terça-feira, 1 de maio de 2018

#Indicação - Filme: A Colina Escarlate




A Colina Escarlate (Crimson Peak) - 2015


Apaixonada pelo misterioso Sir Thomas Sharpe (Tom Hiddleston), a escritora Edith Cushing (Mia Wasikowska) muda-se para sua sombria mansão no alto de uma colina. Habitada também por sua fria cunhada Lucille Sharpe (Jessica Chastain), a casa tem uma história macabra e a forte presença de seres de outro mundo não demora a abalar a sanidade de Edith.



Compre: Submarino

É muito difícil, para mim, gostar de filmes de terror. Levo susto muito fácil e, na maioria das vezes, não acho que a história possui profundidade o suficiente para justificar aquele pavor todo.
De todo modo, fui assistir A Colina Escarlate por admirar e gostar muito do trabalho do Tom Hiddleston e que bom que eu fiz isso porque o filme acabou se revelando não só uma excelente produção em todos os aspectos, como também entrou para o rol dos meus queridinhos, apesar de ser do gênero terror. Para vocês verem!
A Colina Escarlate é um filme que se passa na era vitoriana, com um estilo gótico de dar inveja, e nós acompanhamos a jovem Edith Cushing, uma aspirante a escritora que, para variar, está enfrentando muita resistência por parte de editores para publicar sua história porque, além de ser uma mulher, não possui romance em sua narrativa de fantasmas. É muito fora do comum para uma jovem feito ela ter algo tão sombrio para contar. Mas ela é bastante persistente.
Seu pai é um riquíssimo empresário e cuida da filha desde que a mãe dela faleceu por conta da peste, quando ainda era uma menina. Foi quando Edith teve sua primeira experiência com fantasmas: vendo a mãe morta apenas poucos meses após seu falecimento. Mas quando ela esbarra com Sir Thomas Sharpe, seu jeito polido e entusiasmado rapidamente capta sua atenção. Eles cruzam caminhos quando Thomas vai até o pai de Edith pedir por um financiamento para sua máquina, um projeto que será capaz de explorar as minas de argila vermelha que tomam conta de sua propriedade na Inglaterra.
Completamente apaixonada pelo rapaz e sob forte resistência do pai, Edith se joga nessa paixão, sem mais nada a perder, e se casa com o moço inventor, mudando-se para a Inglaterra pouco tempo após um trágico fato. Lá ela passa a conviver com Thomas e sua irmã Lucille no imenso casarão da família Sharpe que, surpreendentemente, está caindo aos pedaços devido ao seu tamanho e também pelo terreno pantanoso formado pela argila vermelha.
Mesmo assim, Edith está determinada a ser feliz ao lado de seu amor, embora coisas estranhas comecem a circundá-la na casa, que fica completamente isolada de qualquer vilarejo que possa existir nas proximidades. Será que Thomas e Lucille realmente a queriam ali? O que são esses avisos que chegam em forma de aparições fantasmagóricas horrendas e que lhe sussurram coisas terríveis? Que tipo de contato os espíritos podem estar tentando com Edith agora, depois de tantos anos?
A história de A Colina Escarlate vai se desenvolvendo aos poucos. O comportamento de Thomas e Lucille Sharpe salta aos olhos logo de imediato, são dois irmãos muito próximos e que parecem ter uma carta na manga que não estão contando. Alguns fatos você acaba presumindo pelo andar das cenas, mas eu confesso que fiquei completamente em choque com os momentos finais. É algo que me fez agarrar a cadeira do cinema (e detalhe: eu fui DUAS vezes ao cinema assistir; quando que a gente faz isso hoje em dia com o valor do ingresso?) com ansiedade e expectativa para o que viria a seguir.
Preciso dizer que não concordei com o desfecho, mas compreendi plenamente o que Guillermo del Toro quis transmitir com sua história, apenas lamento que tenha terminado como terminou. Até comprei o blu-ray do filme para ver se haveria algum final alternativo disponível, mas, infelizmente foi aquele mesmo.
À parte disso, o filme é incrível. Os cenários têm um ar sinistro, as roupas são lindas e a fotografia é sensacional. Eu nunca havia ficado tão fascinada por um filme de terror e a atuação sedutora do trio protagonista parece te atrair ainda mais para a história. O enredo foge ao clichê em muitos aspectos e todo o trabalho foi caprichado para te fazer querer ver mais e mais vezes para que possa reparar em cada mínimo detalhe. Acreditem: vocês não verão tudo logo de primeira. São informações escondidas que só podem ser descobertas e associadas com mais de uma visita a este universo gótico.
Se tem sustos? Alguns, mas nada que te deixe acordado à noite; no momento em que você compreende os motivos para aqueles fantasmas atormentarem Edith, eu confesso que o medo desapareceu completamente e passei até a observá-los com mais atenção para descobrir informações e pequenas deixas que o diretor introduziu para o público mais atento.
Acreditem, vale muito à pena assistir A Colina Escarlate por várias vezes! A história é intrigante e escandalosa de um jeito impossível de ignorar. Mesmo não sendo a maior fã de filmes de terror, esse eu indico de olhos fechados (mas não por causa do medo! haha) porque é um dos melhores que já assisti até hoje!



Classificação final:

Nenhum comentário: