sábado, 19 de abril de 2014

#Resenha: Colin Fischer - Ashley Edward Miller e Zack Stentz

Colin Fischer
Autores: Ashley Edward Miller e Zack Stentz
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 176

"Resolvendo o crime. Uma expressão facial por vez. O ano letivo de Colin Fischer acabou de começar. Ele tem cartões de memorização com expressões faciais legendadas, um desconcertante conhecimento sobre genética e cinema clássico e um caderno surrado e cheio de orelhas, que usa para registrar suas experiências com a MUITO INTERESSANTE população local. Quando um revólver dispara na cantina, interrompendo a festinha de aniversário de uma das garotas, Colin é o único que pode investigar o caso. Está em suas mãos provar que não foi Wayne Connelly, justamente aquele que mais o atormenta, que trouxe a arma para a escola. Afinal de contas, a arma estava suja de glacê, e Wayne não estava com os dedos sujos de glacê…"

Compre: Saraiva | Submarino

Este livro foi cortesia da editora Novo Conceito.

Colin Fischer é uma leitura rápida e muito prática. Colin é um garoto que vai começar o ensino médio e será o seu primeiro ano sem uma acompanhante para ir com ele para todos os lugares. Garoto peculiar e de estranhas manias, é de se esperar, desde o começo, que Colin será alvo de muitas implicâncias na escola.
Ele leva para todos os lugares seu precioso, e já um pouco surrado, Caderno, onde anota todas as suas observações sobre seu dia, desde comportamentos dos colegas e demais pessoas que o cercam, até lembretes para investigar determinadas coisas que não compreende.
A sua anotação mais consultada é a descrição de inúmeras expressões faciais, devidamente identificadas, cuidadosamente escrita pelo próprio garoto. Colin precisa dela quando está em dificuldade para decifrar alguma expressão de seu interlocutor. Todas elas recebem grande destaque no livro, sendo escritas em caixa alta em todas as vezes.

"Esse fenômeno é chamado de 'Efeito Kuleshov', em homenagem ao diretor que realizou os experimentos. O que ele demonstrou foi que nunca se pode dizer o que um rosto impassível significa até conhecer o contexto.
(pág. 36)

Quando a comemoração de uma das poucas amigas de Colin, Melissa, acaba no disparo acidental de uma arma de fogo em plena cantina da escola lotada, o menino percebe que pode ser o único a seguir as evidências da forma correta e encontrar o verdadeiro culpado, livrando um aluno de tornar-se bode expiatório.
Baseando-se nos comportamentos que com tanto afinco sempre anotou em seu Caderno, Colin tenta compreender a relação entre todos os alunos, até então suspeitos, para chegar à verdade. Nesse meio tempo, ele contará com aliados improváveis e transporá barreiras que jamais pensou quebrar um dia. Fischer está disposto a sair de sua tão bem construída zona de conforto, que o isola do mundo, para mostrar a todos não só que está ali, como também que entende o que se passa ao seu redor, talvez sendo o único a realmente prestar atenção no que ninguém mais se dá ao trabalho de perceber.

"Extensões de fios coloridos indicavam as relações entre indivíduos e grupos, divididas pelo tipo de relacionamento: amizade, romance, rivalidade. Fez isso tudo imitando conscientemente os quadros utilizados pelo FBI e outras agências da Justiça para rastrear as ligações entre os membros das famílias da Máfia e outras conspirações criminosas." 
(pág. 78)

Apesar de ser uma história investigativa, acerca de um mistério que ocorre na escola, Colin Fischer não conseguiu me encantar completamente. E o maior motivo disso tudo foi a minha irritação com o protagonista, Colin. Cheio de manias, frescuras e um comportamento de dar nos nervos, fui contra ele em quase todo o livro.
Apesar de ser ele a fazer toda a investigação, criar as teorias e, posteriormente, chegar a uma conclusão, para mim ele não convenceu sobre seus problemas. A explicação dada pelos autores, para mim, ficou como uma desculpa para o comportamento bizarro do garoto. Acabei me simpatizando muito mais com o irmão mais novo dele, Danny, porque entendi muito bem como ele deveria se sentir tendo pais que só ficavam protegendo exageradamente o filho mais velho, com "mimimi"s o tempo todo, escusando-o de muitas coisas que ele poderia muito bem entender.
Esse sentimento atrapalhou muito a leitura e deixei de aproveitar plenamente o enredo, toda a investigação acerca do disparo na cantina da escola que, em condições normais, eu teria adorado. E, de fato, chamou a minha atenção justamente por isso: um livro infanto-juvenil com uma história de mistério e um jovem atuando como principal detetive. Teria dado certo se esse jovem detetive não fosse Colin Fischer.

"'Por quê' pode ser a pergunta mais importante de todas, porque o comportamento humano nem sempre é lógico. O comportamento humano é um mistério que não pode ser resolvido nem totalmente compreendido em termos matemáticos. Ele simplesmente precisa ser vivenciado.
(pág. 146)

Tirando Colin da equação, Colin Fischer é uma leitura muito rápida e dinâmica. No entanto, ao final, algumas questões são deixadas em aberto, sugerindo que o livro possa vir a ter uma continuação (não encontrei nenhuma informação de que já existisse esse novo volume). Confesso que essas pendências me deixaram curiosa, mas, só de pensar que o Colin estará estrelando outro livro, me desanimou muito. Eu definitivamente não fui com a cara desse personagem; para mim, as justificativas dadas para seu comportamento peculiar não me convenceram e acabou tornando-se algo irritante.
A diagramação da Novo Conceito está ótima! Alguns detalhes divertidos no início de cada capítulo, a fonte em um tamanho confortável para ler, esses foram detalhes que determinaram que eu continuasse com a leitura ao invés de simplesmente desistir. Também preciso ressaltar que o mistério foi bom; até o desfecho, eu não fazia ideia de quem era o culpado!
Então, se você estiver em busca de um livro curto e rápido, com um clima investigativo, embora juvenil, Colin Fischer é a leitura certa! Mas preparem-se para um personagem de comportamento diferente tomando o lugar de detetive principal.

Nota:


3 comentários:

Catharina Mattavelli disse...

Tenho muita vontade de ler o livro, pois parece ser muito gostoso de ler. É bem fininho né? Adorei a capa, da pra ver do que a história se trata. Muito legal!!
Amei a resenha, muito boa
Beeeeeijooos
Feliz Páscoa
http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/04/tag-livros-x-emocoes-sentimentos.html
Comente se possível ;)))

Michelli Santos Prado disse...

Olá Vê!!
Quando o livro saiu, de primeira não me interessou. Só tive interesse quando li um comentário sobre ele. Agora com sua resenha fiquei bastante interessada em realizar a leitura dele.

Desbravadores de Livros disse...

Apesar de suas críticas, Vê, quanto ao protagonista, ainda tenho vontade de ler a obra. Pelo que li do livro, ele parece ser um garoto bem inteligente. Ah, eu também adoro um pouco de mistério, o que contribuiu com minha vontade de ler a obra.