quarta-feira, 30 de julho de 2014

#Resenha: A Espada de Shannara - Terry Brooks

A Espada de Shannara (A Espada de Shannara #01)
Autor: Terry Brooks
Editora: Saída de Emergência Brasil
Número de páginas: 544

"Há muito tempo atrás, as guerras de um antigo Mal arruinou o mundo e a humanidade foi forçada a competir com muitas outras raças - gnomos, trolls, anões e elfos. No pacífico vale de Shay o meio-elfo Shea Ohmsford sabe pouco de tais problemas, isso até o gigante proibido com poderes druidas estranhos, Allanon, lhe revelar que o supostamente morto Lorde Warlock está tramando para destruir o mundo em pequenas parcelas. A única arma capaz contra seu poder da escuridão é a Espada de Shannara, que pode ser usada apenas pelo verdadeiro herdeiro de Shannara. E Shea é o último dessa linhagem e nele repousa a esperança de todas as raças. Logo o Portador da Caveira, um pavoroso favorito do Mal, se dirige para o Vale para matar Shea. Para salvar o Vale da destruição, Shea foge, levando em seu encalço o Portador da Caveira."

Compre: Saraiva | Submarino

Quando você pensar que livro de fantasia não é para você, que é uma leitura lenta, chata e muito descritiva, pegue A Espada de Shannara e prepare-se para longas horas de muita diversão e aventura. Não se deixe intimidar pelas mais de 500 páginas ou pelas enormes descrições, acredite, isso vai fazer toda a diferença na experiência de leitura!
Tudo começa com a visita de Allanon ao Vale Sombrio à procura de Shea Ohmsford, um rapaz metade elfo, metade humano. Sendo um estudioso e viajante muito respeitado, embora muito misterioso, Allanon avisa ao jovem Shea que sua vida corre perigo, pois o Mal está à espreita. Último descendente vivo de Jerle Shannara, Shea é o único que pode empunhar a mítica Espada de Shannara para, então, poder destruir o Lorde Feiticeiro que, há muito tempo, está reunindo forças para destruir o mundo que eles conhecem e escravizar todos aqueles que sobreviverem.
Para isso, ele precisa embarcar em uma viagem imediata para poder resgatar a Espada, que se encontra na fortaleza dos Druidas, bem ao centro das terras que são divididas pelos quatro pontos cardeais. Flick, seu irmão adotivo e grande companheiro de aventuras, decide acompanhá-lo e eles partem em direção a Leah, para procurar conselhos de Menion, um amigo de Shea e príncipe do reino, bem imprudente, embora seja grande conhecedor da região para a qual os irmãos Ohmsford estão seguindo.

"- Eu não sei bem o que pensar - começou ele lentamente. - Há tantas perguntas que preciso lhe fazer. Estou confuso com a ideia de não ser um Ohmsford; ser alguém ameaçado de morte nas mãos de um... mito. O que você sugere que eu faça?"
(pág. 46)

Logo fica claro que Shea corre grande perigo, pois Portadores de Caveira, servos do Lorde Feiticeiro, estão à sua procura de modo a garantir que ele jamais chegue a empunhar a espada. Rapidamente Shea, Flick e Menion são tragados para uma perigosa floresta e um mortal pântano, contando apenas com a experiência de Menion, a coragem de todos e as Pedras Élficas, que possuem poderes mágicos protetores, mas que, novamente, só funcionam nas mãos de Shea.
Eles são salvos misteriosamente e juntam-se aos anões, onde encontrarão o habilidoso Balinor, que também é um príncipe, o rabugento anão Hendel e os irmãos elfos Dayel e Durin. Juntos, esse peculiar e corajoso grupo seguirá em direção à fortaleza para não só resgatar a Espada, como também garantir a segurança de Shea e de todos os outros habitantes do mundo. Mas o caminho não será nada fácil. Lutando constantemente contra gnomos (inimigos mortais dos anões), trolls e Portadores da Caveira, ficará cada vez mais difícil manter a sanidade e a integridade para alcançarem seus objetivos.
Suspeitando de que Allanon não está lhes contando toda a verdade, esses bravos guerreiros terão de se dedicar de corpo e alma à uma batalha iminente pela própria existência, lutando contra o desconhecido e contra o mal absoluto. Será que, se Shea realmente empunhar a Espada de Shannara, ele será capaz de salvar a todos, até a si mesmo? Qual é o preço que Shea, Flick, Menion, Balinor, Hendel, Dayel, Durin e Allanon terão de pagar?

"Estava começando a perceber, pela primeira vez, a verdade sobre sua situação. A fuga para chegar a Menion era apenas o primeiro passo de uma jornada que muito possivelmente poderia continuar por anos. Mesmo se conseguissem chegar em Anar em segurança, Shea sabia que, no fim das contas, seriam forçados a fugir novamente. A busca por eles continuaria até que o Lorde Feiticeiro fosse destruído - ou Shea morresse."
(pág. 79)

A Espada de Shannara foi uma leitura que demorou, não vou mentir, mas, uma vez estabelecida uma meta diária, foi fluindo perfeita e maravilhosamente. Todas as descrições precisas e longas de Terry Brooks foram valiosas para que eu me sentisse totalmente dentro da história, que eu erguesse um mundo ao meu redor e sentisse como se estivesse diante do nosso grupo de guerreiros favoritos, a apenas passos de tocá-los nos ombros e acompanhá-los nas aventuras. Confesso que em alguns momentos me senti desmotivada a continuar lendo, mas me esforcei e o final foi incrível!
É uma história cuidadosa e brilhantemente escrita; conforme adentramos a narrativa excepcional de Brooks, percebemos que este mundo que ele cuidadosamente retratou em A Espada de Shannara nada mais é, na verdade, do que nosso próprio mundo, mas em um futuro muito distante. Após duas guerras de raças que devastaram a superfície, deixando pouquíssimos sobreviventes separados nos extremos das terras, o Lorde Feiticeiro ameaça dizimar de uma vez por todas tudo o que conhecem. Contando com a existência de trolls, gnomos, anões, elfos e druidas (grandes magos da cultura celta), o ambiente é totalmente mágico e a aventura corre solta.

"Contudo, mesmo sabendo disso, Shea sentia profundamente que, se recusar a ir, não oferecer o pouco que tinha, seria uma amarga traição para com sua herança dupla, élfica e humana, e uma negação absurda do orgulho que sentia de cuidar da segurança e da liberdade de todos."
(pág. 152)

Apesar dos capítulos imensos, nós quase não sentimos o tempo passar, pois não há um momento sequer em que tudo fique monótono; não há uma só cena sem que nada aconteça. A leitura é quase ininterrupta (afinal de contas, ninguém é de ferro) e o desfecho é surpreendente. Quando finalmente entendemos qual é o propósito da Espada de Shannara, é algo simples, mas genial! Fiquei muito apegada a todos os personagens, principalmente ao mau humorado Hendel. Senti-me parte da história de tal forma que foi difícil fechar o livro e dizer adeus a esses seres tão maravilhosos.
Com uma diagramação linda, que começa com uma fita dourada saindo da capa do livro e conta com um mapa bem grande das terras nas quais a aventura se desenrolará, dá para acompanhar a história tranquilamente. Todo o trabalho foi excepcional, mas não perfeito. Encontrei muitos erros de revisão e digitação, o que me deixou bastante alarmada, principalmente pelo tamanho do livro e pela impecabilidade dos outros elementos que o compõem. Mas, mesmo assim, não conseguiu apagar minha paixão pela história e pelo desenrolar dessa enorme viagem.

"O poder do Lorde Feiticeiro escravizara tão completamente a mente coletiva do imenso exército que nem a morte tinha mais significado."
(pág. 439)

A Espada de Shannara foi uma deliciosa surpresa, super bem escrita e que me fez ficar animada para apostar mais no gênero de fantasia! O próximo livro está previsto para ser lançado em Setembro deste ano e eu mal posso esperar para conferir uma nova parte dessa história maravilhosa e tão empolgante. Nem dá para acreditar que este livro foi publicado em 1977! A escrita é bem atual e fácil de se desenvolver e esse mundo criado por Terry Brooks ainda permanecerá em mim por muito tempo.
Mais do que indicado para qualquer pessoa que goste de uma aventura, perigos, magia e história. E uma dica: Brooks escreveu Shannara depois de ler O Senhor dos Anéis; então pode ser que, se você for fã de Tolkien ou tiver curiosidade para conferir a obra dele, mas lhe falte coragem, A Espada de Shannara é uma ótima opção e perfeita para quem quiser começar a se arriscar no detalhado mundo da fantasia!

Nota:



19 comentários:

Monica Navarro disse...

Não conhecia esse livro, mas simplesmente adorei a sua resenha. Deve ser aventura do princípio ao fim do livro. Preciso ler.

Desbravadores de Livros disse...

Eu adoro fantasia, Vê, é um dos meus gêneros favoritos. Então, nem preciso dizer que tenho uma vontade enorme de ler esse livro. Ele já está na minha lista de leitura faz algum tempo, mas ainda não tive a oportunidade de lê-lo. Depois dessa sua resenha, na primeira promoção que eu ver, vou comprá-lo.
Quanto aos capítulos imensos, eu não me incomodo; acho que combina bem com a fantasia. Mas eu prefiro capítulos curtos em livros policiais.

Andrea Duarte disse...

Apesar da sua introdução, eu evito livros assim. Eu estava ansiosa para ler A Guerra Dos Tronos, que tem mais ou menos a mesma quantidade de folhas que A Espada de Shannara, e tem algumas semelhanças contextuais. Mas estacionei antes das 100 primeiras páginas do livro há duas semanas e nunca mais peguei. As descrições me matam. É tediante. rs :/
bj, dréa

Veezinha disse...

Talvez você devesse dar uma nova chance, Andrea. Faça como eu e comece devagarinho. Um capítulo por vez. Você verá que, quando a história engatar mesmo, vai estar lendo 100, 150 páginas de uma só vez!
Eu também achei que as descrições iriam me matar, mas afinal elas fizeram toda a diferença! Não desista. ;)


xx

wagnerluizfilho disse...

Eu nunca costumo ler livros de Fantasia, mas os que leio, eu nunca me decepciono.
Esse livro, pelo que eu vi, deve ser muito bom!

Andreana Marques disse...

Gosto de livros de fantasia, e já que este nos apresenta aventura, magia etc.. confesso que ao saber que o livro é bem descritivo, fiquei meio receosa, porque costumo me entediar com leituras assim, mas já que você citou que foram precisas e valiosas para que se sentisse totalmente dentro da história, irei ignorar esse fato, espero que eu leia em breve, e que goste da leitura.
Adorei a resenha, Beijos

Andreana Marques disse...

Gosto de livros de fantasia, e já que este nos apresenta aventura, magia etc me parece ser bem legal.
Confesso que ao saber que o livro é bem descritivo, fiquei meio receosa, porque costumo me entediar com leituras assim, mas já que você citou que foram precisas e valiosas para que se sentisse totalmente dentro da história, irei ignorar esse fato, espero que eu leia em breve, e que goste da leitura.
Adorei a resenha, Beijos

ELIZABETH MACHADO DE SALLES disse...

A história é bem legal. Gosto de temas assim, cheios de aventura e ação. Histórias de fantasia capazes de nos deixar empolgadas até o fim, está difícil de encontrar. E fiquei contente por este ser um deles. Vou aproveitar sua empolgação na resenha e vou aceitar o desafio. Vou ler este livro e viajar nesta história incrível. Beijos.

Felipe Pereira disse...

Eu gosto de livros assim de aventura e fantasia, mas não sou tão próximo de livros muito descritivos, gosto de ver a leitura fluindo com uma boa narrativa!

shirlaine santana disse...

ate eu fiquei animada só com esse pequeno resumo rsrs amo livros de fantasia são minha paixão depois dos livros de romance de lucinda rilley e nickolas sparks

Fran Ferreira disse...

Olha Vê, não sei explicar exatamente o que me chamou atenção no livro, mas posso descrever que ao ler da resenha foi passando trechos de vários filmes que já vi (estou até "penando" para lembrar o nome de alguns kk), mas com tudo o que li, fiquei bem interessada em fazer a leitura, só tem um porém: sou muito ansiosa e terei que esperar estar completo para dar sequência na leitura.
Bjsss

Bia disse...

Amei *-*
Acabou de entrar na minha lista de livros para ler hahaha'

maisumleitor.wordpress.com

Milena Soares disse...

Gosto muito de histórias de fantasia e esse livro parece ser ótimo, fiquei bastante interessada em ler!

Sueli Cobbos disse...

Gosto de histórias fantasiosas, mas não tenho muita paciência para narração muito descritiva. Acabo pulando vários trechos, mas chego ao fim.

Nardonio Alves disse...

Eu adoro livros de fantasia com essa pegada mais épica/medieval. Sei que o autor precisa criar e desenvolver bem seu universo, mas confesso que quando as descrições ficam um pouco grandes demais, fico com receio, pois não sou fã de descrições em demasia. Pelo que entendi, apesar de ter essa característica, a trama não torna-se monótona. Então, quero ler em breve.

@_Dom_Dom

Julielton Souza disse...

Caramba 77?! Bem antiga a historia né?

Já havia visto resenhas sobre o livro em outros blogs, mas o titulo ou a capa nunca me chamaram a atenção então sequer li as resenhas. Agora lendo a sua nem acredito que fui tão idiota, adorei a premissa do livro e todo o universo que Brooks criou.

Achei dificil pronunciar os nomes dos personagens, não nomes comuns e ainda acho que não os compreendi corretamente. Porém quero muito conhecer os mistérios por trás de Shannara e de toda a linhagem de Shea.

Julielton Souza - Dialética Proposital

Pamela Duarte disse...

Gnomos, trolls, anões e elfos <3 Quando li isso o que me veio à cabeça foi: o hobbit e Once Upon a Tima hahah que loucura!! E já comecei a achar a estória legal nessa parte.
Eu, particularmente, gosto muito de fantasia. É uma viagem bem legal. Meu tempo passa voando.
Por mais que seja um livro relativamente grande, a estória parece ser cheia de aventuras, então a leitura flui bem assim, não se torna algo chato.
Às vezes fico um pouco receosa com livros que possuem longas descrições, mas se você, ainda assim, gostou, deve ser bom mesmo ;)
Bjos

Thabata Robles disse...

Livros grande não me assustam. Seres fantásticos me atraem. É, acho que esse livro foi feito pra mim <3

Aline Ramos Costa disse...

Vê, que resenha primorosaaa, parabaénss.... Eu tenho visto altas recomendações osbre esse livro e parece que vc também gostou muito...Sou uma grande apreciadora do gênero fantasia e e tiver aventura e ação junto na mesma história me conquista total...Pelo visto a hitória é exceltne e vai me viciar totalmente. Eu fiquei preocupada quando vc disse que o livro era bem descritivo, mas fiquei aliviada quando você informou que isso não impede a leitura de fluir maravilhoamente... Agora, fiquei doida pra ter e ler ese livro.bj