segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

#Resenha: A Testemunha Ocular do Crime - Agatha Christie

A Testemunha Ocular do Crime (4:50 from Paddington - Miss Marple #08)
Autora: Agatha Christie
Editora: L&PM Pocket
Número de páginas: 256

"Após um dia de compras em Londres, Elspeth McGillicuddy pega um trem para o interior da Inglaterra, onde deve se encontrar com a amiga Jane Marple. Instalada na primeira classe, ela observa a paisagem, até que outro trem passa no mesmo sentido e, por um instante, as janelas dos vagões se alinham. Ela vislumbra a imagem de um homem estrangulando uma mulher. Na estação, ninguém acredita em Elspeth, e nenhum cadáver é encontrado. Mas Miss Marple não se dissuade fácil. Para investigar esse mistério, ela contará com o auxílio do seu sobrinho-neto David e de Lucy Eyelesbarrow, uma carismática personagem que faz neste romance sua única e marcante aparição."

Compre: Saraiva | Submarino

Resenhas anteriores:


  • Assassinato na Casa do Pastor (Miss Marple #01);
  • Os 13 Problemas (Miss Marple #02);
  • Um Corpo na Biblioteca (Miss Marple #03);
  • A Mão Misteriosa (Miss Marple #04);
  • Convite para um Homicídio (Miss Marple #05);
  • Um Passe de Mágica (Miss Marple #06);
  • Um Punhado de Centeio (Miss Marple #07).


  • Cá estamos nós, novamente, com mais um incrível livro da querida Miss Marple! Todo mundo já deve estar cansado de me ouvir falar da velhinha investigadora da Agatha Christie, mas é que simplesmente não consigo me desviar dos livros dela! Até porque, é uma das únicas detetives das quais tenho já quase todos os livros.
    A Testemunha Ocular do Crime, infelizmente, não trouxe minha dose necessária de Miss Marple e acompanhamos o desenrolar dos fatos por uma outra personagem, escalada pela própria senhora, para ser seus olhos e ouvidos durante a investigação.
    Mas estou me precipitando, tudo começa quando uma grande amiga de Miss Marple presencia um assassinato quando o trem em que ela viajava, voltando das compras de Natal, cruza com um outro, em que estão uma mulher e o que parece ser um homem. Na estação onde desembarca, ninguém parece dar muito crédito ao seu relato, principalmente por não ser encontrado um corpo.

    Incansável, ela recorre a Jane Marple, a única capaz de acreditar no que ela viu e, assim, ela se desloca para o vilarejo onde muito provavelmente o corpo foi desovado e contrata Lucy Eyelesbarrow, uma famosa empregada profissional, para ser seus olhos e ouvidos em Rutherford Hall, lar da família Crackenthorpe.
    Lucy chega para trabalhar como governanta e rapidamente chama a atenção por tratar-se de uma família em que o patriarca é praticamente cercado por urubus, já que sua fortuna é racionada e sua morte pode significar a melhora de vida de vários dos seus descendentes.
    Com a desculpa de estar recebendo uma tia muito simpática e muito frágil, Lucy encontra tempo em sua agitada rotina de limpeza, cozinha e organização para manter Miss Marple bem informada sobre tudo o que vai descobrindo na mansão. E as coisas começam a ficar mais agitadas quando um corpo é descoberto em um galpão da propriedade, atraindo o trabalho da Scotland Yard e do inspetor Craddock.

    Aliviado por poder contar com a presença de Miss Marple, Craddock passa a investigar o ocorrido, seguindo pistas interessantes acerca da possível identidade da vítima. As relações familiares vão se revelando aos poucos e segredos e novas informações fazem com que reavaliemos constantemente a nossa lista de suspeitos, especialmente quando alguns deles começam a morrer também.
    Como sempre, Agatha Christie não deixa barata a sua investigação e vai guiando o leitor através de novos fatos e pistas que sempre te levam a becos sem saídas e suspeitas improváveis que, posteriormente, são detonadas tão rapidamente que você sequer se dá conta do que está acontecendo.
    A Testemunha Ocular do Crime mantém a qualidade dos últimos livros de Miss Marple ao construir uma história que foi capaz de me deixar zonza e muito confusa acerca do real suspeito. Eu senti bastante falta da Miss Marple, a Lucy desempenhou o papel até que razoavelmente, mas faltou aquele charme já bem conhecido da velhinha.
    O que muito me surpreendeu foi, ao final, a Miss Marple já ter descoberto tudo, mesmo estando bastante afastada da ação. Me pareceu meio incrível demais que ela pudesse chegar às suas conclusões somente pelos relatos da Lucy, mas, aparentemente, isso foi mais do que possível e mais do que suficiente. Eu adoro quando ela aparece o tempo todo, mas estamos seguindo para o envelhecimento dela e neste livro ficou um pouco mais evidente que o tempo está passando e ninguém é de ferro.

    Realmente uma pena pensarmos que a velhice esteja alcançando nossa detetive, mas o tempo é implacável. Tenho fortes esperanças para que, nos próximos livros, ela esteja mais presente porque simplesmente não consigo imaginar um cenário sem Miss Marple, ela precisa ser eterna!
    Fiquei estupefata com a resolução dos assassinatos, mas, após toda a explicação e exposição de motivos, me senti muito burra porque era uma situação completamente plausível e compreensível e eu simplesmente não consegui imaginá-la por pura incompetência mesmo.


    Mais uma vez, uma edição da L&PM Pocket muito boa. Alguns errinhos, mas nada grave. Gostei da capa, achei interessante a escolha do título, principalmente tendo em vista o título original, relacionado ao trem onde acontece o primeiro assassinato.
    É constantemente surpreendente a forma como Agatha Christie insere diversos crimes quase sequencialmente sem que pareça uma carnificina ou forçado demais. Alguns poderiam achar até mesmo um exagero tantas mortes em um só livro, mas acredito que já tenha me acostumado com o seu jeito de escrever. E é simplesmente impressionante! Nunca me canso!

    Então, se você ainda não leu, está esperando o quê? Naquela sua leitura de cabeceira, enquanto está no ônibus ou aguardando em uma fila, pegue um livro da Agatha e delicie-se com as aventuras de Miss Marple! Ela vai te convencer rapidinho, eu garanto!

    Classificação final:


    Nenhum comentário: