domingo, 31 de dezembro de 2017

#Resenha: Cilada para um Marquês - Sarah MacLean

Cilada para um Marquês - Escândalos e Canalhas #01 (The Rogue Not Taken - Scandal & Scoundrel #01)
Autora: Sarah MacLean
Editora: Gutenberg
Número de páginas: 320

"Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.
Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.
No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.
O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada?
Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam…"

Compre: Amazon | Submarino

Sophie Talbot é um perigo para qualquer homem que ousar ser flagrado em sua companhia. Isso porque suas irmãs possuem a má fama de usar de ardis para arranjar bons casamentos. Mas Sophie não tem nada a ver com sua família. Na verdade, ela abomina o modo como suas irmãs são vistas pela sociedade e faz questão de passar despercebida e dissociar-se dessa imagem de "irmã perigosa" a todo custo.
No entanto, tudo muda quando ela defende sua irmã mais velha e torna-se o centro das atenções, comentários e fuxicos da alta sociedade, precisando desesperadamente escapar de todo esse escarcéu. É assim que ela se disfarça de pajem a acaba no caminho de Rei, o Marquês de Eversley, que está a caminho de visitar seu pai.
Determinada e muito teimosa, Sophie será um grande problema nas mãos de Rei, que não medirá esforços para devolvê-la a salvo para sua família, mas não sem antes atender a um acordo que pode beneficiar a ambos.

"Não importava que qualquer homem que ostentasse suas aventuras sexuais diante da mulher grávida e da cunhada solteira fosse o pior tipo de monstro do mundo. Não importava que o escândalo devesse ser total e exclusivamente dele. Escândalos não grudam em duques.
Para as jovens Talbot, contudo, escândalos grudam como mel em pelo de cavalo." - p. 15

Fato é que Sophie não está muito interessada em ajudar Rei, até porque ele é um mulherengo especialista em arruinar a reputação de jovens moças, tudo o que ela mais abomina nesse mundo. Mas depois que ele a ajuda a sair de uma verdadeira enrascada, pouco lhe resta senão concordar em ajudá-lo nessa longa viagem para conhecer o temido Duque de Lyne.
Ao longo do caminho, Sophie e Rei terão a possibilidade de conhecer mais um do outro e suas primeiras impressões serão minadas pouco a pouco. Seria a jovem Talbot mais do que uma simples caça-dotes? Por que Rei parecia se divertir tanto em arruinar noivados de jovens moças? O que ele guarda dentro daquela expressão misteriosa?
Será preciso muita teimosia e determinação para que Sophie possa desvendar os segredos de Rei e o que ela virá a conhecer pode destruir para sempre qualquer possibilidade de salvação para ele e ela mesma. Afinal, pode uma pessoa superar um grande trauma em face de algo completamente novo e, até certo ponto, incerto?
Uma irmã perigosa é sempre perigosa, afinal. Mas Sophie pode ser mais do que inconsequente, aventureira e, por vezes, estúpida. E Rei está mais do que curioso para descobrir um outro lado desta família que constantemente vira o assunto principal nas rodas da alta sociedade londrina.

"Para qualquer outra garotinha, as caixas que seu pai trazia poderiam ser tediosas. Mas para Sophie eram mágicas. Os livros eram aventuras encadernadas em couro, com páginas e mais páginas de mundos distantes, pessoas e ensinamentos notáveis; felicidade simples e honesta." - p.67

Cilada para um Marquês foi o primeiro contato que tive com a escrita de Sarah MacLean e eu posso dizer: ela tem um enorme talento para histórias divertidas e irreverentes! Aqui nós temos uma jovem solteira que, por conta do comportamento "caça-dotes" das irmãs é vista como uma bomba-relógio pronta para dar o golpe fatal e, portanto, deve ser evitada a todo custo. Por outro lado, temos Rei, o mocinho com seus demônios de um passado que o moldou no jovem grosseiro que aparenta agora.
Eu li este livro em uma única sentada, pois simplesmente não conseguia largá-lo! As aventuras de Sophie e Rei não se limitam a duas pessoas completamente opostas que descobrem o amor uma na outra na cura e na completude que trazem para o outro. É muito mais do que isso! Sophie se disfarça de homem, enfrenta saqueadores, tudo em suas sapatilhas de seda e sem perder a pose! Enquanto isso Rei a acompanha estupefato e um pouco admirado, por que não?, tentando controlar a impetuosa jovem e convencê-la a ajudá-lo no encontro com seu pai.
Ambos têm os seus problemas, os seus medos e inseguranças, isso acontece em todos os romances de época, mas o que torna Cilada para um Marquês diferente do resto não é seu humor recorrente ou a protagonista meio maluquinha por desafios e ideias suicidas, mas a forma como ele é escrito. Com seus capítulos estampando títulos sensacionalistas como os de jornais, fica praticamente impossível ignorar o que pode nos aguardar nas próximas páginas. É um convite sedutor ao leitor para descobrir o que virá a seguir.
E eu posso dizer: é uma leitura apaixonante e hilária. Na mesma medida em que nos surpreendemos com Sophie e Rei, também somos pegos de assalto por suas histórias de vida e, principalmente Rei, o que será necessário para superar esses traumas. Com essa capa belíssima, a única ressalva que posso fazer é a opção da editora em traduzir as falas entre aspas e não entre travessões, como seria de se esperar. Isso quebrou um pouco o fluxo da leitura, pois eu tinha dificuldades em registrar um diálogo, já que não havia a quebra visual causada pelo travessão, mas apenas a fluidez das aspas, que pouco alteravam visualmente as páginas.
No mais, Cilada para um Marquês é mais um romance de época que se destaca dos outros e deixa um gostinho de quero mais para a mente mais curiosa. Sarah MacLean constrói sua trama de modo a não permitir que o leitor deixe para depois o escândalo que pode ser lido imediatamente!

"Na verdade, ele não teria dificuldade para lhe fazer um elogio. Quando ela enumerou todas as coisas terríveis que ele falou sobre ela até então, Rei se sentiu um verdadeiro cretino. Ele não acreditava em nada daquilo. Não mais. Nunca." - p. 152

Classificação final:

Nenhum comentário: