terça-feira, 7 de janeiro de 2014

#Resenha: A Agenda - João Varella

A Agenda
Autor: João Varella
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 240

"Sandra Macedo é uma alta executiva de marketing. Obstinada e competente, sua eficiência é reconhecida pelos funcionários e pela diretoria da holding onde trabalha. Exemplo de mulher bem-sucedida, Sandra vive atolada entre as obrigações profissionais e uma filha que não lhe dá muita atenção. Em meio a essa correria, fica difícil dedicar um tempo ao lado afetivo. Assim, ela acaba se envolvendo com pessoas que podem comprometer sua carreira e sua saúde emocional. A não ser que ela deixe de ser a menininha que, no fundo, continua sendo..."

Compre: Saraiva | Submarino

Este livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

De tempos em tempos, nos deparamos com leituras intrigantes, confusas e, ainda assim, muito bem escritas. Este é o caso de A Agenda, do brasileiro João Varella. A minha primeira e única leitura do Read-a-Thon BR na semana dos nacionais me deixou coçando a cabeça e com uma enorme dúvida sobre se eu havia entendido direito o desfecho de uma narrativa super rápida de ler.
Com capítulos curtos e o desenrolar prático, A Agenda nos mostra a vida de Sandra, uma marketeira em uma super empresa que fornece cursos para vestibular, Felipe, o mais novo estagiário e Carrano, um poeta maltrapilho que percorre as ruas da cidade para tentar vender suas obras em folhas de papel xerocadas. Basicamente, acompanhamos esses três personagens. Desde o começo me perguntava o que a tal da agenda poderia significar na trama e como a vida dessas três pessoas iria cruzar-se.
Sandra é bem-sucedida e não vive sem a sua agenda, onde anota compromissos, contatos, todo e qualquer tipo de informação. Sua vida está completa ali, não há nada que ela deixe de fora, do contrário, é capaz de esquecer.

"- Sem minha agenda não sou ninguém, esqueço tudo e deixo de fazer coisas importantes. Funciona até nas coisas mais triviais."
(pág. 73)

Felipe é o estagiário na grande empresa em que Sandra trabalha e logo mostra-se um jovem ambicioso, determinado a abrir portas para sua carreira profissional através dessa oportunidade de emprego. Custe o que custar.
Carrano passa os dias nas ruas para declamar textos de sua autoria e na maioria das vezes é tratado como inconveniente, uma ameaça pela sua aparência maltrapilha. Todos os dias volta para seu barraco na periferia, tentando sustentar a si e ao sobrinho estudioso que, depois de finalizadas suas tarefas escolares e as domésticas, segue para a casa de um amigo para jogar video-game.
Tudo muda quando, um dia, Sandra perde sua agenda e ela vai parar nas mãos de Carrano. Sua vida vira de cabeça para baixo para tentar encontrá-la, ao mesmo tempo em que Felipe vê uma oportunidade de aproximar-se da chefe, tentando entender por quê ela faz tanta questão de ter uma agenda de papel em meio a um mundo tão tecnológico.
Como será que Carrano fará uso dessa agenda e que impacto ela terá na vida de Sandra e Felipe quando ela for, finalmente, devolvida após um tempo?

"Admirável garoto novo, que volta e meia citava algum autor de best-seller carreirista, não se dava conta de que um dia podia vir a necessitar dos que estavam a sua volta." 
(pág. 139)

O livro, em si, foi uma leitura rápida e prática, o que, ultimamente, tenho apreciado muito. A escrita do autor é excepcional, deliciosa de se acompanhar e talvez tenha sido o que me encantou durante a leitura. Aparentemente, não é um enredo genial ou inovador, mas a forma como a narrativa se constrói e o desfecho final, é capaz de deixar-nos zonzos. Não dá para prever e, muito tempo depois de finalizada a leitura, você ainda se pergunta se entendeu direito o que leu e o rumo que as coisas tomaram.
Os personagens que acompanhamos são pessoas normais, que poderiam ser colegas de trabalho, amigos ou conhecidos, eles não são especiais de forma alguma e é aí que está a sacada do autor. Podemos nos identificar com o enredo, identificar situações que tenhamos presenciado ou ouvido falar sobre. É praticamente um relato do cotidiano de uma grande empresa, a relação entre funcionários e a vida na periferia. Ainda assim, a maneira como tudo foi construído e contado fez toda a diferença e chamou a minha atenção.
O final, é claro, destacou-se e me provocou confusão; ainda hoje não sei se gostei ou não da leitura, mas o fato de ter ficado intrigada mostrou-me que o autor tinha um ponto e que este talvez fosse deixar um desfecho inesperado e fazer com que o leitor ficasse no estado em que eu fiquei. Se assim for, ele concluiu seu objetivo com sucesso.
A diagramação da editora está bem simples, mas muito confortável e inovadora. As margens são relativamente grandes, o que deixa as páginas com menor quantidade de texto e, consequentemente, rápidas de virar uma atrás da outra. A revisão também está muito boa e a divisão de capítulos é...curiosa.
No mais, A Agenda é uma leitura rápida, intrigante e muito bem construída. Você pode até ler grande parte do livro achando que já entendeu tudo, mas espere até os capítulos finais. O tombo virá de onde menos se espera e o deixará com cara de interrogação enquanto estiver fechando o livro. Divirta-se tentando encontrar um entendimento e, caso já o tenha encontrado, não deixe de compartilhar com essa humilde blogueira que ainda tenta entender o que se passou.

"Sempre que examinava frases do futuro ou do passado dos dias da agenda, sentia que seu dia perdia o eixo e o sentido. Parecia que as frases só adquiriam sentido para o dia em que foram anotadas." 
(pág. 143)

Nota:



24 comentários:

Jônatas Amaral disse...

Minha impressão ao ler esta resenha foi:

Nossa!

Eu vi este livro pela primeira vez na faculdade, nas mãos de um amigo. Eu achei o livro visualmente muito belo. Dei uma pincelada com os olhos nas primeiras páginas, e se não fosse o fato de ele já pedindo o livro de volta para irmos embora, eu teria lido o livro inteiro.

Não acho a premissa inovadora, porém, acho instigante.

Confesso, que fiquei muito curioso para ler este final que nos deixa tão intrigados. Vou pedir esse livro emprestado. Quero saber! Me deixastes curioso! kkkkk

Um ótima resenha, parabéns!!

Jônatas Amaral
http://alma-critica.blogspot.com/

Fábrica dos Convites disse...

Uma das poucas resenhas que li do livro. Eu tenho ele, mas não tive tempo de ler.
Bjs, Rose

Danii Kaulitz disse...

Achei bem legal a resenha, mas confesso que o livro não chamou minha atenção rs

Mas fiquei curiosa com o fato de o final ser confuso, deve ser um daqueles livros que temos de ler mais de uma vez para entender melhor ! :)

beijos ♥

quemprecisadetvparaverbeyonce.blogspot.com.br

Roseneia Santos disse...

Achei bem interessante o enredo,se tiver oportunidade gostaria de ler para ver o final dessa história!

alice aguiar disse...

realmente não faz meu estilo '-'

Rita de Cássia disse...

Ultimamente também tenho apreciado leituras rápidas. Meu mês de dezembro foi ótimo por conta disso. Mas agora estou arrastando uma leitura chata e cansativa.
Eu tinha visto esse livro, mas nunca abrir pra se quer ler a sinopse. Achei bem interessante a trama, e o que eu apreciei mais foi os personagens se assemelharem tanto ao nosso cotidiano. Nada de excepcional. Apenas pessoas na correria do dia-a-dia com os problemas que todos enfrentamos diariamente.
Adoraria ler se tiver a oportunidade.

Feer Tavares disse...

Que resenha linda!
Deuu muita vontade de ler, porque pela capa eu passaria longe rs
Só não tenho muita paciência pra coisas confusas, mas espero que não seja um problema :)
Literatura nacional tá chegando com tudo o/

Mallu Marinho disse...

Esse livro nunca me chamou atenção, o que é uma pena. E não sei o que entender quando você diz que se trata de uma história confusa e intrigante. Acho que eu tenho muito pouca tolerância pra isso, sabe? Ou o livro me conquista de primeira e me convence a terminar ou não. Isso as vezes me impede de fazer boas leituras, mas é apenas um filtro natural. A trama é interessante, mas acho que não seria a leitura ideal para esse momento. Talvez futuramente! Adorei a resenha, bastante esclarecedora!

Ycaro Santana disse...

A capa não é um atraente para o livro, mas com a resenha dá pra perceber que o livro é ótimo! Mais uma prova que não se pode julgar o livro pela capa.

Michelli Santos Prado disse...

Olá Vê!! Tudo bem??
Achei bem interessante a história e fiquei curiosa para saber o que tem na agenda! Gostei do prefácio e fiquei curiosa quando você fez mistério em relação ao final da historia!!
. Quero ler logo =)

Beijocas ♥

Natalia Araújo disse...

A história é bem típica do que acontece nos dias de hoje. Muitos são tão atarefados que fica complicado dividir as tarefas, distribuir bem o seu tempo para dar atenção a tudo.
Adorei mesmo. Vou investir em comprar essa obra e conhecer mais sobre Varella, acho a escrita dele fantástica.

M&N | Desbrava(dores) de livros

Natalia Araújo disse...

Gosto de livros assim: surpreendentes. Às vezes é bom inovar na leitura e pegar um texto fluído e diferente.
a sua resenha foi ótima e me deixou com vontade de ler o livro.
Ah, de cara já gostei do Cerrano. rsrs

Mônica disse...

Adoro quando eu leio um livro achando que já sei o final, mas nada feito, só não gosto tanto quando não tenho certeza se o final foi entendido =/ , mas talvez dê uma chance para um livro que marcastes como 5 estrelas, sem contar que tenho adorado ler autores nacionais! ;*

Franciele de Santana disse...

Gostei do livro talvez por envolver pessoas normais quanto ao final não sei se eu vou gostar de um final tão confuso, talvez até goste mas tenho as minhas dúvida.

Veezinha disse...

É mesmo, Jônatas? Que legal saber disso! Prova que o livro o pegou de jeito desde o início. Você deveria ter insistido para ficar com o livro, logo menos já o teria terminado. rsrs
Não é mesmo inovadora, mas tem certo charme e mistério, você tem que admitir! rsrs Peça sim, vai ser surpreendido! ;D


xx

Veezinha disse...

Deveria tentar, Rose. É uma leitura muito rápida e prática, com o adicional de ter um final excepcional! Dê uma chance. ;D


xx

Veezinha disse...

A princípio, é assim mesmo, Dani. Mas eu peguei para ler justamente por causa da promessa para esse final. Fiquei sem norte. rsrs
Antes de mais nada, dê uma chance, nem que seja para você pegar o livro quando não tiver nada melhor para fazer. É uma leitura rápida e surpreendente!


xx

Veezinha disse...

Tudo se resume ao final, Roseneia! rsrs Ele é a reviravolta que aguardamos o livro inteiro e vale à pena!


xx

Veezinha disse...

Dê uma chance Alice, acho que a narrativa dinâmica e a leitura rápida podem te ganhar, com o bônus de um final inesperado! ;)


xx

Veezinha disse...

Leituras rápidas são uma mão na roda, Rita; não só nos ajudam a ler mais, como também nos deixa animadas para continuar lendo e nos sentindo mais eficientes. rsrs
Pode parecer muito ordinário o enredo do livro, mas o desfecho é excepcional, dê uma chance! ;D


xx

Veezinha disse...

A capa, confesso, é bem diferente, Fer! Mas o que me chamou a atenção, dessa vez, foi o título! rsrs
Acredito que a confusão não seja um problema tãããão grande assim, já que só acontece no final do livro. O duro é lidar com as caraminholas na cabeça muito tempo depois de ter fechado o livro. rsrsrs


xx

Veezinha disse...

Que pena, Mallu; mas você deveria arriscar mais vezes. O final pode ser determinante para uma leitura surpreendente ou, de fato, decepcionante. Não tenha medo de largar um livro, mas insista o máximo que puder até o final da leitura. Já fui pega de surpresa por isso. rsrsrs


xx

Veezinha disse...

É verdade, Ycaro; a capa pode ser um pouco estranha, mas a história é muito bem escrita e com um final de deixar dúvidas e mais dúvidas na cabeça. Vale o risco!


xx

Veezinha disse...

Oi Michelli!


Pois é, o que também me atraiu foi descobrir sobre a tal da agenda. rsrs O final da história é o grande mistério desse livro, na verdade. Você passa o tempo todo achando que não será uma leitura nada demais, mas o final é tudo! Leia sim! ;D


xx