?). Nem parece que, como ele mesmo diz, foi feito de partes de oito corpos diferentes. Lorota isso!
Mas continuando... Frankie é a realização de algo que os demônios estão de olho há muito tempo. Por isso, ele é o mais novo objeto de desejo do príncipe das trevas, Naberius, o que coloca nosso sinistro Frankie na lista dos demônios. No entanto, ele é salvo por duas gárgulas (é, esqueça os "Anjos" do título) e é levado até a Rainha Eleonore, que representa uma ligação direta com os arcanjos na Terra. Então, de um lado estão os demônios, e do outro, as gárgulas. Nem preciso comentar que o bem está sempre em menor número, não é?


Pois bem, a salvo dos demônios (por enquanto), Frankie é convidado a permanecer no solo protegido das gárgulas enquanto o antigo diário de seu dono, que contém todas as informações sobre como foi possível criar bizarra criatura, fica bem guardado no cofre da ordem a mando da rainha. Mas Frankie (que é chamado de Adam por Eleonore) não gosta de se sentir prisioneiro e recusa o abrigo, desaparecendo por 200 anos sem, no entanto, sair da mira de caça dos demônios.
Decidido a acabar com isso de uma vez por todas, Frankie resolve ir ao encontro das forças das trevas (sem saber que são das trevas) e passar a história a limpo. Porém, chegando lá, ele não se sente bem desse lado também e vai embora. É a famosa luta do bem contra o mal e resta-nos saber para qual lado a criatura penderá. A questão é que Frankie descobrirá detalhes sórdidos do plano de Naberius e caberá a ele salvar não só aos gárgulas, como também o destino da humanidade.
Clichê? Talvez. Mas o que realmente impressiona em Frankenstein: Entre Anjos e Demônios é a ação que permanece no filme do começo ao fim. É um filme sombrio, com muitas cenas de luta excepcionais, sem falar dos efeitos especiais que estão muito bons. Eu assisti ao filme em 3D, mas garanto que a versão comum não deve fazer qualquer diferença. O que realmente peca, infelizmente, é a proposta de um Frankie arrumadinho demais para ter sido retalhado e montado de diferentes corpos, como disse anteriormente.
Essa luta entre gárgulas e demônios oferece uma nova perspectiva sobre quem seriam os tais anjos da história e, ainda assim, nem sempre parecem muito bonzinhos. Mesmo assim, o que mais me atraiu foram as cenas de luta e os efeitos especiais; achei o plot meio fraquinho e com um final muito previsível. Mas podem arriscar, pois, se não gostarem da história ou do Frankenstein em si, sem dúvida gostarão de todo o resto.

Nota:


12 comentários:

Natalia Araújo disse...

Não sabia nem que esse filme havia sido lançado. Na verdade, ele me pareceu um pouco estranho. Além do protagonista não parecer nem um pouco com o monstro clássico, essa história está muito diferente da original, para o meu gosto. Não sei se assistiria.

Mallu Marinho disse...

Nunca curti muito o Frankentein original, confesso. Mas acho que eu até daria uma chance a essa versão menos assustadora. Acho que é uma espécie de releitura, né? Não tenho muito interesse, mas vale a pena dar uma conferida no cinema.

Jônatas Amaral disse...

Gosto muito da história do Frank, a história de terror e tudo mais. Confesso que essa nova adaptação não me fascinou em nada, desde que começaram a divulgar e tudo mais.
Ainda não pude assistir, mas não é um filme que eu queira assistir no cinema, esperarei assistir em DVD, afinal só posso dizer que não gosto quando ver.
Mas, confesso que não estou tão animado.
Mas, valeu a dica.


Jônatas Amaral
Blog Alma Crítica.

Danii Kaulitz disse...

ahh esses gifs animados que você colocou ficaram muito engraçados e o primeiro foi a minha reação ao ler que o fankenstein é um cara normal, com exceção de suas cicatrizes! rs
Mas até que achei o enredo legal, essa outra versão da estória que todos conhecem para ser interessante e gostei de saber que tem muita ação! :)

Mônica disse...

Adoro filmes então vou assistir, como tu disse, se não pela história o resto pode me agradar :3
P.S: Ri demais com o gif :P

Franciele de Santana disse...

Realmente o que me levaria ao cinema seria a ação, adoro estas cenas, mas não é muito pesado não né? Com muita crueldade, não gosto muito disso não, ah e também gosto muito de efeitos especiais quando bem feitos valendo ressaltar.

Veezinha disse...

É uma proposta bem diferente, Natalia. Eu não conheço 100% a história original do Frankenstein, mas esse filme em especial foi inspirado na HQ e não no livro da Mary, então talvez ele esteja fiel à proposta da HQ. Ainda assim, achei muito fraco...está mais para um filme de ação do que de fantasia.


xx

Veezinha disse...

Então Mallu, esse filme foi inspirado na HQ, então provavelmente seja o motivo para uma pegada menos sombria e assustadora. Mas ainda é válido conferir e tirar suas conclusões :D


xx

Veezinha disse...

Não conheço por inteiro a história do Frank, mas ainda tenho curiosidade em descobrir. Acho que, se você gostar de boas cenas de luta e um ótimo efeito especial, penso que seria um risco válido; mas não vá com tanta sede ao pote. rsrs


xx

Veezinha disse...

E não é? Eu senti que precisava de algo cômico para essa indicação. rsrsrs De qualquer forma, é uma nova proposta com muita ação e efeitos especiais muito bons, então acho válido dar uma chance, mas sem muitas expectativas para um filme sombrio. rsrs


xx

Veezinha disse...

Ah, isso não, Franciele; pode ir sem medo que as cenas de ação são como as de luta. Mas nada muito sangrento ou cruel, fique tranquila! Vale a pena por essas cenas e os efeitos especiais! ;D


xx

Franciele de Santana disse...

Obrigada!