sábado, 22 de março de 2014

#Resenha: Ousadia - Tawny Weber

Ousadia (Flor da Pele #04)
Autora: Tawny Weber
Editora: Harlequin Brasil
Número de páginas: 224

"Um desafio que nenhum dos dois pode recusar.
Depois que a critica literária Delaney Conner ganha um concurso cujo prêmio é uma repaginada no visual, ela começa a atrair muita atenção! Especialmente de Nick Angel, um escritor rebelde e supersexy, cujo último livro Delaney devorou. Sua principal crítica ao romance? Falta de emoção nas cenas de sexo. Onde está a paixão? O sentimento? Mas quando os dois acabam na cama. ela descobre mais sensações do que poderia imaginar... Nick a acha muito, muito atraente. Contudo, ele sabe, por experiência, que ê apenas uma questão de pele. Então Nick desafia a sedutora literata: ou ela prova sua hipótese de que o amor torna o sexo inesquecível, ou admite a teoria dele, de que a melhor transa é puramente física. Não importa quem será o vencedor. O tempo que passarão juntos tentando convencer um ao outro será deliciosamente ousado!"

Compre: Saraiva (versão digital) | Submarino

Outras resenhas da coleção:

Leitura recomendada para MAIORES DE 18 ANOS.

Ousadia foi o segundo livro da coleção Flor da Pele que eu li e, basicamente, já sabia o que me esperava nessa história: uma mocinha desajeitada, um mocinho arrebatador e sexy, uma tensão entre eles, um passado com problemas para um deles ou ambos e um final feliz. Isso pode desanimar muitas pessoas a ler romances eróticos, mas não a mim. Depois de minha agradável experiência com Lento, eu fui muito animada para esse livro, principalmente sem ter a preocupação de sofrer com a leitura.
Delaney era o que se podia chamar de desleixada. Uma excelente professora universitária, crítica literária, mas com zero autoconfiança e senso de moda. Seu comportamento conformado sempre foi uma ótima maneira para que ela deixasse que seu severo pai dissesse tudo o que pensava sobre ela sem ouvir qualquer retórica à altura, o que nunca era fácil. Já dá para perceber que a vida dela, apesar de aparentemente bem sucedida, era um caos, principalmente no que dizia respeito à sorte no amor, certo?
Então, quando ela ganha um concurso de uma revista de moda para uma mudança geral de aparência e guarda-roupa, Delaney acha que finalmente conseguirá dar uma guinada em sua própria vida e poderá mostrar aos outros, principalmente a seu rigoroso pai, que ela pode, sim, cuidar do próprio destino e seguir para aquilo que gosta. E o universo parece conspirar a seu favor, pois Delaney não só passa a chamar a atenção como consegue um espaço em um canal de TV local para fazer aquilo que mais ama: falar sobre livros.

"Era hora de parar de permitir que seu pai decidisse o que deveria ser valorizado ou não. Afinal de contas, provavelmente aquele era o único jeito de ela aprender a se valorizar." 
(pág. 15)

Com a maré de boa sorte, a mais nova crítica literária também tem a oportunidade de desafiar seu escritor favorito, Nick Angel, a ir muito além do sexo em seus livros, que costumam fazer suas bochechas queimarem, e desenvolver o romance entre suas personagens. A relação entre eles é explosiva desde o início e Nick acaba oferecendo muito mais do que um simples desafio de escrita. Delaney deverá provar a ele que o amor pode transformar significativamente o sexo ou aceitar sua teoria de que o ato não passa de atração física...mesmo que, para isso, os dois tenham que colocar as próprias teorias em prática um com o outro.
Poderá Nick abrir-se ao amor, mesmo após um passado difícil? Conseguirá Delaney provar a si mesma e a todos que a cercam que finalmente chegou sua vez de ditar os próprios passos e se entregar a um novo e inesperado sentimento?

"Poderia exigir o que quisesse e ele não fugiria dela. Não iria mandá-la embora. Em vez disso, ele encararia as exigências dela, apresentando algumas das suas também." 
(pág. 90)

Embora Ousadia não tenha sido tão empolgante quanto Lento, eu adorei a evolução de Delaney, mesmo que esta tenha se dado após uma transformação puramente estética. Ainda assim, foi muito interessante o quanto o fato de ela sentir-se bem consigo mesma, mais bonita, foi o estopim para que ela passasse a dar mais valor a si mesma e enfrentar os próprios medos e empecilhos.
Delaney ficou ousada, embora sempre mantivesse um receio enorme de que sua identidade de professora universitária nerd fosse descoberta por Nick. Por algum motivo, isso acabou sendo apenas um medo bobo e até mesmo justificável, já que uma mudança tão grande de visual foi o suficiente para sacudir o mundo dessa mulher, felizmente, para melhor.
Adorei o ambiente escolhido pela autora, o mundo universitário e dos escritores foi muito legal e eu acabei a leitura também querendo ter um quadro na TV para falar sobre o que mais amo, que são os livros. Mostrou também que, não importa o quão inteligente e independente você possa ser, se você não se sentir bem consigo mesma, será incapaz de ganhar a confiança necessária para impor-se e defender seus sonhos e desejos.

"A luxúria é baseada em aparência, em atração explosiva e desejo ardente. Intimidade é mais, são todas essas coisas que você citou. É conversa na cama e mau hálito de manhã. É aquela chama que queima, que dura depois do fogo da atração inicial. São as emoções." 
(pág. 161)

Apesar de, novamente, encontrar erros grotescos durante a leitura, muitos dos quais poderiam (e deveriam) ser evitados, eu gostei bastante da história. Não sei dizer ao certo o que faltou para me entusiasmar tanto quanto em Lento, mas, mesmo assim, é um livro que indico, principalmente pelo enredo se passar justamente no próprio mundo dos livros. Sem contar que, em se tratando de uma leitura erótica, as partes mais quentes não deixam em nada a desejar!
Ousadia é, como o próprio título sugere, ousado, o despertar de uma mulher para a própria sensualidade e potencial, além de conseguir atestar que pode decidir pelos próprios sonhos e provar a todos e até a si mesma que tomar as rédeas da própria vida é, na verdade, libertador. Extremamente caliente, o livro promete transformar-se em uma leitura exatamente como os livros de Nick Angel são para Delaney Conner: digno de deixar as bochechas inflamadas!

"Tinha aprendido a se valorizar. A se impor e ser notada. A ser visível, de um jeito mais do que simplesmente físico." 
(pág. 204)

Nota:


4 comentários:

Roseneia Santos disse...

Amei a temática da história tudo haver com algumas mulheres de hoje,instigante,misterioso,envolvente...embora não conhecia o livro e nem a autora!
Beijinsss!

nathalia silva disse...

Primeira resenha que vejo sobre esse livro e que conseguiu me fazer querer ler o livro. Sei que muitos podem se perguntar, como uma transformação física pode mudar tanto uma pessoa? Como no caso da Delaney. Pois digo a essas pessoas, isso faz o inimaginável...

Sinceramente gostei do que li -apesar de ficar imaginando que erros grotescos são esses,- enfim, darei uma chance ao livro. :)

Desbravadores de Livros disse...

Esse tipo de leitura não faz meu estilo
Mas gostei de como soube falar da história, vê.
M&N | Desbrava(dores)
de livros
- Participe do nosso Top Comentarista

Desbravadores de Livros disse...

Esse tipo de leitura não faz meu estilo
Mas gostei de como soube falar da história, vê. :D
M&N | Desbrava(dores)
de livros
- Participe do nosso Top Comentarista