quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

#Resenha: Melhor que Chocolate - Laura Florand

Melhor que Chocolate (The Chocolate Thief - Amor e Chocolate #01)
Autora: Laura Florand
Editora: Única
Número de páginas: 288

"Amor. Chocolate. Paris. Que atire a primeira pedra quem não gostaria de ter essas três coisas misturadas em meio a uma aventura inesquecível. Pois é mais fácil do que parece, basta abrir este delicioso (sem exageros) romance de Laura Florand. Cade Corey é uma jovem executiva que cuida do negócio bilionário de chocolate da família, uma empresa popular nos Estados Unidos. Ela sonha em construir uma linha premium de seus produtos, e, como boa conhecedora do seu negócio, sabe que encontrará o chocolate perfeito em Paris. Na verdade, o chocolate perfeito está, mais especificamente, nas mãos igualmente perfeitas de Sylvain Marquis, o melhor chocolatier da cidade. O problema é que Sylvain se recusa a associar sua arte a uma grande empresa que só pensa em destruir sua técnica para reproduzi-la em grande escala. Isso para ele é um insulto, e não uma proposta! Contudo, embora o francês jure que está em paz para tocar a vida, aquela americana teimosa não lhe sai da cabeça. E Cade sente o mesmo: adoraria simplesmente fechar negócio com outro especialista parisiense, entretanto, não consegue esquecer os olhos cortantes de Sylvain e sua personalidade arrogante, porém tão viciante quanto seus doces. Paris está prestes a ficar pequena para o que existe entre eles. Pegue uma boa xícara de café e saboreie tudo aquilo que é melhor que chocolate. Você não vai se arrepender!"

Compre: Saraiva | Submarino

Todo mundo deveria se sentar para ler esse livro com um bom estoque de chocolate para saborear ao longo da leitura, do contrário, estarão à mercê de uma descrição de dar água na boca e deixar algumas lombrigas muito impacientes. Melhor que Chocolate nos leva a Paris e, melhor do que isso, às delícias que esta cidade francesa nos reserva.
Cade Corey é a herdeira de uma riquíssima indústria de chocolate norte-americana que parte para a França em busca de material para lançar uma nova linha de chocolates mais sofisticados. Para isso, ela conta fechar um grande negócio com o melhor chocolatier de Paris, Sylvain Marquis; o que não deveria ser nada difícil, afinal de contas, quem recusaria um contrato milionário para ter seu nome assinando uma linha de chocolates das barras Corey?

"Cade perguntou-se o que aconteceria se ela desse um salto e socasse os dois. Com certeza não seria a primeira vez que um americano em Paris teria sido provocado pela 'educação' francesa a ponto de ficar violento, como dizia seu avô. Ela tinha vindo para a França para aprender mais sobre chocolate, mas não parecia a mesma coisa dita por ela."
(pág. 37)

Aparentemente, Sylvain pouco se importa com essa ilustre oportunidade, o que deixa Cade um pouco desnorteada. Seu reconhecimento mundial, sua indústria, deveriam seduzi-lo a fechar um contrato que o levaria para o resto do mundo ao invés de somente a França. Mas, mesmo com toda a negociação e insistência, ele está irredutível. O chocolate que ele produz não é feito para ser reproduzido em larga escala.
Cade, no entanto, não está disposta a receber uma negativa como resposta final e, sendo assim, decide aprender ela mesma os segredos de Sylvain para que possa aplicá-los nas próprias receitas. Se ela fará isso legalmente, já é outra história... Afinal, parece realmente tentador que ela tenha alugado um apartamento logo do outro lado da rua da lojinha de Sylvain e evite o lugar pelo resto de sua estadia na França, perdendo todas as técnicas e segredos que jazem lá...até mesmo depois de fechado. No meio da noite. Clandestinamente.

"Ele tinha algo que ela queria desesperadamente. Seu chocolate. Agora ele queria ver se podia usar isso para fazer com que ela o quisesse desesperadamente."
(pág. 60)

Melhor que Chocolate é uma história divertida e sensual sobre o poder das pequenas coisas, especialmente aquelas feitas com carinho e dedicação, em face das industrializadas. Sylvain tem verdadeira aversão aos chocolates Corey e não é à toa. Cade sabe que, embora sejam a marca mais famosa dos Estados Unidos, os chocolates não tem característica e, menos ainda, refino e sabor marcantes.
Por isso ela vai atrás de Sylvain e nele encontra um chocolatier extremamente orgulhoso de seu produto, o que não é à toa. Como ela está disposta a tudo para conseguir que ele trabalhe para ela, Cade chantageia uma mulher para tomar o seu lugar em um curso super concorrido que Sylvain ministra de tempos em tempos em sua chocolaterie a fim de aprender seus segredos e repassá-los à empresa da família.
Mas o que acaba por conseguir é muito mais do que chocolate, é uma atenção especial do chocolatier e, melhor ainda, acesso ao seu espaço, mesmo que nas sombras da noite. Rapidamente, a ladra de chocolate se torna famosa e Cade aproveita a adrenalina de aventurar-se na madrugada comendo chocolate e experimentando ingredientes exóticos, deixando pequenas pistas e uma fantasia quente em seu encalço.

"Ela colocou sua impressão digital de chocolate nos papéis dele, como uma assinatura sem palavras em um contrato.  Ela acendeu um fogo no laboratoire, enquanto ele nã oestava perto dela, e fez algo com o que era dele, e nem sequer deixou um pouco para ele experimentar."
(pág. 113)

Em primeiro lugar, eu acho que a escola do título teria sido mais acertada se eles traduzissem do inglês. Afinal de contas, a maior diversão do livro está aí: na ladra de chocolate! Essa leitura rapidamente tornou-se a minha favorita, são capítulos que fluem rapidamente e são muitas as partes engraçadas.
Misturando expressões em francês, o que acrescentou todo um charme à narrativa, a editora Única fez um ótimo trabalho com a capa e a diagramação, além da permanência do francês, que eu achei muito legal! Eu amei a história, especialmente esse embate corporativo x caseiro. Cade e Sylvain são exatamente a personificação de uma grande indústria, agressiva e ambiciosa, e o charme e talentos de algo feito à mão, personalizado, respectivamente.
Esse questionamento é muito válido, pois, cada vez mais, nos preocupamos em consumir menos produtos industrializados e procuramos valorizar os pequenos produtores artesanais e caseiros. E com o pano de fundo estabelecido, sobrou espaço para as provocações, o relacionamento picante e sensual que aos poucos vai se desenvolvendo entre Cade e Sylvain.
Sem dúvidas, Melhor que Chocolate é aquele livro para todas as horas! Uma leitura apaixonante e incrível que nos transporta para a França e é capaz de nos proporcionar descrições tão intensas de seus cheiros e sabores que é praticamente impossível terminar o livro sem vontade de comer pelo menos um chocolate que seja! Especialmente se for artesanal e com uma explosão de sabores!

"Ele sorriu, firme e feroz, proque era capaz de emanar todo o calor que ela queria. Ele tinha força para segurá-la. Tinha um mundo de aromas e sabores para atraí-la. Sabia como fazê-la feliz naquele momento."
(pág. 115)

Classificação final:

Nenhum comentário: